PodSim 91  A Regressão de Memória de Léon Denis

Resumo: Conversamos sobre um texto de Léon Denis em que ele fala sobre as formas de como conhecer o passado e as tendências que ele “trouxe” de seu passado e a utilização da hipnose como método de regressão. O tema é fascinante, espero que você goste!



Baixar 1     Baixar 2 


Livro: O Além e a Sobrevivência do Ser

Parte 2

Estudo sobre a Reencarnação ou as Vidas Sucessivas

Resposta ao inquérito aberto pela revista Internacional “La Philosophie de la Science”, setembro de 1912.

II

O valor científico desta doutrina não é menos considerável do que o seu valor moral e social. Com efeito, incitandonos a procurar as provas experimentais que lhe servem de apoio, ela nos coloca em presença dos aspectos mais profundos e mais ignorados da natureza humana.

Pelo que me concerne pessoalmente, já pude colher algumas provas de minhas vidas anteriores. Consistem essas provas diferentes, por meio de médiuns que se não conheciam e que jamais tiveram relação entre si. Tais revelações são concordes e idênticas. Além disso, logrei verificar-lhes a exatidão pela introspecção, isto é, por um estudo analítico e atento do meu caráter e da minha natureza psíquica.

Este exame me fez descobrir, muito acentuados em mim, os dois principais tipos de homem que realizei no curso das idades e que dominam todo o meu passado: o monge estudioso e o guerreiro. Ser-me-ia possível ajuntar numerosas impressões e sensações que me permitiram reconhecer, nesta vida, seres já encontrados anteriormente.

Creio que muitos homens, observando-se com atenção, conseguiriam constituir seu passado pré-natalício, senão nas minúcias, pelo menos nas grandes linhas.

Mas é sobretudo pela hipnose, pelo transe, pelo desprendimento da alma que o passado pode ressurgir e reviver. Fiz com muitos pacientes experiências nesse sentido. Adormecidos, quer por mim, quer por Entidades invisíveis, eles reproduziam cenas de suas existências precedentes, cenas pungentes ou trágicas, que nenhum teria podido ou sabido inventar, por muitas razões. Algumas particularidades dessas Léon Denis vidas se puderam examinar e foram reconhecidas como verdadeiras. Infelizmente, a natureza toda íntima dos fatos não me consente entregá-los à publicidade.

O coronel de Rochas fez, seguindo a mesma ordem de estudos, experiências que relatei e resumi em meu livro O Problema do Ser, do Destino e da Dor, cap. XIV. Acrescentei-lhes outros testemunhos provindos dos príncipes Galitzin e Wiszniewsky, além de muitos experimentadores espanhóis.

Em resumo, todos esses fatos demonstram que a nossa personalidade é muito mais ampla do que até hoje se acreditou. Nossa consciência e nossa memória têm profundezas que se conservam mudas enquanto nos achamos despertos, mas que, no sono hipnótico e no estado de desprendimento, se revelam e entram em ação. Aí repousa um mundo de conhecimentos, de lembranças, de impressões acumuladas por nossas vidas antecedentes e que o véu da carne ocultou ao renascermos. É a isso que alguns experimentadores e críticos chamam consciência subliminal, subconsciência superior ou o Ser subconsciente. Na realidade, não há aí mais do que um estado do ser que constitui a consciência integral, a plenitude do eu. Quanto mais profundo é o sono, mais o desprendimento da alma se acentua e as camadas veladas da memória começam a vibrar: o passado ressuscita e revive. O ser pode então recompor as cenas longínquas, os quadros da sua própria história. Essa ordem de pesquisas constitui uma psicologia nova e amplificada, cujo estudo atento, junto a uma observação rigorosa, revolucionará a ciência da alma e ocasionará uma renovação completa da filosofia e da religião.

Às experiências indicadas acima convém acrescentar as reminiscências de homens e de crianças. Grande número de casos desses citei em O Problema do Ser, cap. XV. Poderia aditar os de muitas crianças se lembrarem de suas vidas anteriores, casos que não se explicam nem pela imaginação, nem pela influência do meio, porquanto os pais, na sua maioria, são hostis à idéia de reencarnação. Semelhantes fenômenos desaparecem com o crescimento, quando a consciência profunda, de alguma forma sepultada sob o invólucro carnal, deixa de vibrar. As reminiscências de homens célebres se explicam pelo grau de evolução e o apuramento dos sentidos psíquicos.

A esses casos acrescentarei um, citado pelo Sr. H. Varigny, no folhetim científico do Journal des Débats, de 11 de abril de 1912: “Segundo um autor que muito conviveu com os Birmans e os estimulou, consagrando-lhes um livro de grande interesse, o Sr. Fielding Hall relatou o fato seguinte, que não é mais do que unum et pluribus. Entre os Birmans, encontrar-se-iam freqüentemente crianças que se recordavam de vidas anteriores. Infelizmente essa lembrança se apaga e desaparece com a idade.

Cinqüenta anos antes, duas crianças, um menino e uma menina, nasceram no mesmo dia e na mesma aldeia. Para abreviar: casaram-se e morreram na mesma data, depois de terem fundado uma família e praticado todas as virtudes.

Sobrevieram dias agitados, diz a história, cuja lembrança, entretanto, pouca utilidade tem para esta narrativa. Basta dizer-se que dois jovens de sexos diferentes foram obrigados a fugir da aldeia, onde o primeiro episódio se passara, e foram estabelecer-se alhures. Tiveram dois filhos gêmeos. Aqui começa o segundo episódio.

