Nova Geração # 211 – Assuntos do lado de lá

Aprender a identificar do que significa ser verdadeiro herói é necessário, pois a vida nos pede com clareza: sejamos os verdadeiros heróis de nossas existências.

Heróis

Esses seres que passam pelas dores,
As geenas do pranto acorrentados,
Aluviões de peitos sofredores,
No turbilhão dos grandes desgraçados;


Corações a sangrar, ermos de amores,
Revestidos de acúleos acerados,
Nutrindo a luz dos sonhos superiores
Nos ideais maiores esfaimados;


Esses pobres que o mundo considera
Os humanos farrapos dos vencidos,
Prisioneiros da angústia e da quimera,


São os heróis das lutas torturantes,
Que são, sendo na Terra os esquecidos,
Coroados nas Luzes Deslumbrantes!

Cruz e Souza. Catarinense. Funcionário público, encarnou em 1861 e desprendeu-se em 1898, no Estado de Minas. Poeta de emotividade delicada, soube, mercê de um simbolismo inconfundível, marcar sua individualidade literária. Sua vida foi toda dores. Fonte: Parnaso de Além Túmulo. Editora Feb.

Livro dos Espíritos

Segunda Parte – Mundo Espírita ou Dos Espíritos

Capítulo 8 – Emancipação da alma. Item 1. O sono e os sonhos

407. O sono completo é necessário para a emancipação do espírito?

“Não; o espírito recobra a sua liberdade, quando os sentidos se entorpecem; ele aproveita, para emancipar-se, todos os instantes de trégua que o corpo lhe dá. Desde que haja prostração das forças vitais, o espírito se desprende e, quanto mais fraco for o corpo, mais livre é o espírito.”

É assim que a sonolência ou um simples torpor dos sentidos apresenta, frequentemente, as mesmas imagens do sonho.

408. Parece-nos, algumas vezes, ouvir em nós mesmos, palavras pronunciadas, distintamente, e que não têm relação alguma com aquilo que nos preocupa. De onde isto se origina?

“Sim, e até frases inteiras, principalmente, quando os sentidos começam a se entorpecer. É, algumas vezes, um fraco eco de um espírito que quer se comunicar contigo.”

409. Frequentemente, num estado que ainda não é o de sonolência, quando estamos com os olhos fechados, vemos imagens distintas, figuras cujos detalhes mais minuciosos apreendemos; será isto um efeito de visão ou de imaginação?

“O corpo estando entorpecido, o espírito procura quebrar suas correntes; transporta-se e vê; se o sono fosse completo, isto seria um sonho.”

410. Têm-se, algumas vezes, durante o sono ou a sonolência, ideias que parecem muito boas e que, apesar dos esforços que se fazem para retê-las, elas se apagam da memória; de onde vêm estas ideias?

“Elas são o resultado da liberdade do espírito, que se emancipa e goza de mais faculdades, durante esse momento. São, frequentemente, também, conselhos que outros espíritos dão.”

a) De que servem essas ideias e esses conselhos, visto que se perde a lembrança e deles não se pode tirar proveito?

“Essas ideias pertencem, algumas vezes, mais ao mundo dos espíritos do que ao mundo corporal; porém, geralmente, se o corpo esquece, o espírito se lembra e a ideia volta, no momento necessário, como uma inspiração do momento.”

Mensagem de Encerramento

Que a paz do Cristo, estando conosco, nos faça reconhecer sempre mais que o sofrimento neste mundo é a chave que abrirá a porta aos mundos verdadeiramente felizes. 

Filhos, é importante que vocês tenham o sonho na luz. Vocês precisam alimentar os próprios corações com o consolo de Jesus de Nazaré. Quanto esforço o Mestre fez para nos dar consolo, para nos trazer conforto emocional. Dizia ele: não temam! Sonhem com o Reino da luz, porque sonhando com o Reino da luz a luz realizará o Reino em vocês.

Nosso Mestre nunca condenou os corações mansos e doces que nele confiam e nele depositam a esperança de uma vida melhor, de uma vida envolta em paz, envolta em luz, envolta em ternura.

Não deixem, filhos e filhas, de sonhar e não pensem que os dois significados da palavra sonhar sejam tão diferentes. Imaginar amorosamente vai fazer vocês viverem espiritualmente.

Todos vocês podem sonhar, desejar um dia colocar as suas cabeças cansadas no ombro do Mestre. Todos vocês podem, ao dormir, imaginar a cabeça deitada no colo de Jesus. Ele sempre gostou disto. Não pense que o nosso Mestre é um Mestre da arrogância, ele gostava de alisar a cabeça dos discípulos, ele gostava quando os discípulos encostavam perto dele.

Nosso Mestre é um Mestre de plena expressão de carinho. Todos vocês que sofrem, por que não buscar este Mestre carinhoso? Por que não sonhar com o consolo deste Mestre? Por que não imaginar esse Mestre alisando nossas cabeças, nossos corações, nos consolando?

Ele sempre fez isso. Ele sempre gostou disso, alisava as crianças olhando-as com ternura, olhava as mulheres com um carinho mais do que maternal. Abraçava os homens apiedando-se de suas dores. Não é outro o nosso Mestre, nosso Mestre é este. Nosso Mestre é o Mestre da ternura.

Por isso compreendam quanto mais profundas e angustiantes forem as suas dores, e mais vocês buscarem esse consolo suave, mas verdadeiro, mais vocês estarão construindo uma vida profunda.

Porque aqui digo algo que vocês não sabem: para todos vocês da civilização terrena, principalmente, arianos que me escutam, que são todos que me escutam hoje, quero dizer: aprender a receber o consolo do Cristo é uma conquista imensa que vocês devem se dedicar, porque vocês não aprenderam, civilização ocidental, civilização que se diz cristã. Vocês ainda não aprenderam a receber o consolo de Jesus e isso é muito triste.

Tenham em mente que aprender a receber o consolo do Cristo é uma conquista espiritual de valor incalculável, de valor eterno. Então, precisam aprender. Treinem, esforcem-se é indispensável para cada um de vocês.

Aprender a receber o consolo do Mestre, por isso encerro pedindo, apelando a cada um de vocês: imaginem nesse instante que o Mestre toca o rosto com uma das mãos, e toca com a outra o coração de vocês, e diz: meu irmãozinho amado, minha irmãzinha querida, sinta as minhas mãos. Estou aqui porque você me pediu.

Que vocês fiquem em paz, do amigo espiritual de sempre.

One comment

Leave a Reply