PodSim 107 – Desencarne de Kardec

Resumo

Comentamos o discurso do senhor E. Muller diante do túmulo de Kardec. Ocasião em que descreve a personalidade de Kardec, atendendo ao pedido de Amélie  Gabrielle Boudet, esposa de Allan Kardec. É uma homenagem tocante.


Baixar Áudio opção 01

Baixar Áudio opção 02


Mensagem Encerramento

Paz em todos os corações.

Hoje que lembramos o desencarne deste grande espírito. É muito importante que possamos aprender a sentir qual o verdadeiro sentido da vinda de Allan Kardec ao mundo.

Ninguém, meus filhos, ninguém poderia compreender com tanta profundidade as leis de Deus como compreendeu Allan Kardec, se não tem um coração repleto de amor, de paz, de piedade verdadeira. Não é possível penetrar os mistérios profundos do Pai sem um coração puro, sem uma alma iluminada. Esse espírito reduziu-se a um mero intelectual humano por ter profunda piedade por todos nós da Terra. Esse espírito apequenou-se sendo um mero professor da Terra, aos vossos olhos, porque sentia como vossas dores são frutos de um pensamento limitador.

Filhos, apenas os séculos futuros vos permitirão entender quem de fato é Allan Kardec, espírito poderoso que se fez insignificante no mundo para que conseguisse explicar de forma tão clara, para inteligências tão limitadas com as vossas, o início, o básico da lei do Pai.

É um espírito que foi capaz, verdadeiramente, de tornar-se pequeno para que vocês começassem a entender a revelação divina. Sem ele, vossa confusão seria extrema e nunca conseguiríeis sair das vossas fantasias tolas, fantasias limitadoras. Ele é a luz que rasga – em meio ao vosso caótico pensamento – e consegue apontar um caminho da verdade. Ele é o exemplo sublime que deveis seguir, quando se trata de saber o que é o exemplo no mundo de alguém verdadeiramente elevado, porque em muitos aspectos da vida, não tendes ainda acesso ao Cristo. Ele é a ponte que vos liga ao coração do Mestre e um espírito como esse não poderia jamais ser um frio e tolo intelectual cheio de orgulho, como muitas vezes, corações infantis chegam a insinuar no próprio seio do movimento criado por esse espírito magnânimo.

Não pensem, portanto, que o Espiritismo compreendido leva a uma visão fria e sectária. É tão difícil para vocês entenderem a grandeza desse espírito que vocês, sem se darem conta, destroem a obra que ele deixa para vocês. Alguns dizem “espiritismo científico”, outros dizem “caridade”, outros dizem “filosófico” e não entendem o que esse espírito veio ensinar: a verdadeira ciência, o sentimento puro, a reflexão elevada e o beijar os aflitos tudo é a mesma coisa! Como é difícil para vocês entenderem isso. É a mesma coisa! Quando beijais um enfermo estás vivendo também uma experiência de vida. Da mesma forma que o santo que está em êxtase sente Deus, da mesma forma que o grande cientista que se aproxima das verdades do universo. Por que vocês separam tanto e, assim, não compreendem a grandeza desse espírito?

Para ele, filho, importava servir, não interessava como. Segurando crianças com seu magnetismo poderoso como ele fez, ou escrevendo, mesmo fatigado, palavras que muitos de vocês ignoram, mas que estão nos registros da Revista Espírita. Sabeis, filhos, cada linha da Revista Espírita foi escrita com o sacrifício que vocês não podem nunca imaginar. O sacrifício de uma luz poderosa, que se contorcia em si para se fazer pequena, mas clara. Para não queimar os vossos olhos tão tolos e tão infantis, espiritualmente falando. Mas não fez isso por arrogância, ninguém poderia fazer isso por arrogância. O Mestre de Lyon fez isso por amor, um amor profundo, silencioso e ativo, que produziu uma obra que vocês ainda não conhecem.

