O magnetismo dos vegetais e sua relação com os seres humanos

Resumo: Nesse encontro, veremos o poder do magnetismo dos vegetais para a manutenção e restabelecimento da saúde humana. As plantas e suas diversas aplicações em forma de chás, aromoterapia, absorção pela pele, homeopatia e florais são essenciais ao nosso bem-estar. Estudaremos um trecho de Nosso Lar e outro de A Grande Espera.

 

 


Baixar opção 1     Baixar opção 2 


 

 

Texto

Baixar Texto 1     Baixar Texto 2  

Educação Espírita: um Convite à Juventude- Magnetismo – Encontro 4

 

 

Nesse encontro, veremos o poder do magnetismo dos vegetais para a manutenção e restabelecimento da saúde humana. As plantas e suas diversas aplicações em forma de chás, aromoterapia, absorção pela pele, homeopatia e florais são essenciais ao nosso bem-estar.

Para iniciar nosso aprendizado, iremos estudar duas situações educativas. A primeira é a de uma cura espiritual narrada pelo espírito André Luiz em sua primeira obra Nosso Lar; a segunda se refere aos hábitos do grupamento essênio que liderados por Lisandro (Bezerra de Menezes) que foi capaz de apoiar de forma definitiva o início do cristianismo no mundo. O relato essênio é contado pelo próprio Eurípedes Barsanulfo, no livro A Grande Espera, que nessa época chamava-se Marcos.

André Luiz, após desencarnar e iniciar seu reestabelecimento no mundo espiritual, vai visitar usa antiga casa, que ele sentia ainda ser dele.

Ao chegar em sua antiga casa, encontra a esposa novamente casada, entra em crise e por pouco não retorna as regiões inferiores de onde fora resgatado. Depois deste processo de aprendizado doloroso sobre a transitoriedade da vida, sobre a necessidade do desapego, resolve ajudar o atual esposo de sua ex-mulher que estava muito doente com possibilidade de desencarnar. Tenta ajudar e não consegue. Lembra de orar e pedir ajuda. Vejamos como ele narra a cena.

Lembrei quanto me seria útil a colaboração de Narcisa e experimentei. Concentrei-me em fervorosa oração ao Pai e, nas vibrações da prece, dirigi-me a Narcisa encarecendo socorro. Contava-lhe, em pensamento, minha experiência dolorosa, comunicava-lhe meus propósitos de auxílio e insistia para que me não desamparasse.

Aconteceu, então, o que não poderia esperar.

Passados vinte minutos, mais ou menos, quando ainda não havia retirado a mente da rogativa, alguém me tocou de leve no ombro.

Era Narcisa que atendia, sorrindo:

– Ouvi seu apelo, meu amigo, e vim ao seu encontro.

Não cabia em mim de contentamento.

A mensageira do bem fixou o quadro, compreendeu a gravidade do momento e acrescentou:

– Não temos tempo a perder.

Antes de tudo, aplicou passes de reconforto ao doente, isolando-o das formas escuras, que se afastaram como por encanto. Em seguida, convidou-me com decisão:

– Vamos à Natureza.

Acompanhei-a sem hesitação e ela, notando-me a estranheza, acentuou:

– Não só o homem pode receber fluidos e emiti-los. As forças naturais fazem o mesmo, nos reinos diversos em que se subdividem. Para o caso do nosso enfermo, precisamos das árvores. Elas nos auxiliarão eficazmente.

 

Olha que interessante! Parece até que Narcisa fez curso de magnetismo! O que ela nos ensina aqui é o tema de nosso encontro 1: todos os seres trocam energias com todos os reinos da natureza! Uma troca de amparo e auxílio mútuo. Continuemos com o relato de André Luiz que está espantado com esse nova informação.

 

– Admirado da lição nova, segui-a, silencioso. Chegados a local onde se alinhavam enormes frondes, Narcisa chamou alguém, com expressões que eu não podia compreender. Daí a momentos, oito entidades espirituais atendiam-lhe ao apelo. Imensamente surpreendido, vi-a indagar da existência de mangueiras e eucaliptos. Devidamente informada pelos amigos, que me eram totalmente estranhos, a enfermeira explicou:

– São servidores comuns do reino vegetal, os irmãos que nos atenderam.

E, à vista da minha surpresa, rematou:

– Como vê, nada existe de inútil na Casa de Nosso Pai. Em toda parte, se há quem necessite aprender, há quem ensine; e onde aparece a dificuldade, surge a Providência. O único desventurado, na obra divina, é o espírito imprevidente, que se condenou às trevas da maldade.

