Nova Geração Livro dos Espíritos – Questões 622 a 624 – Daqueles que vêm revelar a lei divina

Livro dos Espíritos

Terceira parte – As leis morais

Capítulo I – A lei natural

Item  –  Origem e conhecimento da lei natural

Questões 622 a 624

621. Onde está escrita a lei da Deus?
“Na consciência.”

a) Visto que o homem traz na sua consciência a lei de Deus, que necessidade havia de lhe ser ela revelada?
“Ele a tinha esquecido e desprezado: Deus quis que ela lhe fosse relembrada.”

622. Deus deu a certos homens a missão de revelar sua lei?
“Sim, certamente; em todos os tempos houve homens que receberam essa missão. São espíritos superiores, que encarnam com o objetivo de fazer a Humanidade progredir.”

623. Os que pretenderam instruir os homens na lei de Deus não se têm enganado, algumas vezes, e não os têm, frequentemente, desviado, através de falsos princípios?
“Aqueles que não eram inspirados por Deus e que, por ambição, se atribuíram uma missão que não tinham, certamente, conseguiram desviá-los; entretanto, como eram, definitivamente, homens
de gênio, mesmo entre os erros que ensinaram, encontram-se, muitas vezes, grandes verdades.”

624. Qual o caráter do verdadeiro profeta?
“O verdadeiro profeta é um homem de bem, inspirado por Deus. Pode-se reconhecê-lo pelas suas palavras e suas ações. Deus não pode servir-se da boca do mentiroso para ensinar a verdade.”

Mensagem de encerramento

Queridas filhas, queridos filhos, que a paz do Mestre esteja conosco nesse instante feliz.

Vocês observaram como Kardec é criterioso e jamais deixa de organizar a explicação de cada coisa, passinho a passinho, ponto a ponto, para ajudar vocês a entenderem bem melhor as verdades espirituais.

Este é um verdadeiro profeta inspirado por Deus. Allan Kardec.

Seus atos e palavras são de ordem elevadíssima. Seu sentimento é maravilhoso e vocês podem usufruir de tudo isso, lendo, como estão fazendo, com atenção, o Livro do Espíritos, para começar.

Vamos observar o seguinte, vamos observar o seguinte: precisamos distinguir, antes de tudo, o que é um verdadeiro missionário. É um indivíduo inspirado por Deus. 

Vocês ficam deslumbrados! Parece um bando de “maria-apaixonadas” porque um palestrante é inspirado pelo seu anjo da guarda! Ora, todo ser humano é inspirado por seu anjo da guarda, isso é normal! Precisa apenas ser mais desenvolvido entre vocês. Em vez de admirar os outros, deveriam admirar o próprio anjo da guarda, para começar. 

Mas nós falamos de profetas inspirados por Deus e às vezes vocês não entendem isso. “Ah, o fulano é um médium inspirado por um espírito superior”…Kardec é inspirado por Deus, meus filhos!  Vocês não entendem isso? Isto é muito importante entender. 

Muitos espíritos superiores tem questões que não entendem, que não sabem, por isso indivíduo que diz que é inspirado por espírito superior e é capaz de responder tudo, é um mentiroso. É um desses que age com habilidade, mas por ambição. Deus não tem limites. Espíritos superiores têm. 

Por isso peço para vocês o seguinte exercício: avaliem o que você segue mais, um médium inspirado por um espírito superior ou Allan Kardec que é inspirado por Deus? Ou Léon Denis, esse grande continuador, que além de uma multidão de espíritos superiores, possui capacidade de receber inspiração do criador do universo.

Vocês, filhos, precisam valorizar tudo, como ensinam espíritos superiores a Kardec aqui, mas precisam ter escalas de valores. Dizer: “que bom esse palestrante está inspirado por um espírito superior, merece respeito, vou avaliar com atenção, e mesmo que tenha alguns erros eu posso encontrar ali, verdades”. Sim, tem que fazer isso. Mas, filhos, vocês têm que entender que existem revelações que vêm de uma esfera muito mais alta. Se um palestrante é inspirado por um espírito superior, que dirá daqueles que são inspirados por vários espíritos superiores?! E daqueles que são inspirados por verdadeiras comunidades de espíritos superiores?! E daqueles que são inspirados direto pelo Cristo, que representa Deus neste mundo?! É o caso de Allan kardec. É o caso de Denis. 

E vocês não entendem que existe um grau imenso de diferença. Não é dizer “fulano não presta e o outro presta”, não! É dizer “que bom que fulano está fazendo isso”. Mas uma coisa é um, outra coisa é um grupo, outra coisa é uma comunidade e outra coisa é o próprio criador do universo, é o próprio Deus. Movimento espírita, até conseguir entender isso, vai viver discussões inúteis, não vai entender graus de hierarquia. E sem entender isso será sempre uma discussão, uma batalha, uma confusão. 

Por isso, filhos, peço que observem tudo isso, não é desprezar ninguém, é valorizar cada coisa no seu grau em relação ao seu grau de verdade. Grau de proximidade com o criador do universo, porque esse é o verdadeiro critério da verdade. Quanto mais próximo de Deus, mais verdadeiro. 

Um dia, caminhando e com a mente fervilhando com mil teorias, recebi uma intuição profunda de meu guia espiritual através de uma criança que caminhava com uma mulher simples e que cruzou comigo a estrada e me dizia: “senhor, olha meu brinquedo, gosto muito dele, mas já tive um outro que não gosto mais”. Aquilo me chocou profundamente. 

Ela sorria e fiquei sem saber o que fazer com aquilo, até que à noite tive um sonho e nesse sonho entendi a mensagem recebida daquela criança que foi recebida do meu guia por meio da criança, na verdade, que foi o seguinte: existem estruturas e estruturas de verdade. A mente imatura larga uma coisa pela outra. A mente madura integra uma verdade limitada inferior e a subordina a uma verdade mais elevada superior.

Portanto, filhos, não há que se propor uma postura de desprezo a uma verdade menor ou a uma verdade mais limitada, mas integrá-la a verdades superiores que a ajustarão e a corrigirão, porque nós não crescemos desprezando nada, mas a ascendendo e integrando tudo.

Que o Cristo nos abençoe, que vocês fiquem em paz.

O que você achou?

%d