Apenas quem estudar, com um coração puro, poderá descobrir os tesouros que Kardec deixou registrado nas páginas da Revista Espírita. Jovens filhos, aprendam abrir esta revista com muito vagar, mas sabendo que encontrareis revelações assombrosas e sereis felizes se conseguis compreendê-las com mais profundidade. Essa é minha mensagem para a juventude espírita no dia de hoje.

Fiquem todos em paz, envoltos nesse instante pela energia do Mestre de Lyon, Allan Kardec, que ama a todos nós, a mim e a vocês.

Muita paz, do amigo espiritual de sempre.

» Revista Espírita 1869 » Maio » Discurso pronunciado no túmulo » Em nome da família e dos amigos pelo Sr. E. Muller

Fonte: https://goo.gl/aiEYRP

Caros consternados,

Falo por último junto a esta fossa aberta, que contém os despojos mortais daquele que entre nós se chamava Allan Kardec.

Falo em nome de sua viúva, daquela que foi sua companheira fiel e feliz durante trinta e sete anos de uma felicidade sem nuvens nem mescla, daquela que compartilhou de suas crenças e de seus trabalhos, como de suas vicissitudes e suas alegrias; que, hoje só, se orgulha da pureza dos costumes, da honestidade absoluta e do desinteresse sublime de seu esposo. Ele é quem nos dá a todos o exemplo de coragem, de tolerância, de perdão das injúrias e do dever cumprido escrupulosamente.

Falo também em nome de todos os amigos, presentes ou ausentes, que seguiram passo a passo a carreira laboriosa que Allan Kardec sempre percorreu honradamente; daqueles que querem honrar sua memória, lembrando algum traço de seu caráter.

E, para começar, quero dizer-vos por que seu envoltório mortal foi para aqui conduzido diretamente, sem pompas e sem outras preces senão as vossas! Haveria necessidade de preces por aquele cuja vida toda não foi senão um longo ato de piedade, de amor a Deus e à Humanidade? Não bastaria que todos pudessem unir-se a nós nesta ação comum, que afirma a nossa estima e a nossa afeição?

A tolerância absoluta era a regra de Allan Kardec. Seus amigos, seus discípulos pertencem a todas as religiões: israelitas, maometanos, católicos e protestantes de todas as seitas; pertenciam a todas as classes: ricos, pobres, cientistas, livres-pensadores, artistas e operários, etc. Todos puderam vir aqui, graças a esta medida que não compromete nenhuma consciência e constituirá um bom exemplo.

Mas ao lado desta tolerância que nos reúne, é preciso citar uma intolerância que eu admiro? Fá-lo-ei porque, aos olhos de todos, ela deve legitimar esse título de mestre que muitos dentre nós atribuímos ao nosso amigo. Essa intolerância é um dos caracteres mais marcantes de sua nobre existência. Ele tinha horror à preguiça e à ociosidade; e este grande trabalhador morreu de pé, após um labor imenso que acabou ultrapassando as forças de seus órgãos, mas não as do seu espírito e do seu coração.

Educado na Suíça, naquela escola patriótica em que se respira um ar livre e vivificante, ele ocupava seus lazeres, desde a idade de quatorze anos, a dar cursos aos seus camaradas que sabiam menos que ele.

Vindo para Paris, e sabendo falar e escrever alemão tão bem quanto o francês, traduziu para a Alemanha os livros da França que mais lhe tocavam o coração. Escolheu Fénelon para torná-lo conhecido, e essa escolha denota a natureza benévola e elevada do tradutor. Depois, entregou-se à educação. Sua vocação era instruir. Seus sucessos foram grandes e as obras que publicou, de gramática, de aritmética e outras, tornaram popular o seu verdadeiro nome, o de Rivail.

