Nova Geração 224 – Sonambulismo e desencarne – Livro dos Espíritos, perguntas 436 a 438

A experiência do sonambulismo e do desencarne são semelhantes. A primeira prepara-nos para o desencarne de forma adequada se seguirmos as verdades que ela revela.

 Do Além


Pudesse o nosso olhar, vagueando os ermos,
Ver através da própria soledade
A expressão luminosa da Verdade,
E da luz da Verdade não descrermos...


Preocupar-se aí, porém, quem há de
Com o problema de sermos ou não sermos,
Pois que o ardente desejo de o sabermos
É sempre o anelo falso da vaidade?


Peregrinos da dor, na dor andamos
Sem que a nossa miséria se desfaça
No escabroso caminho onde marchamos,


Seguindo a alma nos sonhos iludida,
Até que a dor unindo-se à desgraça
Descerre os véus que encobrem outra vida.


Antônio Nobre,1900, poeta português.

Extraído: Parnaso de Além-Túmulo, Editora Feb.

Livro dos Espíritos

436. O sonâmbulo que vê, a distância, vê do ponto em que se acha seu corpo ou daquele em que está sua alma?

“Por que esta pergunta, já que é a alma quem vê e não o corpo?”

437. Já que é a alma que se transporta, como o sonâmbulo pode experimentar, em seu corpo, as sensações de calor ou de frio do lugar onde se encontra sua alma que está, algumas vezes, bem distante de seu corpo?

“A alma não deixou inteiramente o corpo; mantém-se sempre ligada a ele pelo elo que os une; é esse elo que é o condutor das sensações. Quando duas pessoas se correspondem de uma cidade a outra, através da eletricidade, é a eletricidade que constitui o elo entre seus pensamentos; é por isso que se comunicam, como se estivessem uma ao lado da outra.”

438. O uso que um sonâmbulo faz da sua faculdade influi no estado de seu espírito depois da morte?

“Muito, como o bom ou o mau uso de todas as faculdades que Deus deu ao homem.”

Mensagem de encerramento

Categories: Nova Geração

O que você achou?