Nova Geração Apocalipse – Capítulo 21 – parte 2 – A Nova Jerusalém

capítulo 21

Ouça o Nova Geração Apocalipse – 21 – 2 – A Nova Jerusalém

Apocalipse, capítulo 21

21 Novo céu e nova terra – Vi um céu novo e uma terra nova. O primeiro céu e a primeira terra desapareceram, o mar já não existe. Vi a cidade santa, a nova Jerusalém, descendo do céu, de junto de Deus, preparada como noiva que se apronta para o noivo. Ouvi uma voz potente que saía do trono: Eis a morada de Deus entre os homens: habitará com eles; eles serão seus povos, e o próprio Deus estará com eles. Enxugará as lágrimas de seus olhos. Já não haverá morte nem luto nem clamor nem dor. Tudo que é antigo passou. Aquele que estava sentado no trono disse: Eis que renovo o universo. E acrescentou: Escreve, estas minhas palavras são verdadeiras e fidedignas. E me disse: Acabou. Eu sou o alfa e o ômega, o princípio e o fim. Ao sedento darei de beber gratuitamente do manancial da vida. O vencedor terá tudo isso em herança. Eu serei o seu Deus e ele será meu filho. Ao contrário, os covardes e infiéis, os depravados e assassinos, os fornicadores e feiticeiros, os idólatras e mentirosos de toda espécie terão sua parte no fosso de fogo e enxofre ardente (que é a morte segunda). 

 

A nova Jerusalém – Aproximou-se um dos sete anjos que tinham as sete taças cheias das últimas pragas, e me disse: Vem, vou te mostrar a noiva, a esposa do Cordeiro.

Transportou-me em espírito a uma grande e elevada montanha, e me mostrou a cidade santa, Jerusalém, que descia do céu, de junto de Deus, resplandecente com a glória de Deus. Brilhava como pedra preciosa, como jaspe cristalino. Tinha muralha grande e alta, com doze portas e doze anjos nas portas, e gravados os nomes das doze tribos de Israel. Ao oriente, três portas; ao norte, três portas; ao sul, três portas; ao ocidente, três portas. A muralha da cidade tem doze pedras de alicerce, que trazem os nomes dos doze apóstolos do Cordeiro. Aquele que falava comigo tinha uma cana de ouro para medir, a fim de medir a cidade, as portas e a muralha. A cidade tem um traçado quadrangular, largura e comprimento iguais. Mediu a cidade com a cana, doze mil estádios: comprimento, largura e altura iguais. Mediu a muralha: cento e quarenta e quatro côvados, na medida humana que o anjo usava. O material da muralha era de jaspe, a cidade de ouro puro, límpido como cristal. Os alicerces da muralha da cidade estão adornados com pedras preciosas. O primeiro alicerce de jaspe, o segundo de safira, o terceiro de calcedônia, o quarto de esmeralda, o quinto de ônix, o sexto de cornalina, o sétimo de crisólito, o oitavo de berilo, o nono de topázio, o décimo de crisópraso, o décimo primeiro de turquesa, o décimo segundo de ametista. As doze portas são doze pérolas, cada porta uma única pérola. A praça da cidade era de ouro puro, límpido como cristal. Não vi nela nenhum templo, porque o Senhor Deus Todo-poderoso e o Cordeiro são o seu templo. A cidade não precisa que o sol a ilumine nem a lua, porque a glória de Deus a ilumina, e sua lâmpada é o Cordeiro. À sua luz caminharão as nações, e os reis ao seu esplendor. Suas portas não se fecharão de dia. Aí não haverá noite. Irão trazer-lhe a riqueza e o fausto das nações. Nada de profano nela entrará, nem depravados nem mentirosos; entrarão somente os inscritos no livro da vida do Cordeiro.

 

Diálogo mediúnico

 

Pergunta: Em que momento a maior parte dos espíritos mais grosseiros já terão deixado a Terra? Ou ainda: quando, de fato, nós sentiremos, aqueles que ficarem, algum alívio em relação à situação tão sofrida da Terra?