Não satisfeito em utilizar suas faculdades notáveis numa profissão que lhe assegurava um tranquilo bem-estar, quis que aproveitassem os seus conhecimentos aqueles que não podiam pagar-lhe, e foi um dos primeiros a organizar, nessa fase de sua vida, cursos gratuitos mantidos na Rua de Sèvres, 35, nos quais ensinava Química, Física, Anatomia Comparada, Astronomia, etc…

É que ele havia feito contacto com todas as ciências e, tendo-as bem aprofundado, sabia transmitir aos outros o que ele próprio conhecia, com talento raro e sempre apreciado.

Para este sábio devotado, o trabalho parecia o próprio elemento da vida. Assim, mais do que ninguém, não podia suportar a ideia da morte como a apresentavam então, tendo por fim um eterno sofrimento ou uma felicidade egoísta e eterna, mas sem utilidade, nem para os outros nem para si mesmo.

Ele era como que predestinado, bem o vedes, a espalhar e vulgarizar esta admirável Filosofia que nos faz esperar o trabalho no além-túmulo e o progresso indefinido de nossa individualidade, que se conserva melhorando-se.

Ele soube tirar dos fatos considerados como ridículos e vulgares, admiráveis consequências filosóficas e toda uma doutrina de esperança, de trabalho e de solidariedade, parecendo assim, em paralelo ao verso de um poeta que ele amava:

 

Transformar o vil chumbo em ouro puro.

Sob o esforço de seu pensamento, tudo se transformava e engrandecia aos raios de seu coração ardente. Sob sua pena, tudo se precisava e se cristalizava, por assim dizer, em frases de deslumbrante clareza.

Ele tomava para seus livros esta admirável epígrafe: Fora da caridade não há salvação, de cuja aparente intolerância ressalta a tolerância absoluta.

Ele transforma as velhas fórmulas, e sem negar a feliz influência da fé, da esperança e da caridade, arvorava uma nova bandeira ante a qual todos os pensadores podem e devem inclinar-se, porque esse estandarte do futuro leva escritas estas três palavras:

Razão, Trabalho e Solidariedade.

É em nome dessa razão que ele colocou tão alto; é em nome de sua viúva; em nome de seus amigos que eu vos digo a todos que não mais olheis para esta fossa aberta. É para mais alto que devemos erguer os olhos para encontrar aquele que acaba de nos deixar! Para conter esse coração tão dedicado e tão bom, essa inteligência de escol, esse espírito tão fecundo, essa individualidade tão poderosa, vós mesmos bem o vedes, medindo-a com os olhos, esta fossa seria muito pequena, e nenhuma poderia ser bastante grande.

Coragem, pois, e saibamos honrar o filósofo e o amigo praticando suas máximas e trabalhando, cada um na medida de suas forças, para propagar aquelas que nos encantaram e convenceram.

PodSim 106 – Compaixão e Budismo

Resumo

O príncipe Siddhartha vivia repleto de prazeres e belezas, amado, servido por todos, tinha tudo o que deseja em seus palácios. Um dia, descobriu a dor e o sofrimento e essa descoberta o guiou em uma busca espiritual que culminou em sua transformação em Buda, um patamar evolutivo superior.



Baixar Áudio opção 01

Baixar Áudio opção 02

Mensagem Encerramento

Que o Cristo toque ao coração de todos vocês, queridos amigos, queridas amigas, que começam a compreender a grandeza da vida.

Não esqueçam nunca: Cristo é amor, e amor une a todos, amor integra a todos, amor faz que a beleza de cada coisa do universo: uma folha, uma formiga e um ser como o príncipe Sidarta, se mostrem belo aos vossos olhos. O Cristo é a luz que faz brilhar o melhor de cada ser desse planeta, filhos, nunca esqueçam disso. Cada coisa vista sob a inspiração do Cristo se torna mais bela. Não que se torne mais bela por mágica, mas que com inspiração do Cristo vocês conseguem ver melhor. Esta é a verdade, porque cada um vê segundo a vibração que possui, como a luz que ilumina segundo a sua vibração, a vibração da sua onda. A consciência também percebe segundo o seu estado evolutivo. Porém, quando a sua consciência sintoniza com Cristo, ela vê mais verdadeiramente, e quem vê mais verdadeiramente, vê muito muito mas beleza.

