Nova Geração 276 – Se tiver de ser

Livro dos Espíritos

526. Tendo uma ação sobre a matéria, os espíritos podem provocar certos efeitos, visando fazer com que se cumpra um acontecimento? Por exemplo, um homem deve morrer: sobe numa escada, a escada se quebra e o homem morre; foram os espíritos que fizeram a escada quebrar-se, para que o destino desse homem se cumprisse?

“É bem verdade que os espíritos têm uma ação sobre a matéria, mas para o cumprimento das leis da Natureza e não, para as derrogar, fazendo surgir, em dado momento, um acontecimento inesperado e contrário a essas leis. No exemplo que citas, a escada se partiu porque estava podre ou não era bastante forte para supor- tar o peso do homem; se estivesse no destino de tal homem perecer daquela maneira, eles lhe inspirariam a ideia de subir naquela escada, que deveria quebrar-se sob o seu peso, e sua morte aconteceria por um efeito natural e sem que fosse necessário fazer um milagre para isso.”

527. Tomemos um outro exemplo em que o estado natural da matéria não apareça. Um homem deve perecer fulminado por um raio; refugia-se debaixo de uma árvore, o raio cai e o mata. Coube aos espíritos provocar o raio e dirigi-lo para ele?

“Ainda é a mesma coisa. O raio caiu, sobre aquela árvore, na- quele momento, porque estava nas leis da Natureza que assim fosse; ele não foi dirigido para aquela árvore porque o homem se achasse debaixo dela, mas ao homem foi inspirada a ideia de se refugiar sob uma árvore, sobre a qual o raio deveria cair, pois a árvore não deixa- ria de ser atingida, estivesse ou não o homem debaixo dela.”

528. Um homem mal-intencionado dispara contra alguém um projétil que passa de raspão e não o atinge. Um espírito bondoso pode tê-lo desviado?

“Se o indivíduo não deve ser atingido, o espírito bondoso lhe inspirará a ideia de se desviar ou, então, poderá ofuscar seu inimigo, de maneira a fazê-lo errar a pontaria, pois, uma vez disparado, o projétil segue a trajetória que deve percorrer.”



Mensagem de encerramento

Que a paz do Cristo esteja sempre conosco, nos ajudando a compreender esta doutrina maravilhosa de beleza e sabedoria. 

Vejamos aqui a grandeza de Allan Kardec, esta mente poderosa, extraordinariamente bela, que busca organizar sequência de questões de perguntas e respostas. Que busca citar coisas muito didáticas, mas que tocam na estrutura do universo. Será que vocês entendem isto? 

O que Kardec está aqui exemplificando, com um homem que cai da escada? Com sujeito que leva um raio debaixo de uma árvore? Com um tiro de revolver? Vocês entendem o que Kardec está fazendo? Ele está mostrando a dinâmica, a interação dos espíritos com o universo.

Muito bonito, muito belo! Porque do mesmo jeito que os espíritos não interferem na trajetória de um projétil, de uma bala, do que for: de rifle, revolver, canhão…Do que for… Eles também não interferem na trajetória dos planetas e astros. Dá para entender isto, filhos? Mas, eles estudam as circunstâncias e aproveitam, é isto que acontece. Aproveitam da mesma forma.

Espírito sabe que em tal período, tal região da Terra vai estar muito mais quente, muito mais fria. Em tal período tal região do globo vai ter movimentação geológica, que para vocês significa terremoto.

O mar vai mudar de configuração, vai subir, descer… Isto eles já sabem, pois têm consciência onde estará o planeta, onde estará o Sol e todo o conjunto de astros que influenciam estas circunstâncias.

Da mesma forma que o espírito que estuda ou que trabalha com isto sabe: tal configuração de nuvens, de temperatura, de pressão irá gerar um raio e ele irá cair neste local. É simplesmente isto! 

Por isto os espíritos podem prever acontecimentos da história e podem intervir em algumas coisas e noutras, não. Vejam a grandeza de Kardec, filhos, com estes exemplos simples que alguns estúpidos não valorizam. Kardec está elaborando teoria da presciência e da intervenção nossa (dos espíritos) nos acontecimentos da história. Está aí já. Mas ele começa com tanto carinho que vocês não notam. Começa com uma maneira tão simples, que vocês dizem: ah… É só um exemplo curioso. É só uma história: legal – como vocês falam.

Não filhos! Kardec está mostrando como no universo os espíritos puros conduzem as galáxias. Esta é a grandeza deste espírito! Nenhum outro faria coisa tão bela. Porque consegue falar coisas que, se quiserem, todos vocês entendem. Se for um mínimo lúcido, um mínimo de humildade e pensar seriamente no que este ser, esse homem, escreve, vocês compreenderiam muito mais coisas e é este o nosso desafio no movimento espírita de hoje. Ajudar vocês a entenderem isto. Um dia, isto será desenvolvido e os que conseguirem refletir, entenderão de forma muito simples, revelações ainda mais belas e grandiosas. 

Espero que vocês meditem com muita seriedade a grandeza em cada exemplo e em cada questão deste livro. 

Muita paz,

Do amigo espiritual de sempre. 


                       Livro dos Espíritos 
                          Segunda Parte 
Capítulo IX Intervenção dos Espíritos no Mundo Corporal
                                 -
1. Penetração dos espíritos no nosso pensamento.
2. Influência oculta dos espíritos nos nossos pensamentos e nas nossas ações.
3. Possessos.
4. Convulsionários.
5. Afeição dos espíritos por certas pessoas.
6.Anjos guardiães, espíritos protetores, familiares ou simpáticos.
7. Pressentimento.
8. Influência dos espíritos nos acontecimentos da vida.
9. Ação dos espíritos nos fenômenos da Natureza.
10. Os espíritos durante os combates.
             
                 Perguntas do capítulo 459 a 557
Categories: Nova Geração

O que você achou?