A grandeza do simples – Nova Geração 134

Estudamos a questão 18 de O Livro dos Espíritos, buscando responder a seguinte pergunta: como nos prepararmos para melhor entender a criação divina.  No encerramento, recebemos do amigo espiritual um mensagem que intitulamos, A grandeza do simples. Ajude-nos a divulgar compartilhando a mensagem e o áudio do programa!



Baixar Áudio opção 1        Baixar Áudio opção 2  

 


 

A grandeza do simples – Nova Geração 134

Copy of GM-NG-134-Final - Untitled Page

 

Baixar Mensagem em PDF opção 1 

Baixar Mensagem em  PDF opção 2 


Livro dos Espíritos

http://www.febnet.org.br/wp-content/uploads/2012/07/135.pdf

 

Capítulo II – Elementos Gerais do Universo

I. Conhecimento do princípio das Coisas

 

Questão 18. Penetrará o homem um dia o mistério das coisas que lhe estão ocultas?

— O véu se levanta a seus olhos, à medida que ele se depura; mas, para compreender certas coisas, são-lhe precisas faculdades que ainda não possui.

 

Mensagem de Encerramento

A grandeza do simples

 

Que a Paz do Cristo possa neste instante nos iluminar para que sejamos um com ele como discípulos, como amigos, como mesmo disse: como galhos desta planta maravilhosa que é a representação de Deus no mundo.

Filhos, as faculdades do espírito precisam ser desenvolvidas, porque elas são conquistas, mas, ao mesmo tempo, são apoios para o vosso equilíbrio mais profundo. Para se ampliar o que se tem, é precisa cuidar do que já existe e isto vocês não fazem.
É muito importante conseguir entender isto, valorizar o que se tem. Por exemplo: vocês valorizam a visão? Utilizam este poder espiritual para ver a grandeza do Pai? Para ver as virtudes do irmão, para saber observar o amor de Deus nas pequenas e maravilhosas obras da natureza? Se vocês não fazem isto com o que tem; não chegarão ao que falta. A depuração do espírito se faz no uso do que já possui: se possuo tato, paladar, audição, olfato que estou fazendo com eles para me engrandecer? Muitos falam tanto e nada fazem, pois não utilizam o paladar para engrandecer as obras de Deus, sentindo os sabores.

Vocês não podem compreender tudo, mas devem preparar-se para isto, serem menos arrogantes, serem mais simples como crianças no sentido que diz o Cristo. Que gosto interessante… Que planta produz este gosto? Que alimento é este? É obra de Deus! É uma forma de voltar a atenção para uma faculdade tão desprezada, que sabor é este? Como o mel é diferente de uma fruta a, b ou c? Como será que é feito? O sabor desta fruta difere daquela, o sabor desta verdura, o sabor deste tempero. Isto é integrar-se também na obra de Deus.

Se Deus deu o paladar, não foi para ser distorcido e vocês tornarem-se gulosos e doentes, foi para enquanto se alimentam apreciarem o carinho que Deus tem por vocês.
Isto serve para tudo. Se quereis um dia ampliar a sua compreensão do universo, não comecem com grandes teorias, filhas da confusão e do orgulho, que alimentam a vaidade.

Comecem primeiro com o que Deus já forneceu a vocês: o tato, o paladar, a visão… De forma simples, apenas observando e descobrindo as pequenas diferenças, e aí vocês se prepararão para serem grandes sábios. Este é o caminho que o Cristo indica: observar de forma simples, não arrogante, se enternecer com a beleza que as suas faculdades já podem captar, odores diferentes, fortes, suaves e agradáveis.

Tudo isto é importante, porque cada uma dessas faculdades vivenciadas com simplicidade, sinceridade de coração, vos encaminharão para uma compreensão mais profunda, enquanto teorias tão complexas ditas por bocas que não sabem o que fazem só confundirão a vocês e aos simples, distraídos dos ensinos do Cristo.

Filhos, a obra de Deus é fantástica, poderosamente bela, mas não apenas de uma beleza que se expressa na grandeza, mas, também, na beleza que se expressa no que aparentemente é pequeno. Uma gota d’água, por exemplo, observem. Já imaginaram a realidade das gotas d’água e dos pequenos seres que vivem naquela pequena gota d’água? Milhares de seres vivem em uma gota d’água! É uma escala de vida, diversa… Imagina uma gota d’água sendo levada por uma formiga… Outra escala imensa, poderíamos passar anos estudando em profundidade como estes seres se relacionam, como se influenciam. Seres que para uma formiga são ínfimos e invisíveis.
Como podereis, se senão começarmos a entender que em cada pequeno ser, seres que vivem em uma gota d’água, uma formiga, existem universos que expressam tanto quanto o universo amplo a sabedoria de Deus.

Por onde começar? Os tolos que serão cada vez mais confundidos sempre querem começar pelo grandioso. Os sábios, sempre começam pelo simples, pelos próprios sentidos e pelas simples observações. Um dia, Cristo prometeu: eles verão Deus face a face, pois se fizeram simples e puro.

Fiquem em paz, do amigo espiritual de sempre.

 

Baixar Mensagem em PDF opção 1 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s