Vejam que só há uma doutrina, o que em nosso plano chamamos, desde muito tempo atrás, Doutrina Secreta, doutrina dos grandes e verdadeiros iniciados ao longo do tempo. Não é nada de novidade para essa doutrina, porque ela entende que há uma só lei e que essa lei é expressa é em fragmentos por cada ser. Um pequeno inseto, ele também é expressão desta lei. Um imenso dinossauro, ou baleia, ou animal imenso é também expressão dessa lei. Cada ser humano é uma expressão muito mais consciente dessa lei. Mas ser expressão não significa ser a lei, significa expressar uma parte. Isso é fundamental entender para que arrogância e orgulho não façam vocês desprezarem o que é fragmento, porque, sabemos, só Deus não é fragmento. Cada um de nós é um fragmento de Deus, cada um de nós é uma expressão da beleza do pai, inteira em si, mas limitada em relação ao infinito.

Portanto, filhos, não pensem que devemos desprezar qualquer coisa por não ser completa e plena, não. Busquemos a beleza que ela expressa, busquemos a plenitude que ela é capaz de nos trazer. Fazendo isso, filhos, conseguimos sentir Deus em tudo, conseguimos sentir paz em qualquer circunstância, porque conseguimos observar tudo o que é transitório. Quando observamos um ser maligno das trevas vemos toda a maldade dele, mas conseguimos ver que aquela maldade é transitória e conseguimos também ver o anjo que ali se forma para sempre. Penso que essa é uma forma de entender os ensinamentos do Sidarta: separar o que é transitório do que é perene e do que é eterno.

A divindade que você carrega filho, a divindade que você carrega filha é eterna. Suas angústias, conflitos e erros, são transitórios. Se você aceita isso, seu coração se enche de paz, porque você passa a aceitar Deus em seu coração e Deus sempre estará. O erro não estará sempre, o vício não estará sempre, a maldade não estará sempre. Deus estará sempre.

Saber separar transitoriedade de eternidade é essencial para a paz do espírito. E se você pode aprender isso, não me interessa com quem, se com o Mestre dos mestres, se com o Sidarta, se comigo, se com um livro qualquer, não é importante. O importante é você sentir isso todas as horas.

Isso que ensina a Doutrina Secreta. Não é importante como você aprendeu, em que fonte. Mas é importante que você tenha aprendido de maneira verdadeira. Quem aprende de maneira verdadeira, aprende para sempre. E, um dia, aquela fonte não estará mais lá, e um dia, livros do budismo não existirão, e um dia, livros do cristianismo não existirão, mas o Buda e o Cristo estarão em você, porque você aprendeu de verdade.

Paz, do amigo espiritual de sempre.

PodSim 105 Compaixão nos Bebês

Resumo

Conversamos sobre as pesquisas científicas sobre a compaixão nos bebês. Recém-nascidos podem sentir compaixão? Se sim, como comprovar isso?
Conheça o impressionante experimento que comprova estes fatos!



Baixar opção 01       Baixar opção 2


Mensagem Final

Que a paz e alegria possa estar sempre, não apenas na cabeça, como uma ideia vaga, mas em todo o corpo, alterando tudo para melhor em vosso organismo, para que paz e alegria sejam sentimentos, sensações e bem-estar que se traduzam em forma de viver, que se traduzam em forma de olhar.

