Nova Geração #199 – Saber como desencarnaremos: sonhos

Iniciamos o estudo da questão 402 de O Livro dos Espíritos – uma das mais importantes da codificação para o momento que vivemos. Se não entendermos o alerta do Cristo para o momento atual, nos perderemos nas falsas experiências. Não é opcional, devemos vincular nossos corações a amigos superiores que nesse momento aguardam nosso chamado.

Livro dos Espíritos

Segunda Parte – Mundo Espírita ou Dos Espíritos

Capítulo 8 – Emancipação da alma. Item 1. O sono e os sonhos

402. Como podemos julgar da liberdade dos espíritos durante o sono?

“Através dos sonhos. Acredita-o: quando o corpo repousa, o espírito possui mais faculdades do que no estado de vigília; tem a lembrança do passado e, algumas vezes, a previsão do futuro; adquire maior potência e pode comunicar-se com os outros espíritos, quer deste mundo, quer de um outro. Dizes, com frequência: tive um sonho estranho, um sonho horrível, mas que não tem verossimilhança alguma; tu te enganas; frequentemente, é uma lembrança dos lugares e das coisas que viste ou verás, numa outra existência ou num outro momento. O corpo estando adormecido, o espírito tenta quebrar suas correntes, pesquisando no passado ou no futuro. 

Pobres homens, como conheceis pouco os fenômenos mais comuns da vida! Julgais-vos muito sábios e as coisas mais vulgares vos confundem; a estas perguntas que todas as crianças fazem: O que fazemos quando dormimos? O que são os sonhos? Ficais embaraçados.

O sono liberta, parcialmente, a alma do corpo. Quando dormimos, ficamos, durante certo tempo, no estado em que nos encontraremos, de uma maneira fixa, depois da morte. Os espíritos que rapidamente se desligaram da matéria, por ocasião de sua morte, tiveram sonos inteligentes; esses, quando dormem, juntam-se à sociedade dos outros seres superiores a eles; com eles viajam, conversam e se instruem; trabalham mesmo em obras que, ao morrerem, acham-se inteiramente concluídas. Isto deve vos ensinar, ainda uma vez, a não temer a morte, visto que morreis todos os dias, segundo a palavra de um santo.

Isto, para os espíritos elevados; mas, quanto à massa dos homens que, por ocasião da morte, têm de permanecer longas horas nessa perturbação, nessa incerteza de que já vos falaram, estes vão, ora para mundos inferiores à Terra, onde antigas afeições os chamam, ora em busca dos prazeres talvez ainda mais baixos do que aqueles que aqui têm; vão haurir doutrinas ainda mais vis, mais ignóbeis, mais nocivas do que as que professam no vosso meio. E o que engendra a simpatia na Terra não é outra coisa senão o fato de nos sentirmos, ao despertar, ligados pelo coração com quem acabamos de passar oito ou nove horas de felicidade ou de prazer.

O que também explica essas antipatias invencíveis é que sabemos, no fundo do nosso coração, que essas pessoas têm uma consciência diversa da nossa, porque nós as conhecemos sem jamais tê-las visto com os olhos. É ainda o que explica a indiferença, visto que não se procura fazer novos amigos, quando se sabe que existem outros que nos amam e nos querem. Numa palavra, o sono influi, sobre a vossa vida, mais do que imaginais.

Graças ao sono, os espíritos encarnados estão sempre em relação com o mundo dos espíritos, e é isto o que faz com que os espíritos superiores consintam, sem muita repulsa, em encarnar entre vós.

Deus quis que, durante o contato deles com o vício, eles pudessem ir se retemperar na fonte do bem, para eles próprios não falirem, eles que tinham vindo para instruir os outros. O sono é a porta que Deus lhes abriu, para irem em direção a seus amigos do céu; é a recreação após o trabalho, enquanto aguardam a grande libertação, a liberação final, que deve restituí-los ao meio que lhes é próprio.

O sonho é a lembrança do que o vosso espírito viu, durante o sono; mas observai que não sonhais sempre, porque nem sempre vos lembrais do que vistes ou de tudo o que vistes. É vossa alma que não está em toda sua potência; frequentemente, é apenas a lembrança da perturbação que acompanha vossa partida ou vossa chegada, a que se soma o que fizestes ou o que vos preocupa no estado de vigília; sem isto, como explicaríeis esses sonhos absurdos que têm os mais sábios, assim como os mais simples? Os maus espíritos também se servem dos sonhos para atormentar as almas fracas e medrosas.

Aliás, dentro em pouco, vereis vulgarizar-se uma outra espécie de sonhos; ela é tão antiga quanto a que conheceis, mas a ignorais. O sonho de Joana, o sonho de Jacó, o sonho dos profetas judeus e de alguns adivinhos indianos: este sonho é a lembrança da alma inteiramente desligada do corpo, a recordação dessa segunda vida de que vos falava ainda há pouco.

Procurai distinguir bem essas duas espécies de sonhos entre aqueles de que vos lembrais; sem isso, cairíeis em contradições e em erros que seriam funestos à vossa fé.

