NG #220 – Sonambulismo: liberdade condicional

Allan Kardec relaciona o sonambulismo com o sonho. Ensina: todos temos experiências sonambúlicas regularmente.

Matar o sonho é matarmo-nos. É mutilar a nossa alma. 
O sonho é o que temos de realmente nosso, de impenetravelmente e
inexpugnavelmente nosso.


Fernando Pessoa

Livro dos Espíritos

425. O sonambulismo natural tem relação com os sonhos? Como se pode explicá-lo?

“É uma independência da alma, mais completa do que no sonho e, então, suas faculdades ficam mais desenvolvidas; ela tem percepções que não tem no sonho, que é um estado de sonambulismo imperfeito.

No sonambulismo, o espírito se acha na posse plena de si mesmo; os órgãos materiais, estando de alguma forma em estado de catalepsia, não recebem mais as impressões exteriores. Este estado se manifesta, principalmente, durante o sono; é o momento em que o espírito pode deixar, provisoriamente, o corpo, porque este está entregue ao repouso indispensável à matéria. Quando os fatos de sonambulismo se produzem, é porque o espírito, preocupado com uma coisa ou outra, entrega-se a uma ação qualquer que necessita da utilização de seu corpo, do qual se serve, então, de uma forma análoga ao uso que ele faz de uma mesa ou de qualquer outro objeto material, no fenômeno das manifestações físicas ou, mesmo da vossa mão, no das comunicações escritas. Nos sonhos de que se tem consciência, os órgãos, inclusive os da memória, começam a despertar; estes recebem imperfeitamente as impressões produzidas pelos objetos ou causas externas e as comunicam ao espírito que, então, também em repouso, delas apenas percebe sensações confusas e frequentemente desordenadas e sem nenhuma razão de ser aparente, misturadas que estão com vagas lembranças, seja desta existência, seja de existências anteriores. É fácil, então, compreender por que os sonâmbulos nenhuma recordação guardam, e por que os sonhos, de que se conserva a memória, na maioria das vezes, não têm sentido algum.

Digo na maioria das vezes, pois também acontece serem a consequência de uma recordação precisa de acontecimentos de uma vida anterior e, algumas vezes, até uma espécie de intuição do futuro.”

Mensagem de Encerramento

Que a paz do Cristo esteja sempre em nossos corações.

O sonambulismo é um tema que temos muito apreço e iremos estudar muito, muito mesmo, e iremos praticar.

De início, quero que vocês entendam: todos esses fenômenos têm como base principal um coração em paz. Um coração pacificado. Portanto, quem quiser estudá-los de forma séria para poder vivê-los, em algum grau, em um grau interessante, responsável, precisa ter vida pacífica. E vida pacífica é um esforço diário.

Espíritas que querem ter experiências sérias não pode passar um dia todo agitado sem se cuidar. Tem que ter momentos, começo, em fim do dia, um momento, ao menos, para acalmar o coração.

Não pode dormir com vibrações desesperadas, isso é horrível. Não pode começar o dia se atropelando. Isso é estúpido. Precisa com seriedade ter uma pauta de equilíbrio, tem que ter prática de equilíbrio.

Bem… Quando eu estou nesta situação de hesitação, eu preciso ter um procedimento. Como me acalmo? Tem que buscar as formas que funcionam de verdade. Ah… Eu consigo me acalmar muito quando tomo banho… Ótimo, então já sabe, nesta situação toma um longo banho… Ah… Eu me acalmo muito ouvindo determinado estilo de música… Excelente! Vai ouvir determinado estilo de música… Ah… Eu me acalmo fazendo exercício respiratório… Ótimo, faz exercício respiratório… Isto é a base, filhos.

Muitos trabalhos não são feitos porque os espíritas não querem se cuidar…

Acham que é só chegar num momento da prática, seja ao dormir ou em centro espírita, fazer uma prece mal feita qualquer e pronto, os espíritos vão resolver…

Pense se isto é atitude de um trabalhador sério? Não pode. Ah… Estou todo sujo, como sujo vou fazer operação e eles que resolvam… Não filhos. Cada um é responsável pela sua higiene pessoal, pela sua higiene psíquica…

Insisto sempre: quer chegar a alcançar outros mundos? Quer ter experiências extraordinárias? Comece hoje investindo com muita disciplina, com continuidade, com seriedade verdadeira, minutos preciosos: cinco, dez minutos para acalmar, para equilibrar; e por favor não diga que não tem este tempo, porque você estará dizendo: estou condenado ao inferno… Deus não condena ninguém, você, se diz isso, é que esta se condenando, filho – preciso ser sincero…

Porque ninguém no universo vai equilibrar você, se você não quiser se dedicar a isto. Nem o Cristo. Porque ele exige de nós muita responsabilidade… Você não vai poder dizer com seriedade: ah… Eu não tenho cinco minutos para me acalmar… Porque se você não tem, você está dizendo que o universo foi feito de maneira errada… E isso não é verdade. Isso é simplesmente uma blasfêmia.

Precisamos então montar grupo de trabalho, para isso precisamos de pessoas centradas que se tornem capazes de se acalmar diariamente, de não alimentar tanta loucura e tanta perturbação. Se tivermos isso, conseguiremos trabalhar em nome do Cristo, porque seremos uma equipe que aprendeu a conquistar e a manter a paz.

Que o Cristo nos ampare sempre,

Do amigo espiritual de sempre.

Deixe uma resposta