Ficamos profundamente emocionados em ver que os espíritas começam a entender que a pesquisa científica reforça tudo aquilo que os espíritos disseram ao grande e querido codificador. A ciência feita de forma séria, metódica, sistemática, organizada e ética consegue mostrar que tudo aquilo que Jesus de Nazaré ensinou é uma profunda verdade, filhos e filhas. E já existem milhares de pesquisas que podem surpreender os vossos corações com a grandeza de Deus, com a sabedoria dos Espíritos iluminados que dirigiram a codificação. Vocês não podem parar e viver simplesmente dizendo: já li Livro dos Espíritos, já li Livro dos Médiuns. Não façam isso filhos! Isso é um crime contra vocês mesmos! É preciso pensar o que é a ciência, hoje. O que ela comprova e o que ela não comprova, o que dizem as pesquisas sérias, o que afirmam as pesquisas sobre os postulados filosóficos de O Livro dos Espíritos. Hoje muitos estão comprovados, é preciso pensar nisso. Não apenas para dizer que vocês são inteligentes, não isso. Tem um valor muito maior, filhos, entender como o vosso corpo reage quando você escolhe o bem.

Imagine a saúde, o bem-estar, como um fluxo que sai de Deus, passa pelo coração do Mestre e chega no teu, filho. Agir de forma leviana, ou mesmo de forma maldosa, bloqueia esse fluxo, impede a melhor parte dele, porque o fluxo que vem de Deus, a parte mais pura dele, possui energias que penetram o átomo, mas também são muito sensíveis e aqueles que cultivam a maldade não conseguem absorvê-la completamente.

É preciso entender isso. É preciso refletir: o que leva crianças de poucos meses a valorizar tanto aquele que ajuda? É algo muito belo, é algo que toca no mistério da criação, é algo que, de certa forma, podemos a dizer a vocês: é o próprio Deus guiando o seu filhinho, espírito reencarnado, a fazer a opção certa. Você vai dizer: por que às vezes ele erra? Porque o espírito humano é falho, não é mau, porque às vezes não capta totalmente a vontade do Pai. Essa é a natureza humana. É necessário fazer esforço para captar a Vontade do Pai. Assim também é com você, se você fizer esforço de ficar em paz, vai pouco a pouco seguindo o fluxo do bem. Pode cometer erro, não há problema, desde que o seu coração esteja constantemente buscando o coração daquele que representa Deus neste mundo, Jesus.

Fundamental é, filho, permitir que o coração sinta. Não aceita alguém dizer que é besteira ser muito sensível, não. Toda vez que você ver uma criança ofertando algo a alguém, a outra criança, a um adulto, a pai, a mãe, olha com atenção e sente: é Deus. É a lei de Deus mais valiosa se concretizando diante de teus olhos, filho!

É o amor de Deus se fazendo gesto material para te ensinar que o amor está em toda parte. Essa é a sensibilidade que uma ciência bem conduzida, bem sentida e bem refletida vai trazer para teu coração, filho. Portanto não diga: só é uma criança, coisa besta.

Um gesto de amor de uma criança é também a expressão do Amor do ser que sustenta todo universo, se você entende isso filho, se você sente isso filha, você já está se preparando para ter uma comunhão profunda com Deus. Que você fique em paz. E o meu grande pedido ao Pai e ao teu coração é que, a partir de hoje, cada gesto infantil de amor toque teu coração filha, porque você já sabe que não é uma coisa à toa, é Deus se manifestando aos teus olhos!

PodSim 104 – Animais Sentem Compaixão?

Resumo

Conversamos sobre as interessantes pesquisas de Frans de Waal sobre a moralidade dos animais, inclusive, a capacidade dos animais sentirem empatia por outros animais. Como eles reagem a alegria e a dor do outro? É um tem interessantíssimo que nos afeta a todos.


  Baixar opção 01                                                          Baixar opção 02

Mensagem Encerramento

Que a paz e a alegria esteja sempre em vossos corações, queridos filhos e queridas filhas.

A luz do Cristo, ainda tão pouco aceita, poderá revelar a todos vocês a grandeza da obra do Nosso Pai, que envia ele como irmão, amigo mais velho, para mostrar como se pode conquistar a verdadeira felicidade.

