Entrevista – Módulo – Cristo – 2018 – Encontro – 2 – Iniciação pelo Sentimento, hoje – Harry Potter

Em entrevista, feita pela renomada entrevistadora norte-americana Oprah Winfrey, J.K Rowling fala sobre a inspiração cristã em sua obra, a intuição que deu origem a toda a série e que lhe deu a certeza do sucesso dos livros após superado a rejeição dos editores. Apresentamos dois trechos dessa entrevista.

Oprah: Mas não é interessante que no primeiro livro, quando Harry está sendo deixado na casa dos tios, já não é previsto que…
J. K.: Que, um dia, todas as crianças no mundo saberão seu nome.
Oprah: Que, um dia, todas as crianças no mundo saberão seu nome. Você não sabia disso?
. K.: Não.
Oprah: Alguma parte sua, subconscientemente…
Lembro-me uma vez, que foi como, bom, vou chamar isso de flash de clarividência, porque se não tivesse se tornado verdade seria simplesmente um pensamento louco que tive. Mas lembro-me de um dia em que estivera escrevendo a Pedra Filosofal, eu estava saindo da cafeteria onde estivera escrevendo […] e tive um momento em que pensei, como se tivesse outra voz falando comigo, e ela disse “o difícil vai ser publicar. Se for publicado, será um sucesso”.
Oprah: Uau
J K.: E foi exatamente o que aconteceu.
Oprah: Então, uma voz na sua cabeça te deu uma dica.
J.K.: O que acontece é que você tem que acreditar, não é mesmo?
Oprah: Sim.
J.K.: Sim, eu não era a pessoa mais segura do mundo. Não era uma pessoa muito… de fato, diria que não acreditava muito em mim mesma. No entanto, eu acreditei nessa única coisa na minha vida. Foi algo único na minha vida, eu acreditei que podia contar uma história.
Oprah: É verdade que… a lenda da qual eu ouvi falar é que a história surgiu na sua mente enquanto…
J.K.: Sim, é verdade.
Oprah: Então é verdade.
J.K.: Eu vinha escrevendo. Tudo que eu queria fazer desde a idade que se tem para entender que livros são escritos, que eles não crescem espontaneamente do chão.
Oprah: Mais ou menos uns seis anos?
J.K.: Sim, cinco ou seis anos. Isso foi o que sempre quis ser.

Oprah: Uma escritora.
J.K.: Sim. Eu escrevia compulsivamente. Desde os meus últimos anos de adolescência até os vinte e poucos, mas nunca encontrava a coisa certa. Então, estava num trem, tinha 25 anos e algo surgiu, e o que surgiu foi “garoto não sabe que é bruxo, vai para a escola de bruxaria”.E foi isso, era o que eu precisava. Estava em um trem atrasado, indo de Manchester para Londres, e minha cabeça estava inundando de ideias para a escola de bruxos. Havia quatro casas, fantasmas, há fantasmas nas casas, que matérias são ensinadas, quem eram os professores, e eu não tinha caneta. Mas foi isso. Acho que nunca tinha me sentindo tão animada, eu pensei “adoraria escrever isso”. Eu nunca tinha pensado em escrever algo para as crianças, ou em algo relacionado a essa faixa etária. E, no entanto, eu fui feita para escrever para eles, porque sempre fui fascinada pelo folclore, adoro palavras engraçadas…
Oprah A respeito das críticas dos religiosos sobre seus livros.
J.K Rowling: Não estou promovendo nenhuma ideologia religiosa aqui, embora haja muitos elementos cristãos nos livros, especialmente em Relíquias da Morte, é inegável. É uma alusão à ideologia em que eu fui criada. Mas, respondendo a pergunta sobre ser criticada daquela forma [por grupos religiosos]… Se eles se referem à parte obscura e assustadora, acho que é perfeitamente justificável para um pai dizer que o livro é um pouco maduro para meu filho, ou então “precisamos debater o livro juntos, ler juntos”. Isto é ótimo. De fato, é perfeito! Sentar e ler juntos, isso seria incrível.Sobre o “Você não deve falar sobre bruxaria, você não deve ter bruxas ou magia em seus livros”, eu acho que isso não faz sentido.”

ASSISTA A ENTREVISTA COMPLETA