Comentário Kardec

Os sonhos são o produto da emancipação da alma, que se tornou mais independente pela suspensão da vida ativa e de relação. Daí, uma espécie de clarividência indefinida que se estende aos lugares mais afastados ou que nunca se viram e, algumas vezes, até em outros mundos. Daí, também, a lembrança que traz à memória os acontecimentos efetuados na existência presente ou nas existências anteriores; as estranhas imagens do que se passa ou se passou em mundos desconhecidos, entremeadas com as coisas do mundo atual, formam esses conjuntos singulares e confusos que parecem não ter sentido ou ligação.

A incoerência dos sonhos se explica, ainda, pelas lacunas que produz a lembrança incompleta do que nos apareceu em sonho. Seria, assim, como uma narrativa da qual tivessem truncado, ao acaso, frases ou partes de frases: os fragmentos restantes, sendo reunidos, não teriam qualquer significado racional.

Mensagem de Encerramento

Que a paz do Cristo fique e permaneça para sempre em nossos corações.

Filhos e filhas amados, estamos no momento em que precisamos transformar vontades vagas em ação objetiva, teoria em prática. A partir de uma vontade sincera e continuada.

Precisamos de vocês, mas não de qualquer forma, espíritas estão se tornando mais pacientes de extrema necessidade do que colaboradores ativos. Não é mais possível continuarmos assim.

Devemos entender que aqueles que tiveram e que têm contato com a revelação do Mestre, chamada Consolador, têm obrigação de devotar-se ao bem, têm obrigação de instruir-se para amar servindo e não apenas de se tornar um alucinado pregador daquilo que não vive.

Comecemos por nos prepararmos. É impossível ser mais claro do que isto: ai está o caminho! Preparar-se, estar com espíritos que podem de fato lhe ensinar muito e trabalhar abnegadamente com eles. Isto é necessário! Isto é importante!

Muitos não querem tocar neste assunto em movimento espírita, porque não têm convicção, porque nunca viveram estas experiências de forma superior. Precisamos de milhares de pessoas que comecem a viver isto e comecem a compartilhar com naturalidade, porque há uma distorção maligna de palestrantes, que contam estas experiências como se fosse um sinal de grandeza e vocês acreditam com um sinal de estupidez, me perdoem.

Vocês têm de viver essas experiências, vocês precisam. Ninguém sairá deste mundo pelas portas do desencarne, de forma superior, se não cultivar as verdadeiras experiências transformadoras.

Não é uma opção, não é uma experiência esquisita, não é algo estranho que se deve fazer ou não. Não é algo de mistérios tenebrosos, místicos, não! Esta é a classificação dos estúpidos; classificação espírita: simples e necessária. Simples e necessária!

Quando o Cristo lhes alertou que nos fins dos tempos haveria sonhos, não foi, como querem interpretar alguns, para dizer: vocês terão um sinalzinho, uma diversão a mais, um milagre tal… Não!

O Cristo dizia: a caridade irá se esfriar a tal ponto que vocês precisarão disso. Vocês que me seguem precisarão deste apoio, desde jovem até a velhice. Vocês, que quiserem continuar vinculados ao meu coração, terão estas experiências porque necessitarão, porque isto vai ajudar vocês a não se desligarem de mim por conta dos apelos estúpidos e esdrúxulos do mundo. Aqueles que assim não fizerem serão levados principalmente pela maré infeliz da sexualidade desregrada, por isso muitos não querem tocar neste assunto, porque estão envoltos nisto e isto os desmascararia.

Muitos são santos, mas que vivem tendo prazeres infernais, porque a sua santidade é a da voz, do gesto, da conversa inferior disfarçada de evolução.

São santos porque apresentam uma falsa preocupação com a obra do Cristo, porque mentem. Mas vivem prazeres destrutivos. Não se pode agir assim se queres estar com o Cristo! Não podeis! Preparai-vos, se um dia cair em regiões inferiores, ore a Deus, humilhem-se, suplicando socorro. Porque vocês serão socorridos, porque o poder do Cristo não é de uma região. O poder do Cristo transcende em todas as dimensões que envolvem este planeta.

Vocês pensam: Cristo cuida da Terra e você pensa que só cuida da dimensão material. Existem dimensões muito mais difíceis de cuidar, muito mais complexas, sofridas, do que a da Terra encarnada. Ele cuida de todas! 

Filhos, preparem-se, é preciso fazer um vínculo profundo conosco, porque todos precisamos estarmos unidos para potencializarmos a energia do Mestre que vem aos nossos corações, para cada um de vocês, para cada um de nós desencarnados, precisamos disto. Precisamos deste modelo.

 Por isto aviso a vocês, jovens e adultos espíritas, se assim não fizerem, perderão grande parte de suas evoluções. De conquistar a vossa evolução, porque estamos, sim, nos fins dos tempos, aqueles que não buscarem esta fonte de luz, já anunciada pelo Mestre, registrada e passada de geração em geração até chegar a nós, para que seja aplicada, sucumbirão ao mal, à vaidade e à loucura de prazeres doentios.

Aqueles que conosco se dispuserem ao trabalho da Luz, crescerão muito e sentirão a paz do Cristo.

Do amigo espiritual de sempre.

Categories: Nova Geração

Deixe uma resposta