 

Queridas filhas, queridos filhos,

Que o Cristo nos ilumine e ampare nesse instante. Queremos conversar com vocês sobre esse assunto tão oportuno e tão necessário. Claro que quando fala Jerusalém celeste não é uma cidade de pedra, filhos, por favor. E, ao mesmo tempo, é, se vocês entenderem símbolo. Ora, o que diz o texto de João? Cada apóstolo é representado por uma pedra preciosa. Então, quando se fala de medidas, de pedras, de materiais, estamos falando de tipos de comunidade de espíritos. Entende, filho? Que espíritos representam ou são simbolizados pela pedra turquesa? Que espíritos são representados por safira? E assim sucessivamente.

Porque o casamento, que é a integração profunda, se dá entre esta multidão de espíritos evoluídos com características diferentes; todos são grandes, todos são preciosos, mas cada grupo tem a sua particularidade. Cada grupo atua em setores, em departamentos, mas todos estão casados com o Cristo. Todos estão vinculados numa união que o mundo não conhece com o Cordeiro. Por isso o casamento. Eles vêm se unir no mundo físico, na Terra. Eles vêm trazer para nós do mundo inferior a vibração e a vida superior. Dá para entender isso, filho? Penso que não estou falando tão complicado.

Por isso dá a dica: cada apóstolo é pedra. Então, vamos entender que estamos falando de vários, dezenas de grupos espirituais que são divididos em doze, em grandes grupos, que também têm subgrupos. Por quê? Porque imagine que um dia vocês vão saber quantas pedras têm neste quadrado que é a cidade. Tem medidas. Então temos quantidades. Temos doze tipos centrais. Mas temos milhares de milhões de espíritos. Sim, isso muda todo o planeta. Isso muda o mundo. Assim conseguimos uma transformação verdadeira. O que eles construirão é uma nova Terra. Uma nova sociedade. Em todos os quadrantes. Cada um atuando de sua forma. Porém. Que tal entender isso? Porém. Cada porta simboliza um dos doze. Cada porta é protegida por um anjo. Que é isso, filho? Que os maus não poderão destruí-los. Entende? Não vai ser possível destruí-los. Porque há um anjo que cuida da proteção de cada grupo.

Como é bela a obra de Deus, como nós gostaríamos de falar tantas coisas mais que tem nesse texto tão curto, tão condensado. E quantos estudos nós fazemos com ele aqui. E vocês nem ligam, meu Deus. Mas para que nós possamos explicar vocês têm que primeiro pesquisar. Se não, vocês não crescem. Nós podemos contribuir mostrando que não é uma esquisitice. Não é uma invenção qualquer que 144 mil é um número importantíssimo. Porque cada um desses 144 mil cuidará de alguns milhares de espíritos que seguirão suas inspirações e tudo se multiplica. E tudo cresce. E tudo se expande porque a luz não conhece barreiras.

Veja como os símbolos interagem e se explicam mutuamente. Estamos falando de uma ação global, a do mundo que se renova. É do mundo que se trata o processo de renovação, de todo o orbe. Todo o planeta. Todas as sociedades. Cada um conduzido segundo suas características peculiares, mas todos têm a sua entrada na Jerusalém celeste. Todos irão entrar. E no centro, na praça dourada, todos irão se encontrar. Imagine: cada grupo imenso entra por uma porta. Que acontecerá? Se encontrarão todos no centro. Esses espíritos vão trabalhar muitas coisas para conseguir fazer essa integração amorosa, laboriosa e digna do Cordeiro. Isto muito importante, pelo menos entender isso, filhos. Tem tanta coisa mais bela.

Cada uma dessas pedras possui histórias extraordinárias e multimilenares. Porque cada uma delas foram apóstolos. Não só um dos doze, mas foram apóstolos do Cristo em momentos muito diferentes da história e todos eles estiveram com o Cristo no planeta. Porque é preciso. Porque para casar tem que ter havido o noivado. O que digo é que esses espíritos estão com o Cristo desde mais tempo que vocês imaginam e com ele se encontraram nesse mundo. Não penso que seja tão terrível entender isso. Não penso que seja tão difícil. Aqui quero apenas que vocês sintam. Comecem a compreender. Iniciem uma compreensão mais séria do texto apocalíptico. Não é uma coisinha. São revelações que vão nortear toda a reestruturação do mundo.

