Leitura complementar – Entrevista – Encontro – 6

Traduzimos trechos da entrevista de Vivien Thomas. Um destaque da entrevita é a humildade de Vivien. Ao ser pergunta no início da entrevista sobre porque Dr. Blalock exigia a presenta dela na sala cirúrgica ele apenas diz, “apoio moral”, mas o entrevistador, que conhecia bem a história, no final da entrevista leva Vivien a falar da preparação para operação e fica evidente que Viven estava muito mais preparado para operação do que Dr. Blalock. Você pode ler a entrevista original e ouvir o áudio em inglês clicando na imagem.


Esta é uma entrevista realizada com o Sr. Vivien Thomas, do departamento de cirurgia, Johns Hopkins Hospital. A data da entrevista é 20 de abril de 1967. Dr. Peter D. Olch da National Library of Medicine é o entrevistador. A entrevista ocorreu no Laboratório de pesquisas cirurgicas do departamento de cirurgia do Hospital Johns Hopkins.

(…)

Dr Olch: Como foi seu primeiro encontro com Dr. Blalock? Foi em Nashville?
Mr. Thomas: Sim, eu terminei o colegial lá e entrei na Escola do Tennessee no outono do mesmo ano em que os os bancos faliram.Após o Christmas, eu perguntei a um amigo de meus que trabalhavam em Universidade de Vanderbilt, se não havia alguma vaga para mim lá.Havia uma vaga, mas esse amigo não tinha certeza que daria certo eu trabalhar, já que ele conhecia a mim ao médico que estava ofertando o emprego. (Dr. Blalock). Bem, de qualquer forma, resolvi ir e esperar pelo Dr. Blalock em seu escritório. Ele veio e disse que estava em seu caminho para a sala de cirurgia e se eu poderia esperar por cerca de uma hora, que ele estaria de volta. Assim foi o nosso primeiro encontro. Foi dia 10 de fevereiro de 1930.

(…)

Dr Olch: Na introdução da Coletânea de Artigos de Alfred Blalock, Dr. Ravitch afirma que você acompanhou o Dr. Blalock nas primeiras cirurgias de Tetralogy de Fallot (Bebe-Azul). Mas, minha impressão, com toda sinceridade, é que você ao lado do Dr. Blalock muito mais do que nos primeiros procedimentos.

Mr. Thomas: Eu não saberia contar o número delas, mas não conseguia ir muito longe da sala de cirurgia para…- Depois que atendemos os três primeiros pacientes e que foram considerados bem sucedidos,o que levou uns três a quatro meses, nos seis meses seguintes, tivemos um inundação de novos pacientes, opera-se todos os dias. Tenho certeza que acompanhei mais de 100, talvez, 150 operações nesse período.Eu não penso que ele precisava de mim.Era apenas suporte moral.Se eu não estivesse lá, ele perguntava, “Onde está Viven?”, se ninguém soubesse ele dizia, “Bem, encontre-o!”

(…)

Dr Olch: Você certamente você estava abrindo novos campos para ciência, não há dúvida sobre isso.Eu queria voltar a falar sobre sua presença na sala cirúrgica. Eu penso que é muito interessante ver que o Dr. Blalock tinha necessidade de seu suporte moral, mas, provavelmente, há algo a mais aqui.Você fazia a maioria da cirurgias vasculares no laboratório. e ele estava em uma condição diferente, pois ele não fez nenhum procedimento no laboratório.

Mr. Thomas: Isso é verdade. Quer dizer, eu é que havia feito todos os procedimentos.Dois dias antes da primeira operação – Eileen Saxon -, ele tinha programado para fazer seu o primeiro procedimento completo. Mas, por conta da restrição do tempo, ele nunca fez.Antes disso, algumas vezes ele ia ao laboratório e assistia parte de meus procedimentos. Acho que ele nunca assistiu um procedimento do início ao fim até que ele marcou a primeira paciente. Ele veio e disse que ele ia me ajudar a fazer um, o que ele fez. Este foi dois ou três dias antes da Eileen. Nunca houve tempo para voltar e fazer realmente um procedimento sozinho.

Dr Olch: Então, ele foi para sala cirúrgica operar o paciente número 1 com base no que el aprendeu assistindo você realizar procedimentos no laboratório.
Mr. Thomas: Exato. Muitos procedimentos ele nunca tinha realizado.
Dr Olch: Isto, naturalmente, faz de você um dos maiores heróis não reconhecidos da história da medicina.A história, certamente, vai mostrar que o Sr. Vivien Thomas deveria ter tido muito mais créditos do que o Dr. Blalock por esses procedimentos.
Mr. Thomas: Bem, vou deixar vocês, historiadores, cuidarem disso.