Encontro 2 -Migração Espiritual Individual entre Mundos

Encontro 2 -Migração Espiritual Individual entre Mundos


Baixar áudio (opção 1)

Baixar áudio (opção 2)


Baixar PDF Capítulo 2

Amizade entre mundos, Eurípedes e você

É quinta-feira, Eurípedes, como fazia todos os dias da semana, psicografava receitas mediúnicas para pessoas de Sacramento e do Brasil que lhe enviam cartas pedido ajuda. Pouco depois de iniciar, Eurípedes chama Dona Amália, sua amiga e secretária, e diz: D. Amália, prepare-se para escrever o que vou falar. São Vicente de Paulo está aqui ao meu lado (Vicente de Paulo é o guia espiritual de Eurípedes) e diz que eu farei um longo passeio com ele, uma excursão espiritual. Ele diz para você não se preocupar e anotar tudo. Que fantástica é a generosidade deste espírito! Vejamos o que ele quis nos ensinar. Teremos aqui um relato simples, mas que toca em grandes símbolos do Evangelho, do antigo Testamento e da cultura egípcia antiga.

Caminhamos por um estrada clara, cheia de luminosidades intensas. Afirma Eurípedes. Os cristãos eram conhecidos como os homens do Caminho e ao grupo cristão fundado por Pedro, apóstolo, chamava-se Casa do Caminho. Um caminho luminoso, o do cristianismo, levará Eurípedes a um lugar sublime. Continuamos na mesma paisagem… Afirma Eurípedes. Depois de um tempo diz.

Dona Amália, vejo ao longe uma árvore frondosa, nos aproximamos… D. Amália, esta árvore é tão maravilhosamente bela que não encontro comparação para que a senhora por ter um ideia de seu esplendor. Na Terra, não existe que se assemelhe a sua beleza e a seu brilho. Vou tentar uma comparação, imagina que esse vegetal seja todo feito de ouro e o sol sendo refletido, isso é apenas uma pálida ideia. Em cada folha, há uma palavra escrita: Deus. Jesus. Amor. Justiça. Tolerância. Paz. Esperança. Luz. Renúncia. Devotamento. Beneficência. Trabalho. Compreensão. D. Amália, não é preciso que eu leia mais. A senhora compreendeu muito bem, como você interpretaria o significado, o simbolismo desta árvore?

Aqui Eurípedes revela sua poderosa inteligência e sua generosidade de educador. Diariamente, ele interpretava os símbolos de seus sonho e do de D. Amália antes de iniciarem as atividades na farmácia espírita. Obviamente, apenas uma compreensão simbólica, de profundidade, satisfaz a espíritos evoluídos. Não por acaso, o Cristo utiliza-se de símbolos e Allan Kardec, após ter ensinado didaticamente os conceitos espíritas, inicia a interpretação dos símbolos antigos à luz do Espiritismo na Revista Espírita e, em particular, em A Gênese.

Agora, é com você, o que simboliza a árvore que Eurípedes observa? O cristianismo puro, respondeu dona Amália. Eurípedes, porém, responde. Sua interpretação está boa, mas conversaremos a este respeito quando fizermos um estudo mais detalhado. Quer dizer, tem muito mais! Antes de continuar, um lamento. Não chegou até nós o estudo simbólico de Eurípedes e D. Amália…

A árvore

Quero lembrar uma coisa, Eurípedes não sabe ainda para onde está indo. Mas você vai saber. Ele está realizando uma migração espiritual para outro planeta. Voltemos a questão, o que simboliza a árvore? Falaremos deste símbolo em três culturas profundamente ligadas: o Egito antigo, o judaísmo e o cristianismo. O tema central da cultura egípcia é a imortalidade, a morte e a reencarnação. Ísis e Osíris compõe o tema central de toda a cultura egípcia. Emmanuel, pela psicografia de Chico Xavier, nos esclarece, sobre estes dois personagens: Os mistérios de Ísis e Osíris mais não eram que símbolos das forças espirituais que presidem aos fenômenos da morte. Entendido isso, podemos nos perguntar, o que simboliza a árvore para os antigos egípcios?

 

Simbologia da árvore no juadísmo e no Evangelho

Moisés, uma das personalidades centrais de toda a cultura judaica, foi um iniciado no Egito, teve acesso aos mistérios, aos saberes que eram ocultado da população em geral. Por isso, ao estudamos a Cabala, que são os ensinos mais espirituais do judaísmo, estamos, em alguma medida, estudando os mistérios egípcios. Para a Cabala, a árvore, especialmente, a Árvore da Vida, é um símbolo dos mais importantes. Na descrição simbólica da criação, Deus localiza no centro do Éden, uma árvore. Isso é significativo. E a condenação pelo erros de Adão e Eva, que estudaremos em outra aula, foi a proibição de se alimentar da Árvore da Vida.

