Nova Geração # 210 – Imaginação e Descobertas dentro do Sonho

Tudo o que é de Deus reclama grande paz e profunda compreensão – ensina Ananias ao recém convertido Paulo de Tarso. Conseguiremos a vitória espiritual sobre nós mesmos sem desenvolvermos essas virtudes?

 
Paciência

Mesmo quando tudo pede
Um pouco mais de calma
Até quando o corpo pede
Um pouco mais de alma
A vida não para


(…)

Enquanto todo mundo
Espera a cura do mal
E a loucura finge
Que isso tudo é normal
Eu finjo ter paciência

Autor: Lenine

Livro dos Espíritos

Segunda Parte – Mundo Espírita ou Dos Espíritos

Capítulo 8 – Emancipação da alma. Item 1. O sono e os sonhos

405. Frequentemente, veem-se, em sonho, coisas que parecem pressentimentos e que não se confirmam; de onde isto se origina?

“Elas podem confirmar-se para o espírito e não, para o corpo, quer dizer que o espírito vê aquilo que deseja porque vai ao seu encontro. É preciso não esquecer que, durante o sono, a alma está sempre, mais ou menos, sob a influência da matéria e que, por conseguinte, nunca se liberta completamente das ideias terrenas; daí resulta que as preocupações da vigília podem dar, ao que se vê, a aparência do que se deseja ou do que se teme; aí está, verdadeiramente, o que se pode chamar de um efeito da imaginação. Quando se está fortemente preocupado com uma ideia, tudo o que vemos ligamos a ela.”

406. Quando vemos, em sonho, pessoas vivas, que conhecemos perfeitamente, praticarem atos de que absolutamente nem cogitam, não seria isso um efeito de pura imaginação?

“De que absolutamente nem cogitam, o que sabes sobre isto? Seus espíritos podem vir visitar o teu, como o teu pode visitar os delas e nem sempre sabes em que pensam. E, aliás, frequentemente, também, atribuís a pessoas que conheceis e de acordo com os vossos desejos, o que aconteceu ou o que acontece em outras existências.”

Mensagem de Encerramento

Que a paz do Cristo esteja conosco neste momento que precisamos desenvolver uma verdadeira ternura em nós para que, vinculados com o Mestre, nos acalmemos, passemos a observar a vida com mais carinho, com mais gratidão, com mais respeito, de forma pacífica, amiga e amorosa.

Meus filhos, o que vocês aprendem são verdades espirituais que vos acompanharão sempre, porque são verdades basilares. Não ignorem isto! Não é algo curioso, não é algo apenas interessante. São verdades que vocês devem aplicar em vocês, porque elas guiarão vocês ao longo dos milênios.

Fico muito feliz em ver que vocês começam a compreender, a sentir a beleza, a grandeza do que vocês são. Vocês pensam: Ah… um parque de diversão maravilhoso. O sábio tem plena ciência de que em si existem diversões, descobertas, muito mais interessantes, muito mais empolgantes, muito mais verdadeiras, muito mais emocionantes.

Os tolos dizem: como pode, é sábio, passou um ano em profunda meditação e sozinho, isolado… Não, meus filhos. Um sábio que tira um ano para aprofundar-se espiritualmente, ele vive coisas extraordinárias, ele lida com todas as suas vidas passadas, ele se conecta com várias e várias dimensões da vida espiritual. Falta tempo para poder explorar tudo.

Ele sente a grandeza da vida, penetra nos mistérios profundos da natureza, interage com pássaros de forma profunda, entende a linguagem da cachoeira, porque ela gera nele um estado alterado de consciência maravilhoso e o permite alçar voos em dimensões fantásticas.

Por isto, filhos, nós lamentamos tanto que vocês buscam tantas, e tantas e tantas diversões, que na verdade são percas de tempo. Na verdade, elas divergem os vossos espíritos da verdadeira luz, quando vocês podem e devem buscar um lazer de experiências profundas. Deste conhecimento que liberta, desta sintonia com o que há de mais elevado na vida, utilizando-se dos recursos que Deus coloca na natureza, no mar, nas flores e nas florestas.

Sentir a delicadeza e a grandeza do que é a mente de vocês. Entender que é preciso criar um ambiente para que a percepção se expanda. Escutar músicas que elevam, harmonizam. Existem várias em vários períodos da história, busque a que mais toca o coração de vocês ou as múltiplas que elevam vocês.

É preciso que o ser assuma a responsabilidade de harmonizar-se a si mesmo. Experiências espirituais não são: ah, achei uma moeda na rua; ah, tive uma experiência espiritual fantástica. Não! Você pode até ter, como incentivo, algo pontual. Mas, é preciso criar uma capacidade perceptiva profunda e poderosa. Para isto precisa, sim, décadas de esforço verdadeiro que será remunerado de maneira fantástica.

Façamos, pois, um pacto com Jesus de Nazaré: Senhor dê-me uma percepção elevada, pois todo o dia me esforçarei para que o ambiente do teu amor exista em mim e passo a passo eu consiga ver a beleza de Deus em tudo o que eu olhar, sobre tudo o que eu pensar, em tudo que eu sentir. Esta é a libertação do Cristo, filhos. É passar a sentir, ver e viver no mundo com a lógica superior do amor que Ele ensina.

Sejamos nós discípulos e veremos o Reino de Deus em tudo o que percebermos!

 Paz a todos, do amigo espiritual de sempre.

Leave a Reply