Nova Geração Livro dos Espíritos – Questão – 608 – Lembrar antes de ser gente

Previous
Next

Livro dos Espíritos

Segunda Parte – Mundo Espírita ou Dos Espíritos 

Capítulo XI – Os Três Reinos 

Item 1 –  Os Animais e o Homem 

Questão 608

Livros
Dos
Espíritos

608. O espírito do homem, depois da morte, tem consciência das existências que precederam, para ele, o período de humanidade?
“Não, pois não é senão deste período que começa para ele a sua vida de espírito e é até com dificuldade que se lembra de suas primeiras existências como homem, absolutamente como o homem não se lembra mais dos primeiros tempos de sua infância e menos ainda do tempo que passou no seio de sua mãe. É por isso que os espíritos vos dizem que não sabem como começaram.” (Ver questão 78.)

Mensagem de encerramento

Queridos filhos e filhas,

Que a paz do Cristo toque os vossos corações e que vos ensine a ter paz, harmonia e compreensão.

Como é imensa a evolução. Vocês já se deram conta, já conseguiram tirar um tempo que seja, nem que seja apenas este momento, para imaginar que vocês têm milhões de anos? Que fantástico! Para imaginar que têm milhares e milhares de existências. Para imaginar que todos vocês já tiveram todas as experiências da Terra: de poder, de abandono, angústia, riqueza, miséria, fome, de tudo…. Meu Deus! Como vocês são valiosos, como existe tanto aprendizado em vocês.

E por isto destaco que os espíritos disseram a Kardec: é muito importante vocês quererem ter consciência de quem são vocês. Olhar para vocês: que impulsos, desejos, predominam? Quantos tipos confusos às vezes de vontade vocês têm? Não tem que fugir disto, tem que olhar, tem que pensar: onde será que adquiri esta vontade? Será que participei de grupos de assassinos – que cometiam assassinatos? Ainda vejo essa vontade em mim. Não tem que ter medo, tem que olhar como quem olha uma ferida, uma doença na pele. Examinar e pensar: Ok, como trato isto? Existe, não vou esconder, pois pode piorar. Então esta autoconsciência, na fase que vocês estão, é um elemento decisivo para o crescimento espiritual de vocês. Decisivo! Por isto, estou sempre sugerindo: desenvolve esta consciência, escreva, anote, registre. Se eu tiver sido, vamos imaginar, cinco existências que mais estão me influenciando agora. Que fazer? Descrever cada uma delas. “Ah, mas não sei…”. Mas você imagina, pois o importante não é dizer: nasci na época tal, no ano tal, está aqui a minha certidão de nascimento. Não! O importante é: “possível que tenha sido em uma vida como gangster, bandido, cangaceiro – tudo muito parecido. Que impulsos e que desejos trago disto?”. Então você imagina: digamos que fui uma destas pessoas… Que sentimentos tem? Resolver tudo na violência, ganância, enganar a todos. É isto? Sempre pensando em passar a perna, como vocês dizem, disposto a tudo. Como estas pessoas viveram? Como será como vivi esta existência? Hipótese… Como será que fui, fui feliz? Como será que terminei os meus dias? Vivia pleno ou vazio? Tranquilo ou sempre inquieto?

Ah.. Vamos imaginar outro: tenho impulsos sensuais descontrolados. Como será que fui? Me prostitui? Seduzi as pessoas por dinheiro? Cobrava para ter relações com as pessoas? Como será este tipo de vida? Que herança este tipo de vida pode ter me deixado? Ah… Será que fui poderoso, mandei, fiz o que quis, impus minha vontade, desprezava sentimento de outros? Como agi?

Então, filhos, aqui esta questão trabalha muito consciência. As duas formam um conjunto importante, porque, de um lado não é possível lembrar existência anteriores, mas há os impulsos animais. De outro, fala que a evolução amplia-se com a consciência, com a consciência das vidas humanas, das experiências humanas.

É preciso entender que lidar com estes impulsos que vieram de antes do ser humano, mas que depois dominaram vida humana, o impulso da traição, ódio, descontrolados e ampliados pelo uso do livre arbítrio. O animal tem impulso agressivo, mas o livre arbítrio pode levar a esta agressividade a extremos que nenhum animal faz. Entende? O impulso vem de antes, o uso é da fase de humanidade. Por isto: meditar, tornar conscientes estes impulsos, que foram muitas vezes distorcidos – adoecidos – por mal uso do livre arbítrio é o primeiro passo para corrigi-los. É o momento de olhar para si, momento augusto e doloroso, nobre e angustiante. Grandioso e muitas vezes humilhante! Necessário filhos, ampliar a consciência de si é ampliar o livre arbítrio. Vou dar um exemplo simples: vocês só conhecem dois caminhos: o caminho que vai para a frente e o para trás. Ah… livre arbítrio limitado. Vocês conhecem dez caminhos, para frente, traz, para direita,  e para esquerda, vai de um lado para outro… Então, livre arbítrio ampliou-se. Você agora tem mais opções, não tem só duas, tem dez. Pode acertar mais, escolher coisas mais apropriadas. Isto também acontece quando o espírito observa-se a si mesmo, ele possui mais possibilidades de lidar com os seus impulsos. “Ah, tenho consciência que tenho isto, então vou evitar situação tal. Como eu transformo este impulso em algo nobre, positivo?”. Entende, filhos?

Então digo a vocês: ampliar consciência de si, mesmo que de início pegando apenas os impulsos. Kardec ensina isto. Ampliar a potencialidade de ação, ampliar livre arbítrio e caminhar com consciência, com mais vontade para o Cristo. Esta é a minha, não fácil, mas preciosa sugestão para vocês. Não para hoje, mas para sempre. Porque desejo o crescimento de cada um de vocês e trabalho no limite de todas as minhas forças, com equipe imensa, para auxiliar a cada um de vocês a encontrar o Cristo olhando dentro de si.

Que vocês fiquem em paz,

Do amigo espiritual de sempre.

 

Outros Programas

Categories: Nova Geração

O que você achou?