Nova Geração Livro dos Espíritos – Questão – 565 e 566 – Arte e Mundo Espiritual

Previous
Next

Livro dos Espíritos

Segunda Parte – Mundo Espírita ou Dos Espíritos 

Capítulo X -Ocupações e missões
dos espíritos

Livros
Dos
Espíritos

565. Os espíritos examinam nossos trabalhos de arte e se interessam por eles?
“Examinam o que pode demonstrar a elevação dos espíritos e seu progresso.”
566. Um espírito que teve uma especialidade na Terra, um pintor, um arquiteto, por exemplo, interessa-se, preferencialmente, pelos trabalhos que constituíram o objeto de sua predileção, durante sua vida?
“Tudo se confunde num objetivo geral. Se ele for bom, interessa-se por eles, na medida em que isso lhe permita auxiliar as almas a se elevarem para Deus. Além disso, esqueceis que um espírito que cultivou uma arte numa existência em que o conhecestes, pode ter cultivado uma outra, em outra existência, pois é preciso que saiba tudo, para ser perfeito; assim, conforme o seu grau de adiantamento, pode não haver, para ele, uma especialidade; foi o que eu quis dizer, afirmando que tudo isso se confunde num objetivo geral. Notai, ainda, o seguinte: o que é sublime para vós, no vosso mundo atrasado, não passa de infantilidade, comparado aos mundos mais adiantados. Como quereis que os espíritos que habitam esses mundos, onde existem artes desconhecidas para vós, admirem o que, para eles, é apenas uma obra de colegial? Eu já disse: eles examinam o que pode demonstrar o progresso.”
a) Concebemos que deva ser assim, para espíritos muito adiantados; mas falamos dos espíritos mais comuns e que ainda não se elevaram acima das ideias terrestres...
“Para esses, é diferente; o ponto de vista deles é mais limitado e podem admirar o que vós mesmos admirais.”

Mensagem de encerramento

Queridos filhos, filhas, 

Que o Cristo possa ser sentido em seus corações, pois é aí o lugar que Ele mais deseja habitar. Não reste nenhuma dúvida sobre isto.  

Falar da beleza para vocês é muito difícil, porque quase todos estão embotando a sua capacidade de sentir a beleza. Poucos espíritas cultivam, como faziam os cristãos, a alegria de sentir Deus na natureza. Estão adotando o padrão inferior do mundo: detestam o sol e reclamam da chuva. Isto é muito triste. 

Porque não aprender primeiro a ver beleza em cada coisa: uma pequena planta, um pequeno pássaro, uma árvore, o formato de uma folha, o trabalho de uma formiga, a beleza das estrelas? Quanta beleza o indivíduo mais restrito não tem acesso, mesmo na Terra! Quanta beleza, quanta poesia, quanta ternura, não pode envolver se ele quiser?  

Filho, faça uma experiência: fecha os olhos e sente o vento tocando em tua pele. Apenas isto, é uma carícia que hoje a maioria despreza. Filho, admira os sons belos do canto do pássaro, da chuva caindo na terra. Quanta coisa é possível, mesmo para aqueles que vivem em uma cidade imensa, onde o amor não é concretizado na arte

Não podemos esquecer que a arte verdadeira é uma expressão objetiva do amor de Deus. Não é possível amar e não produzir beleza. O amor, naturalmente, produz beleza. Porque o que é o amor senão o sentimento que quer que o outro esteja feliz? E como agradar outro a não ser ofertando o que é belo? Muito importante isto. O Cristo sempre ofertou beleza a todos que estavam a redor dele. 

Ora! Não são bonitas as histórias que ele criou para levar beleza e paz ao coração humano? Não é bonita a poesia chamada de Sermão do Monte? Isto tudo é beleza!  Não é bonito o verdadeiro espetáculo dele andando sobre as águas? Ou não é um espetáculo de beleza?  

O Cristo, filhos, fez tudo para tocar o coração de vocês e dizer: Deus é belo! Deus quer que esta beleza seja toda sua. E tudo que não é belo será transformado, será aperfeiçoado, porque a verdadeira beleza é a expressão mais pura do alto. 

Fiquemos, filhos, com Allan Kardec que diz a todos: Fora da Caridade não há Salvação. Mas explica que aquele que produz e compartilha a beleza pratica uma das mais belas formas de caridade. Quantos Espíritos da Codificação não disseram isto? Como não entender? Será que as mensagens tão sublimes do Espirito Verdade, não são uma forma de caridade dele para com toda a humanidade? Será que as imagens imponentes criadas por Lázaro não são para vocês uma atitude de amor e de caridade deste Espírito tão belo?  

É preciso que vocês entendam que o Espiritismo está muito além de um mero conjunto de postulados. O Espiritismo compõe um caminho, uma verdadeira e sublime arte. Não apenas para instruir, mas também para iluminar. Não apenas para explicar, mas também para emocionar. Por isto diz Kardec: o verdadeiro espírita não é aquele que sabe, mas aquele que serve. 

Sigamos o caminho do mestre de Lion, para jamais nos esquecermos de cultivar o amor verdadeiro que se transforma em verdadeira beleza de todas as formas.  

Que vocês fiquem em paz, 

Do amigo espiritual de sempre. 


Outros Programas

Nova Geração Apocalipse – O Sétimo Selo: Quatro primeiras Trombetas e a Águia

Sétimo Selo, Capítulo 8 <a href=”https://grupomarcos.com.br/wp-content/uploads/2021/04/NG-AP-CAP-8.mp3&#8243; target=”_blank” role=”button” rel=”noopener”> Baixe o áudio </a> <img width=”750″ height=”750″ src=”https://grupomarcos.com.br/wp-content/uploads/2021/04/NG-AP-13-768×768.png&#8221; alt=”” loading=”lazy” srcset=”https://i0.wp.com/grupomarcos.com.br/wp-content/uploads/2021/04/NG-AP-13.png?resize=768%2C768&ssl=1

Categories: Nova Geração

O que você achou?