Vocês já podem perceber que a felicidade também pode ser conquistada por uma compreensão científica quando esta é profunda e quando esta faz o ser aperfeiçoar o próprio comportamento. Em nosso plano, vemos com muita piedade a situação de vocês, porque é tão tolo, filhos, querer ser feliz mentindo, querer ser feliz enganando o próximo, querer ser feliz à custa de sofrimento de irmão. É impossível. E nos perguntamos, como será que eles conseguem se enganar tanto? É uma área de estudo complexa em nosso mundo, porque tudo é claro para aquele que quer ver. É muito fácil hoje em laboratório provar o que gera felicidade real, com reflexos no próprio sangue de vocês. Muito fácil em laboratório mostrar zonas do cérebro, tensão muscular, tudo que se altera quando se age no bem com intenção sincera e verdadeira, filhos. Mas vocês ainda pensam “o mundo não é assim”. Ora, como o mundo não é assim, se todas as leis são assim? Vocês é que vivem com uma imensa ilusão pensando que mais forte é quem tem mais poder de oprimir. E, coitado, vocês não vêm que aquele que oprime à noite passa por angústias terríveis. Vocês não notam que aquele que é vitorioso à custa de sacrifício do outro se torna profundamente deformado; as próprias células do corpo adquirem características monstruosas. Não duvidem disso. Não está longe de isso ser comprovado.

Importante entender sem medo: existe uma lei que rege tudo! Células do meu corpo, nervos, sistemas transmissores do meu cérebro, tudo! Emoção, angústia, alegria, prazer, dor –  tudo é regido por mesma lei. Lei de amor, lei que fará tudo sempre para encaminhar todos os seres da criação para uma vida plena de amor e virtudes. Por isso, filhos, importante olhar também ciência e pensar, com o pensamento voltado para Deus e pela lógica do Espiritismo, que coisa maravilhosa! Animais se sentem felizes quando fazem bem. Como será que pode ser diferente  com o ser humano? Como será que vocês ainda acreditam que vencedor é quem trapaceia o outro? Não! São pobres seres coitados que precisam de muito amparo, porque, mesmo que tenham tudo, o seu próprio corpo não permite que seja feliz. Não permite. Tem que viver uma vida de alucinados para que consigam suportar, porque a felicidade é proibida para eles. Entendam: aquele espírito que deseja o mal, por definição, proíbe-se da verdadeira felicidade. Essa é a grande meta dos Espíritos evoluídos: ajudar vocês a entender isso. Não é religião que traz felicidade, não. Não é ciência, não é filosofia, não. O que traz felicidade é estar ligado a lei do amor. Espiritismo é importante? Não é. Espiritismo só é importante para aqueles que o seguem de coração. Para os outros, não vale nada. Às vezes torna-se negativo, porque pesará na consciência. Ah, o budismo é importante? Não. É importância para aqueles que seguem verdadeiramente os ensinos sinceros de esse imenso e grandioso apóstolo do Mestre Maior, que é Jesus. E isso posso dizer de todas as escolas, de teorias, de pesquisa, de tradição, de mitos de crenças: serve muito! Muito precioso, se você a utilizar para ligar seu coração a lei do amor, a vibração do Pai que está em tudo; se não, não serve!

Portanto, filhos, vamos sempre pensar: é importante aprender seguir impulso de Deus, mais do que qualquer coisa. Se o Espiritismo os ajuda a isso, é uma santificada doutrina. Aqueles que seguem o Espiritismo utilizando para ligar-se a Deus e a Jesus, tornam para si o Espiritismo uma abençoada e santificada doutrina. Aqueles que apenas falam de Espiritismo são miseráveis e tristes, porque não colherão nada e só poderão culpar a si mesmos.

Filhos, que a boa semente do Cristo, que é o consolador prometido e enviado, ajude a vocês a guiarem os próprios corações a esse amigo maior, que é Jesus de Nazaré, que tem por missão sublime conduzir a todos nós ao Pai Criador do universo.