No Evangelho, Jesus utiliza-se do símbolo da árvore para destacar o poder da fé que se transforma em acolhimento, proteção e nutrição, o que se assemelha ao papel Ísis nos processos da morte. Jesus afirmar que a semente de mostarda é a menor entre as sementes, entretanto ele se torna uma grande árvore que ampara e protege os pássaros.

João Batista, ao anunciar a No Evangelho, Jesus utiliza-se do símbolo da árvore para destacar o poder da fé que se transforma em acolhimento, proteção e nutrição, o que se assemelha ao papel Ísis nos processos da morte. Jesus afirmar que a semente de mostarda é a menor entre as sementes, entretanto ele se torna uma grande árvore que ampara e protege os pássaros.

Na Codificação, em O Evangelho Segundo o Espiritismo, no capítulo 13, Cáritas, uma jovem condenada a morte aos vinte anos por ser cristã, em uma bela mensagem simbólica, escreve personificando a Caridade. No último parágrafo do texto a Caridade afirma,

“Mas, se peço, também dou e dou muito. Convido-vos para um grande banquete e forneço a árvore onde todos vos saciareis! Vede quanto é bela, como está carregada de flores e de frutos! Ide, ide, colhei, apanhai todos os frutos dessa magnificente árvore que se chama a beneficência.”

No capítulo 18, Simeão, uma espírito também profundamente ligado ao cristianismo primitivo, escreve.

Procurai os verdadeiros cristãos e os reconhecereis pelas suas obras. “Uma árvore boa não pode dar maus frutos, nem uma árvore má pode dar frutos bons.” – “Toda árvore que não dá bons frutos é cortada e lançada ao fogo.” São do Mestre essas palavras. Discípulos do Cristo, compreendei as bem! Que frutos deve dar a árvore do Cristianismo, árvore possante, cujos ramos frondosos cobrem com sua sombra uma parte do mundo, mas que ainda não abrigam todos os que se hão de grupar em torno dela? Os da árvore da vida são frutos de vida, de esperança e de fé. O Cristianismo, qual o fizeram há muitos séculos, continua a pregar essas virtudes divinas; esforça-se por espalhar seus frutos, mas quão poucos os colhem! A árvore é boa sempre, porém maus são os jardineiros.”

Na psicografia de Chico Xavier, Humberto de Campos, ao narrar a orientação do Cristo para a formação do Brasil como Pátria do Evangelho, descreve a visita do Mestre a terra que se tornaria o Brasil.

Mãos erguidas para o Alto, como se invocasse a bênção de seu Pai para todos os elementos daquele solo extraordinário e opulento, exclama então Jesus:
— Para esta terra maravilhosa e bendita será transplantada a árvore do meu Evangelho de piedade e de amor. No seu solo dadivoso e fertilíssimo, todos os povos da Terra aprenderão a lei da fraternidade universal. 

A Escada

 

Bem, agora você pode entender que uma árvore não é somente uma árvore… Continuemos. Estávamos com Eurípedes admirando uma árvore de extrema beleza em uma breve parada de sua excursão. São Vicente convida-me a continuar, a estrada é a mesma. Andamos sempre. Diz Eurípedes.

Vejo ao longe um escada. Ela vai da Terra ao infinito, digo isso, por não conseguir ver o seu fim. Vamos a outro símbolo interessantíssimo: a escada!
Bem, espero que você acredite ou verifique… Sabe quem a escada simboliza? Vou escrever o que está em um de nossos livros de pesquisa, Livro dos Símbolos.

O deus egípcio Osíris, cujo torno é uma escadaria, observava os mortos a subir a escada para o Juízo Final, incluindo a pesagem de suas corações coma pena de Maet…

Deixa eu explicar. Na viagem após a morte, o desencarnado tem o coração colocado em uma balança. De uma lado o coração e do outro uma pena, se o coração for mais pesado do que a pena, o falecido não merece ir para um lugar bom, ele “não sobe”.

Maet é o responsável pela “pesagem”, pela avaliação. Se o coração for leve, mais leve do que uma pena, é permitido subir a escada. Osíris é o coordenador deste processo, ou melhor, simboliza as forças espirituais que atuam na avaliação do desencarnado e o direcionam para o alto, que tem como símbolo a escada, autoriza-o a subir a escada.

A escada simboliza a passagem de um plano de consciência a outro, é o progresso intelectual e emocional; bem como a comunicação entre a Terra e o Céu, a ascensão da  escuridão a luz, da morte a imortalidade.

No Antigo Testamento, nas escrituras judaicas, há o relato de Jacó que gera uma o termo valioso para todos os espirituais, A escada de Jacó. Jacó, seguindo a orientação de Deus, deixa sua cidade evitando o confronto com o seu irmão, Esaú. Ao chegar em uma nova cidade, dorme e sonha com uma escada por meio da qual a Terra se ligava ao céu e os anjos desciam e subida executando as ordens de Deus como está em Gênese, 28:11-19.