Os dois gêmeos, em lugar de se tratarem pelos respectivos nomes, se designavam pelos nomes (muito semelhantes) do casal virtuoso que morrera; por conseguinte, uma das crianças dava a outra um nome feminino.

Os pais se admiraram disso um pouco, porém logo compreenderam o que havia. Para eles o casal virtuoso se reencarnara nos meninos. Quiseram tirar a prova. Levaram ambos à aldeia onde tinham nascido. Reconheceram tudo: estradas, casas, pessoas, até as roupas do casal, conservadas sem que se saiba por que razão. Um se lembrou de haver emprestado certa soma a determinada pessoa, que ainda vivia e confirmou o fato.

Ao Sr. Fielding Hall, que viu os dois meninos quando tinham seis anos, parecia que um apresentava aspecto um tanto feminil: era o que abrigava a alma da mulher defunta. Antes da reencarnação, viveram, dizem os dois, algum tempo sem corpo, nos galhos das árvores, mas suas reminiscências se vão tornando cada vez menos nítidas e se apagam: as da vida anterior, naturalmente.


Mensagem de Encerramento

Que a paz e a alegria possa tocar os vossos corações, queridos filhos.

Reencarnação é assunto que merece estudo sério. Acima de tudo, estudo de si mesmo. Não poderemos jamais querer aprofundar este assunto com uma mente leviana, confusa e indisciplinada. Não poderemos jamais pensar que reencarnação é brincadeira estúpida e tola. Isso é muito grave, porque é desrespeitar o conhecimento sagrado que o Cristo suplicou autorização ao Pai para revelar às criaturas tão grosseiras e atrasadas da Terra.

No passado e no presente, grupos sérios e disciplinados conheceram e conhecem tudo isto. Realizam pesquisas, experiências. Mas é vontade do Cristo que isto se espalhe pelo mundo, porque somente quando o espírito encarnado – e mesmo desencarnado da Terra – entender que possui longa e profunda história, quando o espírito encarnado tiver o mínimo de capacidade emocional de conhecer seu passado, atentar para os erros, perdoar-se pelos erros do passado, chorar suas dores, refazer-se terá condições de servir verdadeiramente a Deus, o que significa o caminho de auto-iluminação.

Quando tratamos, portanto, de reencarnação estamos dizendo, se você deseja verdadeiramente vincular-se ao Cristo, não de maneira fingida, tola, social; mas de maneira emotiva, silenciosa e profunda, se esse é o seu desejo real dizemos: filho, filha busca conhecer tuas vidas. Vá pede ao Cristo, cada noite, permissão, não por ter curiosidade tola, mas, acima de tudo, para conhecer os próprios erros, para pedir misericórdia do Pai para não repetir erros novamente.

Isto deveria ser fácil de entender, se o coração não fosse tão revoltado e tão medroso. Pede ao Cristo, filho, pede ao Cristo, filha, ajuda, com muita humildade, Mestre quero conhecer meu passado, não para ser tolo e vão, mas para, acima de tudo, conhecer minhas fraquezas. Para estar atento a elas. Se fui alguém vicioso no jogo, na disputa; vou orar para que esta tendência não domine a minha vida. Se fui cardeal fanático, inquisidor e maléfico; vou orar para não ser espírita inquisidor e maléfico. Mas irei entender que devo me regenerar.

Isto é motivo sério de conhecer vida passada, isto justifica-se perante o Mais Alto e, na hora certa, portas que cerram as lembranças serão abertas. Não há problema. O próprio Kardec fala: o espírito quando desencarna e é lúcido, lembra tudo. Espírito quando não é lúcido, quando vive envolto em inferioridade, como a maioria da Terra, não lembra nada, porque o coitado não é capaz sequer de ver a sua incapacidade, porque se acha muito importante, porque está cego pelo orgulho. Para estes, não adianta, só o tempo, só muita paciência.

Mas, o Cristo permite, como sempre permitiu, ao mundo o conhecimento adequado de vida passada para todos aqueles que desejam crescer, que desejam preparar-se. Vocês não se esqueçam do exemplo do senador romano que hoje chama Emmanuel. Senador romano, que antes de encontrar com o Cristo, teve vida passada revelada em sonho, por quê? Para começar a entender como mais profundidade as Leis da vida, para ter mais chance de abrir o coração para o Cristo. E se o encontro não deu certo, na mesma existência, tudo deu certo, porque ele começou a educação profunda do próprio coração. E a regressão que ele sofreu feita por seu guia norteada por Jesus foi extremamente útil, ele mesmo fala isso. Então é importante: a reencarnação, compreensão por meio de regressão só deve ser buscada por quem quer, de fato, ter Cristo no coração. Quem ainda tem medo, não sabe se ama o Cristo ou não, só sabe fingir; é melhor ficar longe, mas, por favor, não atrapalha.

Jovens, entendam, decisão importante deve ser tomada: vocês vão servir ao Cristo ou ao mundo? Aos que querem servir ao Cristo, não há problema nenhum. As portas do vosso psiquismo serão abertas e a regressão de memória será umas das coisas que vocês conhecerão, não tenham dúvidas, porque o nosso Senhor, o Senhor da seara que é a Terra, é extremamente generoso com todos aqueles que querem ter uma vida com o coração em paz, mas com as mãos extremamente ocupadas, servindo das diversas formas que seja possível.

Paz a todos do vosso amigo espiritual.

Baixe a Mensagem em PDF

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s