Narcisa manipulou, em poucos instantes, certa substância com as emanações do eucalipto e da mangueira e, durante toda a noite, aplicamos o remédio ao enfermo, através da respiração comum e da absorção pelos poros.

Aqui está o ponto que nos interessa: as emanações sutis do eucalipto e da mangueira foram manipuladas e aplicadas ao enfermo! Como? Por meio da respiração e da absorção da pele, quer dizer, colocadas para que ele as respirasse e colocada em sua pele. O resultado?

 

O enfermo experimentou melhoras sensíveis. Pela manhã, cedo, o médico observou, extremamente surpreendido:

– Verificou-se esta noite extraordinária reação! Verdadeiro milagre da Natureza!

Zélia estava radiante. Encheu-se a casa de alegria nova. Por minha vez, experimentava grande júbilo n’alma. Profundo alento e belas esperanças revigoravam-me o ser. Reconhecia, eu mesmo, que vigorosos laços de inferioridade se haviam rompido dentro de mim, para sempre.

 

O que veremos agora é uma informação mais preciosa. Vamos olhar como os essênios utilizavam de forma simples e prática seus conhecimentos do magnetismo do reino vegetal. O relato está no livro A Grande Espera, no capítulo 16 – O Primeiro Dia no Povoado – que conta a chegada de Marcos nesse grupo.

 

A vontade Divina determinara que o primeiro dia de Marcos, no povoado essênio, seria uma sucessão de novidades alvissareiras.

Às primeiras horas da manhã, quando o astro do dia mal surgira na fímbria do horizonte, os meninos puseram-se de pé, no que foram seguidos por Marcos, cujo coração banhava-se de imortais lembranças.

Demétrio, bem disposto como os demais, convidou:

– Marcos, nossa primeira oração é feita sob as árvores amigas do pomar, onde realizamos exercícios de respiração e dos músculos. Vamos até lá?

Saíram alegremente, portando alvíssimo pano de tecido grosso sobre os ombros.

Junto ao poço, circundado de pedras, fizeram demoradas abluções!

Dando-se as mãos em círculo em torno do poço, elevaram cânticos e hosanas à água, cujos benefícios eram reconhecidos como elementos de vida.

 

Vemos aqui que a compreensão sobre o magnetismo dos essênios também inclui o magnetismo mineral. A água será o tema de nosso próximo encontro, apenas registre: elevaram cânticos e hosanas à água, cujos benefícios eram reconhecidos como elementos de vida.  Continuemos.

 

Fábio orou com simplicidade, invocando a Bondade Divina para o novo dia:

 – Senhor! Permiti que os Vossos Anjos amparem-nos o ideal e iluminem-nos o coração neste novo dia, que a Vossa Misericórdia nos concede. Sede conosco, que somos fracos e imperfeitos!

Os companheiros seguiram-no, contritos, voltados para os céus, numa tocante demonstração da superior vontade de atingir as alturas.

Tudo era novo para Marcos, que buscava secundar os amigos da melhor maneira, fundamente tocado de emoções.

Logo a seguir, Fábio explicou:

– Vamos agora aos exercícios. Nossos instrutores encarecem a necessidade do normal desenvolvimento de nossa organização física. No primeiro dia de nossa estada aqui, já fomos conduzidos à ginástica, pela manhã, e ficamos sabendo que as árvores são grandes amigas de nossa saúde. Razão porque realizamos exercícios matinais sob o arvoredo benéfico.

 

De forma simples, Marcos inicia seu aprendizado sobre magnetismo:  ficamos sabendo que as árvores são grandes amigas de nossa saúde.

Certamente, em seus estudos continuados, ele aprendeu em detalhe não apenas a teoria das emanações magnéticas dos vegetais, mas, principalmente, como utilizá-las.

Dois mil anos depois, Eurípedes Barsanulfo, em Sacramento, Minas Gerais, era reconhecido como um grande homeopata e fitotereupeta. Bezerra de Menezes, depois de uma formação médica tradicional, adota a homeopatia. Lições antigas, lições profundas, que nós começamos aprender. Continuemos.

 

Em seguida, alinharam-se em várias colunas. Marcos juntara-se a uma delas, obedecendo a um sinal de Fábio.

Meia hora de movimentos rítmicos dos membros superiores e do tronco, intercalados de afastamentos laterais dos membros inferiores, seguidos de inspirações profundas. O ar saudável da manhã era absorvido e logo após expelido. A seguir, uma marcha cadenciada, em torno das árvores e estavam terminados os agradáveis deveres físicos da manhã.

Prática simples, sábia e saudável é o que precisamos aprender para garantir nossa saúde e bem-estar. Assimilar diariamente o magnetismo vegetal de forma consciente deve fazer parte de nossa vida diária.