Muita paz, de vosso irmão e amigo espiritual.

PodSim 103 – Um dia após o Carnaval

Resumo

Como o Carnaval pode influenciar nossa situação espiritual? E depois da festa, como fica o nosso dia a dia? E a alegria, será erro? Existe alegria verdadeira e alegria falsa?

Nesse programa, conversamos sobre o Carnaval como símbolo de um estilo de vida não saudável e sobre  sobre a alegria verdadeira e a alegria falsa. Utilizamos do filme o Nome da Rosa e o exemplo de Auguste Michel, do livro Céu e Inferno, para enriquecer nossa reflexão.

 


 Baixar Áudio 1 Opção    Baixar Áudio 2 Opção

PodSim 102, Carnaval, celebração de quê?

Resumo

A antropologia nos ensina a centralidade da celebração em todas as culturas, nesse PodSim, refletimos sobre o significado da celebração do carnaval a partir dos conceitos gregos de Thanatos e de Eros, bem como dos conceitos judaicos de Reino dos céus, pecado e inferno.



 Baixar Áudio 1 Opção    Baixar Áudio 2 Opção

PodSim 100 Escala do Amor

Resumo

Nessa edição, iniciamos um nova série sobre evolução moral a partir dos estudos de Kardec, na Escala Espírita, e também dos estudiosos do desenvolvimento moral humano. Completamos 100 edições é uma alegria partilhar esse programa com você!


Baixar áudio



Décima classe.

ESPÍRITOS IMPUROS. — São inclinados ao mal, de que fazem o objeto de suas preocupações.

Nona classe.

ESPÍRITOS LEVIANOS. — São ignorantes, maliciosos, irrefletidos e zombeteiros.

Oitava classe.

ESPÍRITOS PSEUDO-SÁBIOS. — Dispõem de conhecimentos bastante amplos, porém, crêem saber mais do que realmente sabem.

Sétima classe.

ESPÍRITOS NEUTROS. — Nem bastante bons para fazerem o bem, nem bastante maus para fazerem o mal.

Sexta classe.

ESPÍRITOS BATEDORES E PERTURBADORES. — Estes Espíritos, propriamente falando, não formam uma classe distinta pelas suas qualidades pessoais. Podem caber em todas as classes da terceira ordem.

Quinta classe.

ESPÍRITOS BENÉVOLOS. — A bondade é neles a qualidade dominante.

Quarta classe.

ESPÍRITOS SÁBIOS. — Distinguem-se pela amplitude de seus conhecimentos.

Terceira classe.

ESPÍRITOS DE SABEDORIA. — As qualidades morais da ordem mais elevada são o que os caracteriza.

Segunda classe.

ESPÍRITOS SUPERIORES. — Esses em si reúnem a ciência, a sabedoria e a bondade.

Primeira classe.

CLASSE ÚNICA. — Os Espíritos que a compõem percorreram todos os graus da escala e se despojaram de todas as impurezas da matéria.

PodSim-99 Lembrar Para Curar

Resumo

Nessa edição conversamos sobre o método de regressão conhecido como DMP – Deep Memory Process – do psicólogo e Phd inglês Roger Woolger. No final, tivemos uma  bela mensagem que nos incentiva a aplicar em nossas vidas a metodologia desenvolvida por Allan Kardec, uma metodologia científica e de ética para nossa conduta diária.


Baixe o Áudio


 


 

PodSim-98 Fraternidade entre Povos

PodSim-98 Fraternidade entre Povos

 

Resumo

Conversamos sobre o conceito espírita de individualidades coletivas e como estas individualidades formam diferentes povos ao longo do tempo, como por exemplo Roma torna-se Grã-Bretanha e Estados Unidos da América.

Na mensagem final foi destacado como nosso plantio de fraternidade pode ampliar nossa capacidade de compreensão e nos preparar para uma vida social que inclua civilizações de outros planetas.

 


Baixar Áudio