Nova Geração # 203 – Sexualidade Doentia: Sonhos Infelizes

O sonho de desdobramento mostra a verdade de nossa sintonia espiritual. Nessa fase de nossa evolução, um dos maiores desafios é o de manter-se sexualmente equilibrado em uma sociedade que adota por normal os profundos desregramentos da emoção e as experiências embrutecedoras dos relacionamentos vulgares.

Livro dos Espíritos

Segunda Parte – Mundo Espírita ou Dos Espíritos

Capítulo 8 – Emancipação da alma. Item 1. O sono e os sonhos

402. Como podemos julgar da liberdade dos espíritos durante o sono?

“Através dos sonhos. Acredita-o: quando o corpo repousa, o espírito possui mais faculdades do que no estado de vigília; tem a lembrança do passado e, algumas vezes, a previsão do futuro; adquire maior potência e pode comunicar-se com os outros espíritos, quer deste mundo, quer de um outro. Dizes, com frequência: tive um sonho estranho, um sonho horrível, mas que não tem verossimilhança alguma; tu te enganas; frequentemente, é uma lembrança dos lugares e das coisas que viste ou verás, numa outra existência ou num outro momento. O corpo estando adormecido, o espírito tenta quebrar suas correntes, pesquisando no passado ou no futuro. 

Pobres homens, como conheceis pouco os fenômenos mais comuns da vida! Julgais-vos muito sábios e as coisas mais vulgares vos confundem; a estas perguntas que todas as crianças fazem: O que fazemos quando dormimos? O que são os sonhos? Ficais embaraçados.

O sono liberta, parcialmente, a alma do corpo. Quando dormimos, ficamos, durante certo tempo, no estado em que nos encontraremos, de uma maneira fixa, depois da morte. Os espíritos que rapidamente se desligaram da matéria, por ocasião de sua morte, tiveram sonos inteligentes; esses, quando dormem, juntam-se à sociedade dos outros seres superiores a eles; com eles viajam, conversam e se instruem; trabalham mesmo em obras que, ao morrerem, acham-se inteiramente concluídas. Isto deve vos ensinar, ainda uma vez, a não temer a morte, visto que morreis todos os dias, segundo a palavra de um santo.

Isto, para os espíritos elevados; mas, quanto à massa dos homens que, por ocasião da morte, têm de permanecer longas horas nessa perturbação, nessa incerteza de que já vos falaram, estes vão, ora para mundos inferiores à Terra, onde antigas afeições os chamam, ora em busca dos prazeres talvez ainda mais baixos do que aqueles que aqui têm; vão haurir doutrinas ainda mais vis, mais ignóbeis, mais nocivas do que as que professam no vosso meio. E o que engendra a simpatia na Terra não é outra coisa senão o fato de nos sentirmos, ao despertar, ligados pelo coração com quem acabamos de passar oito ou nove horas de felicidade ou de prazer.

O que também explica essas antipatias invencíveis é que sabemos, no fundo do nosso coração, que essas pessoas têm uma consciência diversa da nossa, porque nós as conhecemos sem jamais tê-las visto com os olhos. É ainda o que explica a indiferença, visto que não se procura fazer novos amigos, quando se sabe que existem outros que nos amam e nos querem. Numa palavra, o sono influi, sobre a vossa vida, mais do que imaginais.

Graças ao sono, os espíritos encarnados estão sempre em relação com o mundo dos espíritos, e é isto o que faz com que os espíritos superiores consintam, sem muita repulsa, em encarnar entre vós.

Deus quis que, durante o contato deles com o vício, eles pudessem ir se retemperar na fonte do bem, para eles próprios não falirem, eles que tinham vindo para instruir os outros. O sono é a porta que Deus lhes abriu, para irem em direção a seus amigos do céu; é a recreação após o trabalho, enquanto aguardam a grande libertação, a liberação final, que deve restituí-los ao meio que lhes é próprio.

O sonho é a lembrança do que o vosso espírito viu, durante o sono; mas observai que não sonhais sempre, porque nem sempre vos lembrais do que vistes ou de tudo o que vistes. É vossa alma que não está em toda sua potência; frequentemente, é apenas a lembrança da perturbação que acompanha vossa partida ou vossa chegada, a que se soma o que fizestes ou o que vos preocupa no estado de vigília; sem isto, como explicaríeis esses sonhos absurdos que têm os mais sábios, assim como os mais simples? Os maus espíritos também se servem dos sonhos para atormentar as almas fracas e medrosas.

Aliás, dentro em pouco, vereis vulgarizar-se uma outra espécie de sonhos; ela é tão antiga quanto a que conheceis, mas a ignorais. O sonho de Joana, o sonho de Jacó, o sonho dos profetas judeus e de alguns adivinhos indianos: este sonho é a lembrança da alma inteiramente desligada do corpo, a recordação dessa segunda vida de que vos falava ainda há pouco.

