Nova Geração Apocalipse – Capítulo 6 – Quarto Selo

Os Selos - Capítulo 6 - Quarto Selo

Ouça o Nova Geração Apocalipse – Capítulo 6 – Quarto Selo

Apocalipse, capítulo 6

7. Quando abriu o quarto selo, ouvi a voz do quarto ser vivo que dizia: Vem! Vi aparecer um cavalo esverdeado [pálido, amarelo]; seu cavalo se chama Morte, eo Hades o acompanha. Deram-lhe poder para matar a quarta parte dos habitantes do mundo, com espada e a fome e a peste e as feras da terra.

Bíblia do Peregrino. Apocalipse. Capítulo 6:7-8

Diálogo mediúnico

Que a paz do Cristo nos ilumine a tal ponto que o nosso coração esteja neste momento repleto de paz, de harmonia e da alegria pelo Mestre ter confiado a nós testemunhos tão maravilhosos em um tempo tão difícil. O amor sempre ampara. O amor impulsiona para o Mais Alto. E é vencendo dificuldades enormes que nós crescemos para Deus.

Podemos iniciar. 

Muito obrigada pela sua presença hoje. A nossa pergunta é: do ponto de vista espiritual como poderíamos entender o Cavaleiro Amarelo?

É aquele que congrega os fragmentos do mal. Isto é importante entender. Ele junta a falha de um com a falha de outro com a negligência de outro e faz um mal maior. Por isso, o nome dele é Morte. Por quê? Porque ele utiliza-se –  falo de ponto de vista mais espiritual, que é minha parte, como vocês sabem – ele utiliza-se dos diferentes vícios e defeitos para gerar um imenso impacto negativo de tristeza no mundo material. 

Percebe? Um é violento, o outro é seco, cruel, mas com limites. Ele usa a agressividade de um e a frieza do outro. Então é algo que é, ao mesmo tempo, frio e agressivo, uma combinação muito triste. Ao mesmo tempo que é agressivo para matar, é frio para calcular. 

Às vezes, a pessoa agressiva é mais fácil de ser convertida, porque pelo menos ela abre mais seu coração. Às vezes, a pessoa que busca de forma errada a justiça pode ampliar mais facilmente sua visão ou com menos dificuldade. Mas aquele que integra a agressividade com a frieza que gera o sofrimento, torna-se agente muito capaz de gerar morte no mundo, porque não se sensibiliza e porque age com frieza, mas tem o impulso de atacar o outro. 

O Cavaleiro Negro ele gera desgraça, mas ele não ataca de frente. Podemos dizer, de ponto de vista espiritual, ocorre uma soma de paixões inferiores que caracterizam esse cavaleiro. É o prazer pelo sofrimento do outro, é o prazer que aniquila o sonho do outro. 

Veja que os dois anteriores, negativos, eles ainda têm um sonho. Mentiroso, mas um sonho. O vermelho sonha em implantar algo bom pelo mal, estupidez, mas sonha. O preto sonha em impor um determinado tipo de ordem, inferior e mesquinha, mas ele tem medidas, ele busca alguma ordem. 

O amarelo não sonha. Ele não tem nem sequer ideal. Que ideal propõe o Cavaleiro Amarelo? Nenhum. Dominar, usando a agressividade e a frieza. Não há nada que empolgue coração, isso o torna perigoso. Porque os apelos da consciência não encontram brecha no ser. Quando falo ser, falo de indivíduos e de grupos de indivíduos, porque é uma estrutura que não se remete, nem de forma indireta, a um ideal superior. Isto muito perigoso.

Como fazer? Já foi dito. Como lidar com isso? Apenas quem alimenta o ideal verdadeiramente superior pode resistir aos encantos do Cavaleiro Amarelo, pálido, tenebroso. Como assim? como assim? Explico. Apenas quem vibra com o Mais Alto, quem sonha com o mundo verdadeiramente justo, quem alimenta as esperanças sinceras do Reino de Deus no mundo terá força para se opor. 

Porque não se trata mais de uma luta de ideais. Não se trata mais da luta de um ideal verdadeiro com o falso. Se trata da luta de um ideal verdadeiro e daquele que quer destruir o ideal verdadeiro. Vocês entendem isso? É diferente. Não são pessoas buscando um céu mentiroso e pessoas buscando um céu verdadeiro, se trata da seguinte disputa: pessoas buscando o verdadeiro Reino de Deus e pessoas que buscam destruir isso. É uma luta muito mais acirrada. É uma luta onde o poder se torna muito destrutivo, porque ele tem a frieza do cálculo e disposição do ataque. Não é alguém que ataca descontrolado. É alguém que quer atacar, mas é um ataque construído passo a passo, lentamente.

O Vermelho é aquele que ataca e sai destruindo, o amarelo calcula e destrói com técnica, com rigor, com uma metodologia milimétrica. Com um cálculo muito preciso, por isso, terá o poder de matar uma parte grande da humanidade. 

Espíritas, que importa a morte física se vossas almas estiverem vinculadas ao Mais Alto? Só vencerá os ataques do Cavaleiro Amarelo aqueles que entenderem isso. Aqueles que se apegam ao mundo se tornarão seus escravos. Aqueles que não valorizam mais vida espiritual que vida física, se curvarão diante dele. 

Por isso, Allan Kardec tanto insistiu em dizer que o espírita valoriza mais a vida espiritual do que a vida material, porque todos aqueles que mais valorizarem vida material jamais escaparão das artimanhas do Cavaleiro Amarelo, jamais. Porque ele une a agressividade, o desejo de matar, com cálculos muito precisos para cercar a todos, naturalmente, sabemos: aqueles que amarem o Cordeiro jamais serão presos nessas armadilhas. 

Por isso, dizemos, a única forma de escapar de todos esses ataques: entregue-se de coração a Deus, componham-se intimamente com os trabalhadores do Cristo. Entendam que vocês são espíritas e para o espírita a vida no mundo vale muito pouco e o valor que ela possui é o valor da oportunidade sublime de testemunhar em nome do Cristo.

Irmãos, irmãs, fiquem em paz, se vocês já se tornaram espíritas. Angustiem-se se o teu Espiritismo é de fachada, porque chegou o tempo que os espíritas verdadeiros serão destacados pelo testemunho silencioso e receberão um amparo extraordinário e os falsos serão levados pelas correntezas do mundo, porque quiseram enganar a Deus e não conseguiram enganar nem aos homens. Porque o papel desses três terríveis Cavaleiros é mostrar o valor da Verdade e a tristeza que é viver na mentira.

Que vocês fiquem em paz,

Do amigo espiritual de sempre.

As sete comunidades a que se refere o Apocalipse localizam-se na Ásia menor (hoje, Turquia) e são próximas umas das outras.
A ilha de Patmos, onde se acredita que o apóstolo João recebeu a revelação.

O Livro dos Espíritos - Pergunta 728 e 732

728. A destruição é uma lei da Natureza?
“É preciso que tudo se destrua para renascer e se regenerar; pois o que chamais destruição é apenas uma transformação, que tem como objetivo a renovação e a melhoria dos seres vivos.”

732. A necessidade de destruição é a mesma, em todos os mundos?
“Ela é proporcional ao estado mais ou menos material dos mundos; cessa com um estado físico e moral mais depurado. Nos mundos mais adiantados que o vosso, as condições de existência são completamente diferentes.”
Ruínas históricas das cidades citadas no Apocalipse
Previous
Next

O que você achou?