SIGNIFICADO DA DOR – NOVA GERAÇÃO 154

 

Baixar opção 1             Baixar opção 2 


 

download (2)

 

132. Qual é a finalidade da encarnação dos Espíritos?

– Deus a impõe com o fim de levá-los à perfeição. Para uns é uma expiação; para outros uma missão. Mas, para chegar a essa perfeição, eles devem sofrer todas as vicissitudes da existência corpórea: nisto é que está a expiação. A encarnação tem ainda outra finalidade, que é a de por o Espírito em condições de enfrentar a sua parte na obra da criação. É para executá-la que ele toma um aparelho em cada mundo, em harmonia com a sua matéria essencial, a fim de nele cumprir, daquele ponto de vista, as ordens de Deus. E dessa maneira, concorrendo para a obra geral, também progride. A ação dos seres corpóreos é necessária à marcha do Universo. Mas Deus, na sua sabedoria, quis que eles tivessem, nessa mesma ação, um meio de progredir e de se aproximarem d’Ele. É assim que, por uma lei admirável da sua providência, tudo se encadeia, tudo é solidário na Natureza.


Citação deViktor Frankl do livro Em Busca do Significado.

 Dostoevski certa vez afirmou –  Há apenas uma coisa que eu temo: não ser digno de meus sofrimentos”

 


 

Mensagem de Encerramento

Filhos e filhas amadas, lembrem do Cristo de Deus!

Ninguém ache que foi uma escolha à toa, o Mestre optar por ser crucificado, mas não crucificado de qualquer forma, crucificado da forma como o foi. Açoitado e humilhado, sofreu. Depois, cansado e abatido fisicamente, subiu um monte carregando a cruz.

Entendam isto, filhos. Ele não sofreu espancado e ficou no chão esperando morrer… Coitadinho, para ensinar a humanidade a ser torpe. Não! Não!

Nosso Mestre carregou uma cruz subindo um terreno íngreme, sendo maltratado por uma multidão. Entendam isto!

Não há outra forma, o Mestre não apenas aceitou a cruz. Segurou-a e caminhou. Entendam isto!

Uma postura psíquica anticristã predomina no coração de todos os que não querem abraçar e caminhar com a própria cruz.

Não há discípulo sincero que negue a lição mais marcante do Mestre. Um aprendiz de Medicina que não aceita as teses principias de seu mestre é um falso discípulo. Quando nós negamos a luz do mundo, recusando a pequena cruz que nos cabe, negamos Jesus de Nazaré!

O sofrimento cristão, a forma de saber sofrer ensinada pelo Cristo é o sofrimento ativo! O sofrimento que move! O sofrimento que realiza! E não o sofrimento do coitado que simplesmente geme e chora. Esse é o sentimento de espíritos profundamente inferiores, porque são revoltados, só querem ser coitadinhos, ficam séculos na lama, chorando e gemendo. Não é assim que o Cisto ensina.

Sofrimento do Cristo é o sofrimento de quem caminha! Meus filhos, entendam os símbolos de nosso Mestre! Para onde o Cristo caminho?  Para o alto. Poderia ter caminhado para um abismo…  carregar a cruz até lá em baixo. Não! Cristo ensina carregar a cruz para o alto! Que tua dor seja para subir, não para descer! Lá no alto, após sofrer tudo e não parar, chegarás a Deus. Poderás dizer: Pai: está completada a tua vontade!

Pensem: não sofrer ativamente é negar o Cristo, meus filhos.

Esta é uma dura verdade aos corações medievais de todos os tempos. Os corações que querem teorizar e fingir. Aos verdadeiros corações, esta lição trará luz que ilumina!

Que vocês fiquem em paz, do amigo espiritual de sempre.

 

Leave a Reply