Procurai distinguir bem essas duas espécies de sonhos entre aqueles de que vos lembrais; sem isso, cairíeis em contradições e em erros que seriam funestos à vossa fé.

Comentário Kardec

Os sonhos são o produto da emancipação da alma, que se tornou mais independente pela suspensão da vida ativa e de relação. Daí, uma espécie de clarividência indefinida que se estende aos lugares mais afastados ou que nunca se viram e, algumas vezes, até em outros mundos. Daí, também, a lembrança que traz à memória os acontecimentos efetuados na existência presente ou nas existências anteriores; as estranhas imagens do que se passa ou se passou em mundos desconhecidos, entremeadas com as coisas do mundo atual, formam esses conjuntos singulares e confusos que parecem não ter sentido ou ligação.

A incoerência dos sonhos se explica, ainda, pelas lacunas que produz a lembrança incompleta do que nos apareceu em sonho. Seria, assim, como uma narrativa da qual tivessem truncado, ao acaso, frases ou partes de frases: os fragmentos restantes, sendo reunidos, não teriam qualquer significado racional.

Mensagem de Encerramento

Que Jesus, meus filhos, nos inspire a todos, neste instante, em que falaremos de tema tão delicado aos corações sofridos da Terra.

O desequilíbrio sexual toca a mente de todos vocês, mas não precisa tocar o coração. Situações aberrantes são propostas constantemente como se fossem normais. Meus filhos, olhem sempre a simplicidade da Natureza.

Os seres humanos em busca de satisfações tão breves e tão infelizes abrem mão de alegrias inimagináveis hoje. Por uma farra se perde uma vida; por uma loucura se compromete o futuro.

Trabalhadores espíritas vítimas de obsessão sexual desencarnam todos os dias e aqueles fluidos que deveriam ser para transmitir as energias do Cristo, se tornam fontes de prazer grosseiro intenso: de loucura e de maldade. E muitos dizem: todos são assim. Não! Existem os sinceros, existem aqueles que choram, suplicando a ajuda do Alto para vencer as suas tentações carnais; existem aqueles que acordam e de joelhos suplicam o perdão do Cristo. A esses nós abençoamos sempre!

Não quero saber de santos, esses não precisam. Me interessa você que tem o coração conturbado, mas que não tem dúvida de uma coisa: quer o Cristo dentro de você. Não me interessa vergonha, interessa a Luz. Trevas todos temos, mas o Cristo aguarda o convite para acender a sua chama em nosso ser.

Precisamos tratar deste tema de forma didática, mas também direta. Não é possível que tantos, comprometidos com o Cristo, hoje queiram viver orgias sexuais depravadas para que em poucos anos estejam absolutamente aniquilados como instrumentos da Luz.

Isso fazem esses espíritos, eles dão prazer até que você esteja totalmente desarmonizado e ai depois, filhos, começam a dar angústias insuportáveis. Porque ai eles já lhe inutilizaram para o trabalho direto do bem.

Médiuns famosos tornam-se vítimas e se tornam caricaturas públicas. Médiuns tornam-se seres tenebrosos, porque suas energias passam a nutrir o verdadeiro anticristo do mundo, entidade consolidada pelas paixões depravadas.

Não é possível ser médium do mal e médium do Cristo, não é possível em cada ambiente direcionar as energias para depravar, para perturbar os sentidos dos outros filhos de Deus, e dizer-se verdadeiro cristão. Não é possível desejar a depravação e, ao mesmo tempo, construir o mundo sublime que a Terra será. Não é possível contaminar as próprias energias e querer realizar curas maravilhosas.

O Cristo não precisa de vocês para curar, mas vocês precisam do Cristo para que através de vocês o bem se instale no mundo e floresça no vosso próprio coração.

Filhos não se trata de moralismos falsos. Trata-se de abandonar a luz; trata-se, muitas vezes, de optar por trevas terríveis, por imundices tenebrosas; trata-se de optar pela própria regeneração ou pelo abismo de milênios de loucuras e dores e angústias sem fim.

Não há pessoa que vivendo de forma depravada seja feliz. Impossível, porque teria que ter mais poder que Deus para isto. As Leis indicam o amor, nunca a maldade e não há amor quando se sabe que o que se faz gera angústia para o outro. Não há amor quando se age para destruir, desestruturar psiquicamente o outro ser.

O amor acolhe, protege, ampara, o amor é a força e a energia que cura. O amor eleva, nunca rebaixa o ser espiritual. Por isto, filhos, tenham compaixão de todas estas entidades depravadas que querem impor sua regra ao mundo, mas que apenas conseguirão a loucura e a demência em séculos de dores excruciantes e milênios de recuperação.

Que o Cristo nos ampare a todos nos ensinando a misericórdia com os nossos próprios erros, nos ensinando a compaixão a quem nos quer mal e disfarça o veneno com prazer sexual, porque dia virá em que uma sexualidade sublime existirá no mundo e nós saberemos a alegria de ser filhos de Deus.