Diálogo Mediúnico

 

Que Jesus possa nos auxiliar neste exato momento. Ele também que é o Senhor da natureza, ele que carinhosamente cuidou da estrutura de todo reino vegetal do planeta, ele que ensinou milhares de espíritos evoluídos a se aproximarem com uma profundidade assombrosa do reino vegetal, possa nos inspirar, possa nos proteger, possa nos envolver com a sua energia divina.

Já podemos iniciar as nossas atividades específicas dessa parte do encontro.

1ª pergunta: Muito obrigada pela sua presença hoje. Como primeira pergunta, como a gente pode utilizar o magnetismo dos vegetais para a manutenção da nossa saúde?

 

Na verdade, vocês já utilizam. O certo é vocês aprenderem a utilizar de maneira consciente, de maneira inteligente. [Para isso], primeiro, antes de tudo, antes de mais nada, vocês precisam entender, o certo é dizer, que vocês precisam aceitar no coração de vocês que vegetais são seres vivos, que possuem energia própria e que estão toda hora trocando com o ambiente com outros vegetais, com outros seres vivos e inclusive com vocês.

Aceitar isso de maneira profunda, meditar sobre isso, entender que isso é uma realidade. Entendendo isso, vocês poderão agir de forma verdadeira, no dia a dia, coisas muito práticas, por exemplo: ao comer uma fruta, vocês sabem agradecer ao reino vegetal? Se não sabem, vai ter pouco valor nutritivo a fruta.

Ver a beleza da fruta, imaginar que ela é um filho dado, é uma dádiva de uma planta do reino vegetal. Dependendo da fruta, de uma árvore ou não, mas um ser vivo gerou aquilo e chegou até você. Agradecer. Aquilo foi gerado num processo trabalhoso. E por que isso altera? Porque isso abre todos os poros, digamos assim, do corpo espiritual para assimilar melhor aquelas energias. Não pensem assim: ah, agora eu fui simpático com a planta, a fruta vai dar mais coisa para mim, não é isso. É: com o sentimento de gratidão eu vou me abrir mais para assimilar aquelas dádivas magnéticas.

 A natureza é sempre generosa, mas a sua capacidade de assimilação depende da sua generosidade. Se você ama uma árvore, a árvore não vai pensar: ah, já que você me ama vou dar mais energia para você. Não é isso, não são seres que possuem inteligência como nós, é outro nível da inteligência.

Ela vai sempre doar, mas se você agradece, é você que se torna mais apto para assimilar. Isso é importante ser entendido para que não venham depois desenvolver ideias bestas, falar besteiras a partir de nosso trabalho, não é isso, árvore não vai dizer: ah, você é simpático então vou dar mais energia para você. Não é assim que funcionam as coisas.

Natureza é sempre generosa, mas a sua assimilação depende do seu padrão espiritual, de como você interage. O pôr do Sol tem a mesma beleza para todos; quantos não veem? Então assim é a nossa relação com o reino vegetal.

Então, ter essa gratidão. Passar perto de uma árvore, ver a beleza também de uma flor. As árvores têm flores, vocês acham que flores só é aquela que está no vaso e que é bela, mas a árvore também tem a sua fase de ter flor, a floração das árvores.

Ver folha, sentir cheiro característico, não há mal nenhum. Chega perto da árvore, de uma mangueira como vocês falaram, com carinho, diz: eu vou pegar uma folha sua, quero sentir seu aroma. Quebra a folha e sente, e assim vocês estão se medicando sem saber nem porque, sem saber nem como. Isso não vai fazer mal. Uma folha, pega com carinho, quebra a folha, vai sentindo, vai assimilando, não há problema. Isso não é destruir natureza, isso é interagir com natureza.

Sentir que cheiro diferencia a mangueira da goiabeira, que cheiro diferencia? Observar com carinho como o corpo dessa árvore, o tronco; que diferença tem um tronco de um cajueiro, um tronco de uma goiabeira. Que diferença tem um tronco de um eucalipto? Em que se parece? Isso tudo vai gerar, vai abrir o teu ser para assimilar, porque são reflexões feitas com carinho. É como você querer conhecer alguém, você abre seu psiquismo para a pessoa, você quer conhecer aquele ser. E isso são coisas que todos podem fazer e isso vai melhorar vida de vocês.

2ª pergunta: As plantas possuem propriedades magnéticas diferentes. Então, como saber utilizar cada planta segundo uma necessidade específica?

Ah, nós estudaremos tudo isso passo a passo. Traremos exemplos, tiraremos dúvidas, ensinaremos a todos vocês que quiserem  utilizar esse magnetismo maravilhoso do ponto de vista de vocês, que interessa, de encarnados.

