Espíritos da Codificação

Espíritos da codificação

Santo Agostinho

Instrução dos Espíritos - A Nova Era.

A cada capítulo escreveremos sobre um dos Espíritos que colaboraram com a compsição de O Evangelho Segundo o Espiritismo. 

Falaremos sobre Santo Agostinho, um Espírito homenageado por Erasto e por Allan Kardec no primeiro capítulo de O Evangelho Segundo o Espiritismo.

Essa imagem é uma representação dos sábios israelitas.

Deus é único, e Moisés o Espírito que Deus enviou com a missão de fazê-lo conhecer, não somente pelos hebreus, mas também pelos povos pagãos. O povo hebreu foi o instrumento de que Deus se serviu para fazer sua revelação, através de Moisés e dos Profetas, e as vicissitudes da vida desse povo foram feitas para chocar os homens e arrancar-lhes dos olhos o véu que lhes ocultava a divindade.

Um espírito israelita

Mulhouse, 1861

1-François_Fénelon
Pintura

Um dia, Deus em sua inesgotável caridade, permitiu ao homem ver a verdade através das trevas. Esse dia foi o do advento de Cristo. Depois do vivo clarão, porém, as trevas se 27 fecharam de novo. O mundo, após alternativas de verdade e obscuridade, novamente se perdia. Então, semelhantes aos profetas do Antigo Testamento, os Espíritos começaram a falar e a vos advertir. O mundo foi abalado nas suas bases: o trovão ribombará; sede firmes!

Fénelon

Poitiers, 1861

agostinho
Pintura

Santo Agostinho é um dos maiores divulgadores do Espiritismo. Ele se manifesta por quase toda parte, e a razão disso a encontramos na vida desse grande filósofo cristão. Pertence a essa vigorosa falange dos Pais da Igreja, a que a Cristandade deve as suas mais sólidas bases. Como muitos, ele foi arrancado ao paganismo, ou melhor diremos, à mais profunda impiedade, pelo clarão da verdade.

Erasto, Discípulo de São Paulo

Paris, 1863

Biografia de Santo Agostinho

Santo Agostinho ou Aurélio Agostinho de Hipona nasceu 13 de novembro de 354 e morreu em 28 de agosto de 430 aos 75 anos. 

É considerado o mais importante dos “pais” de Igreja católica; o “pai” dos teólogos da Reforma Protestante e santo pela Igreja Ortodoxa.  Sua riquíssima produção intelectual aperfeiçoou a teologia e criou diversos métodos de estudo para as mais variadas áreas. É considerado precursor dos métodos de análise (da psicologia e da psicanálise), da antropologia, dentre outros.

Suas reflexões sobre livre arbítiro influenciaram os filósofos criadores da fenomenologia; suas reflexões sobre o tempo e a experiência subjetiva marcaram suas mais profundas elebaorações filosóficas. É autor indispensável para o Renascimento, Psicanálise, Linguística e as Ciências Sociais em geral.

René Girard, um dos renomados estudiosos de literatura do século XX, afirma que suas grandes ideias, na verdade, originam-se em Santo Agostinho. 

Certamente, a presença de Santo Agostinho – autor de mais cem livros de imenso valor moral e intelectual – na Codificação Espírita era motivo de honra e alegria para Allan Kardec. Está entre os Espíritos que assinaram os Prolegômenos de O Livro dos Espíritos.