No cristianismo, segundo a Enciclopédia Ilustrada dos Símbolos Tradicionais (An Illustrated Encyclopaedia of Traditional Symbols) a escada é o emblema da Paixão do Cristo, que ocorre desde sua prisão até a crucificação. O significado profundo é o mesmo, ascensão espiritual.

Eurípedes continua sua narrativa.
Subimos, subimos muito levemente como se tivéssemos asas nos pés. Eurípedes tem o coração leve. Vamos ver onde ele chegará. Atingimos o topo da escada, São Vicente afirma quando colocamos o pé no último degrau,

Meu filho, está terminada a sua missão na Terra. Estamos atingindo outra esfera.
D. Amália, a estrutura deste mundo é totalmente desconhecida para mim, imagine-o como que constituído de um mármore que possui um luminosidade que se expande, é de uma beleza verdadeiramente estonteante, ano consigo descrever a não ser vagamente. São Vicente afirma, Meu filho, este plano é uma mansão de paz e de bem-aventurança. Aqui é a morada daqueles que souberam bem desempenhar a sua tarefa de amor na Terra. É aqui sua morada, meu filho.

Não precisa dizer que, se falamos de Ísis e de Osíris, se ele foi levado a conhecer onde iria viver, o desdobramento foi a preparação do desencarne de Eurípedes e de sua migração para outro mundo. Ele encerra dizendo que D. Amália precisaria de ajuda para responder a quantidade de telegramas que receberia… Seis meses depois, em 1 de novembro de 1918, Eurípedes desencarna.

Porém, como ensina Kardec, espíritos muito evoluídos podem habitar em outro planeta e trabalhar constantemente na Terra, se quiserem. Eurípedes não apenas continuou como prometeu a estar conosco até que atingíssemos nossa própria iluminação. Em 1950, psicografou uma mensagem, por meio de Chico Xavier, com título: Aos Companheiros de Ideal, veja o primeiro parágrafo.

A nossa marcha continua e, como sempre, irmãos meus, confirmo a promessa de seguir convosco até a suprema vitória espiritual.

E mais a frente afirma,

Tenhamos com os nossos irmãos ainda frágeis, a ternura do amor que examina e compreende.

Eurípedes tem a ternura do amor por todos nós. Ele é o amigo que vive em outra planeta, mas está sempre presente e estará sempre.


 

Mais informações

Simbologia da Árvore

A árvore é o símbolo da integração; ela alimenta-se do subterrâneo, suas raízes penetram na Terra, transforma matéria morta em vida, ele emerge na superfície e eleva-se ao céu em busca de ar e de luz. Manten- do-se sempre ligada a Terra, comunicando-se com o mais profundo – o subsolo, a inconsciência, a escuridão – e com o mais sutil – o ar, o sol, a luz. Por isso, é o símbolo da união, da transcendência e da transforma- ção que eleva, como deve ser a morte. Muitas árvores são capazes de perderem suas folhas em períodos muito quentes ou muito frios para depois voltar a florir, representando a constante renovação, a regene- ração e a ressureição.


Pintura do túmulo do faraó Tutmés III

O faraó aspira os elementos que lhe darão força para prosseguir na viagem espiritual. Ele ainda terá que caminhar até Osíris que conduzirá a avaliação de sua vida segundo o peso de seu coração.

arvore-2

A representação de árvore que está no túmulo do faraó Tutmés III e simboliza Ísis, portanto, Ísis não é uma pessoa ou espírito. Como ensina Emmanuel, “é uma das forças espirituais que representam a morte.” O que faz o Faraó? Após o desencarne, nutre-se da árvore. Recebe o ar, o alimento espiritual, fortalece-se como Eurípedes, que, após uma longa caminhada, deslumbra-se com a árvore que descreve a D. Amália. Não esqueça, estamos falando de símbolos.

 

 


Imagem abaixo é um esboço de uma tumba mítica de Osíris.

“Defronte da estátua de Osíris há uma escadaria que esconde um poço que desce por cerca de nove metros”

Fonte:

http://www.fascinioegito.sh06.com/ tumba%20osiris_outra.htm

 

tumba-osiris-6


São Vicente de Paulo (1581 – 1660)

 

Vicentinso1

Destacou-se por sua excepcional inteligência e devoção religiosa. A ousadia e a coragem, direcionadas por sua fé inabalável em Deus e no Cristo fizeram de sua vida uma extraordinária aventura de crescimento espiritual. Sua vida é contada no filme São Vicente – O Capelão das Galeras.


Para saber mais sobre a história de Eurípedes Barsanulfo

EB-fundo-cinza-claroAssista o documentário Eurípedes: educador e médium

Baixe gratuitamente e o livro o livro Meu amigo: Eurípedes Barsanulfo no blog do grupo Marcos.

O relato de Eurípedes foi baseado no relato do livro O Homem e a Missão, de Corina Novelino, editora IDE.

A mensagem psicográfica foi retirada do livro Eurípedes Comunica, diversos médiuns, editora Grupo Espírita Esperança e Caridade.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s