Encarnados precisam utilizar esse recurso. Vocês dizem no Brasil: muitos doentes, não tem dinheiro sistema de saúde, me desculpem, vocês que são espíritas e espiritualistas, vocês são burros! Porque Deus é generoso! Não pode dizer que falta recurso para a saúde, falta vocês quererem usar recursos. Vocês sabem  quantos por cento de doenças seriam evitados se vocês usassem o recurso dessa natureza maravilhosa? Vocês querem fazer o bem? Cuidem da saúde com os recursos baratos, se não gratuitos da natureza. Vivem adoecendo porque não querem usar isso! Espiritismo tem que mudar essa mentalidade de povo brasileiro, tem que entender que vocês têm muitas terras, muitas plantas, não tem porque ficar doente e se fica doente não tem porque ficar sofrendo tanto.

Doenças graves chegam porque vocês não cuidam da doença quando ela começa. E para cuidar da doença quando ela começa, as plantas resolvem, pelo menos, imediatamente, oitenta por cento dos casos de forma muito fácil. Por que não usam, gente? Terras maravilhosas… O Cristo concedeu a vocês nesse país tudo o que a humanidade precisa para ter saúde. Tudo! Povo brasileiro não poderia ser doente. Muita coisa. Mesmo nas grandes cidades, você sai um pouco, poucos quilômetros: natureza maravilhosa.

Ensinaremos como usar esses recursos de maneira fácil, não precisa de tanta doença, não precisa! Não precisa de tanta dor, tanto sofrimento, tanto cansaço fruto de vocês não quererem ver.

Como, num país tão gigantesco, vocês não conseguem ver natureza? Como? Se fosse a Suíça, ah, tão pequenininho que nem dá para ter árvore. Vocês não conseguem ver natureza e, no entanto, ela está aí, generosa e pacífica, esperando por cada um de vocês. Não deveriam adoecer. Todos vocês têm um pequeno espaço nas casas para ter um pouco de natureza. Plantas medicinais em casa, pequenos jarros. Tá achando que vai adoecer, pega folha, cheira, já ajuda muito para a sua saúde.

Porque vocês precisam entender, como é que André Luiz curou pessoa? Pela inalação, gente, é isso que ele tá dizendo para ver se vocês entendem: vocês podem curar doenças com a respiração, com o nariz, cheirando planta, é isso que ele diz. É possível curar situações difíceis de doença simplesmente cheirando planta, é isso que precisa entender. Mas vocês querem ser muito grosseiros, querem medicação pesada, forte, para destruir o corpo de vocês, porque acha que é o certo e vem um médico, recém desencarnado, ainda com toda a cabeça de médico pequena da Terra, e dá testemunho para vocês: ah, curou doente gravíssimo apenas cheirando planta, não entenderam isso? Está no livro, há cinquenta anos, está no livro! Como vocês querem entender se não entenderem isso.

Então, nós estudaremos para vocês entenderem e praticarem. Se curar cheirando plantas. Falo assim para ficar claro, porque é disso que se trata. Nós tivemos muito trabalho para organizar isso para vocês, e lê, acha engraçado, acha legal e não faz nada. Não é para isso, Espiritismo é um saber sagrado, Espiritismo tem que ser colocado em prática! Essa é a primeira lição de magnetismo. Tem que ser prático, tem que curar, tem que manter saúde, tem que reverter quadro mórbido, porque se não, não há consolo. Preciso cuidar de enfermo e vocês só vão saber cuidar de enfermos aprendendo a cuidar de vocês, porque vocês verão: é, realmente, esta planta cura isso porque me curou. E aí vocês vão ter fé e essa fé irá impregnar magneticamente as plantas, ampliando o poder delas, e vocês vão curar pessoas, porque todos os discípulos do Cristo são convidados a curar pessoas. Assim ensina o Evangelho.

Muita paz, o amigo espiritual de sempre, que está muito empolgado com tudo isso, porque vê que muitos corações irão tirar lições generosas de tudo isso.

Que vocês fiquem com a  paz do nosso Mestre.

 

Baixar Texto 1     Baixar Texto 2  

2 comentários

  1. Maravilhosa essa lição sobre como tratar a natureza, com respeito, amor e gratidão, isso me chamou atenção no filme Avatar. Quanto a receber o beneficio apenas pelo cheiro da planta, é realmente incrível, sou muito grata por esse aprendizado.

    Curtir

  2. Realmente é para refletirmos sobre nossa relação com a natureza … Devemos dedicar um pouco mais de tempo por dia tentando absorver estas energias que estão praticamente a nossa disposição !!!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s