Portanto, caberá a estas pedras preciosas, a esses apóstolos valorosos, milhares. Porque se vocês, com cuidado e cautela, souberem multiplicar as medidas dadas vocês saberão quantos espíritos desses estarão na Terra. Esta é a verdade, este é o cálculo da Jerusalém celeste. Não abordaremos isso aqui, porque apenas quero apontar para vocês que existem coisas muito importantes nesse texto do grande João. Muito.

E agora eu vou à pergunta que foi feita: poucas décadas, filho. Vocês não têm que se preocupar tanto. Vocês têm que se preparar tanto, isto necessário. É preciso se preparar muito. Preciso se preparar muito. Preciso se preparar todos os dias. É uma preparação, como disse em outras ocasiões, de atleta. De atleta olímpico. Todo dia treino, todo dia avaliação. Todo dia aprofundar, fortalecer sintonia com o Cristo. Tá cansado? Não consegue? “Anjo da guarda, tô precisando de você, por favor me ajuda, estou só pensando besteira”. Não, não. Aquieta, faz prece. Pede um passe, pede ajuda. E, em poucas décadas, filhos, vocês verão transformações tão profundas que prefiro não descrever, porque gera confusões. Mas posso garantir para vocês: são décadas, como vocês dizem aqui, que se contam nos dedos de uma mão.

Por que digo isso? Porque às vezes nós temos que esperar que um tutelado encarnado vinculado a um terrível líder das trevas desencarne para tirarmos os dois do mundo. Entende isso, filho? Então, existem questões complexas. Não se pode simplesmente “ah, vou tirar”. Existem espíritos tão profundamente vinculados magneticamente que é melhor, mais inteligente, causa menos sofrimento, nós podermos agrupá-los todos e mudá-los em conjunto. Tem líder que tem cinco, dez, quinze pessoas encarnadas no momento. Os outros não encarnam mais. Mas aqueles 15, 30 ou 40, precisam desencarnar para reagruparmos aquele grupo e poder encaminhá-los. Isto é muito importante para o futuro desses espíritos, muito importante.

Então não pense que esses grandes criminosos são sozinhos do ponto de vista espiritual. Às vezes uma pequena multidão. E há os líderes deles. Então precisamos integrar tudo isso. Esse reagrupamento já está sendo feito. Hoje, agora, está sendo feito. Está sendo monitorado, cada grupo tem uns prazos e isso levará poucas décadas. E quando isso for feito, esses grupos, esses imensos grupos – que são muitos grupos, esse imenso número de espíritos – forem retirados da Terra, do planeta, do ambiente espiritual da Terra, depressão diminui, suicídio diminui, uma série de coisas. Propensão ao crime diminui. Não é que quem tá na Terra vai ficar bom, mas vai ter um ambiente psíquico menos estimulador do ódio, da maldade, enfim, de tudo de ruim. Então, por isso, não tá resolvido. Porque há esse processo delicadíssimo, só tô dando um pequeno exemplo para que vocês entendam que “por que não tô vendo hoje grande transformação, não tá sendo feito nada, é tudo história”. Não. Há devoção profunda em relação a tudo isso. Há um cuidado profundo para que todos sejam resgatados com a menor dor possível, com o menor sofrimento possível e que haja uma preparação para que a estadia nos mundos mais inferiores que a Terra seja a mais proveitosa possível, porque a ordem do Cristo é ajudar a todos. Sem exceção, com misericórdia.

Acompanhei um dia o trabalho de aprisionamento de um imenso líder das trevas. Regiões imensas. Foi um trabalho complicadíssimo. Esse espírito foi conseguido prendê-lo. Trazê-lo de forma sem causar um pânico terrível. Enfim, conseguimos. E quando nós menos esperávamos… Eu fui convidado a visitá-lo. Quando estávamos ali analisando toda a questão. Quando nós menos esperávamos o Cristo aparece em sua cela e o beija. Nós mal conseguimos suportar a grandeza daquela cena. E nos disse “cuida com carinho de todos os meus irmãozinhos, porque um dia estaremos todos reunidos no Reino de meu Pai”. Então, filhos, isto nos marcou profundamente. Porque mesmo quem vai sair não merece ódio. Não tem nenhum ódio do Cristo. Ao contrário. É amado e protegido. Porque optou-se por um caminho mais longo, mas ninguém perde o amor de Deus e nem de nosso Mestre.

 

Que vocês fiquem em paz,

Do amigo espiritual de sempre.  

O que você achou?