Muita paz, do amigo espiritual de sempre.

Nova Geração # 202 – Opiniões Infelizes e Vida Espiritual

Conversamos sobre o poder de nossas opiniões sobre a vida e sobre as outras pessoas. Sem nos darmos conta, podemos nos vincular a muitas situações espiritualmente desastrosas por não sabermos como nos posicionar ante o nosso próximo. Nesse programa estudamos um exemplo comum e revelador.

Livro dos Espíritos

Segunda Parte – Mundo Espírita ou Dos Espíritos

Capítulo 8 – Emancipação da alma. Item 1. O sono e os sonhos

402. Como podemos julgar da liberdade dos espíritos durante o sono?

“Através dos sonhos. Acredita-o: quando o corpo repousa, o espírito possui mais faculdades do que no estado de vigília; tem a lembrança do passado e, algumas vezes, a previsão do futuro; adquire maior potência e pode comunicar-se com os outros espíritos, quer deste mundo, quer de um outro. Dizes, com frequência: tive um sonho estranho, um sonho horrível, mas que não tem verossimilhança alguma; tu te enganas; frequentemente, é uma lembrança dos lugares e das coisas que viste ou verás, numa outra existência ou num outro momento. O corpo estando adormecido, o espírito tenta quebrar suas correntes, pesquisando no passado ou no futuro. 

Pobres homens, como conheceis pouco os fenômenos mais comuns da vida! Julgais-vos muito sábios e as coisas mais vulgares vos confundem; a estas perguntas que todas as crianças fazem: O que fazemos quando dormimos? O que são os sonhos? Ficais embaraçados.

O sono liberta, parcialmente, a alma do corpo. Quando dormimos, ficamos, durante certo tempo, no estado em que nos encontraremos, de uma maneira fixa, depois da morte. Os espíritos que rapidamente se desligaram da matéria, por ocasião de sua morte, tiveram sonos inteligentes; esses, quando dormem, juntam-se à sociedade dos outros seres superiores a eles; com eles viajam, conversam e se instruem; trabalham mesmo em obras que, ao morrerem, acham-se inteiramente concluídas. Isto deve vos ensinar, ainda uma vez, a não temer a morte, visto que morreis todos os dias, segundo a palavra de um santo.

Isto, para os espíritos elevados; mas, quanto à massa dos homens que, por ocasião da morte, têm de permanecer longas horas nessa perturbação, nessa incerteza de que já vos falaram, estes vão, ora para mundos inferiores à Terra, onde antigas afeições os chamam, ora em busca dos prazeres talvez ainda mais baixos do que aqueles que aqui têm; vão haurir doutrinas ainda mais vis, mais ignóbeis, mais nocivas do que as que professam no vosso meio. E o que engendra a simpatia na Terra não é outra coisa senão o fato de nos sentirmos, ao despertar, ligados pelo coração com quem acabamos de passar oito ou nove horas de felicidade ou de prazer.

O que também explica essas antipatias invencíveis é que sabemos, no fundo do nosso coração, que essas pessoas têm uma consciência diversa da nossa, porque nós as conhecemos sem jamais tê-las visto com os olhos. É ainda o que explica a indiferença, visto que não se procura fazer novos amigos, quando se sabe que existem outros que nos amam e nos querem. Numa palavra, o sono influi, sobre a vossa vida, mais do que imaginais.

Graças ao sono, os espíritos encarnados estão sempre em relação com o mundo dos espíritos, e é isto o que faz com que os espíritos superiores consintam, sem muita repulsa, em encarnar entre vós.

Deus quis que, durante o contato deles com o vício, eles pudessem ir se retemperar na fonte do bem, para eles próprios não falirem, eles que tinham vindo para instruir os outros. O sono é a porta que Deus lhes abriu, para irem em direção a seus amigos do céu; é a recreação após o trabalho, enquanto aguardam a grande libertação, a liberação final, que deve restituí-los ao meio que lhes é próprio.

O sonho é a lembrança do que o vosso espírito viu, durante o sono; mas observai que não sonhais sempre, porque nem sempre vos lembrais do que vistes ou de tudo o que vistes. É vossa alma que não está em toda sua potência; frequentemente, é apenas a lembrança da perturbação que acompanha vossa partida ou vossa chegada, a que se soma o que fizestes ou o que vos preocupa no estado de vigília; sem isto, como explicaríeis esses sonhos absurdos que têm os mais sábios, assim como os mais simples? Os maus espíritos também se servem dos sonhos para atormentar as almas fracas e medrosas.

Aliás, dentro em pouco, vereis vulgarizar-se uma outra espécie de sonhos; ela é tão antiga quanto a que conheceis, mas a ignorais. O sonho de Joana, o sonho de Jacó, o sonho dos profetas judeus e de alguns adivinhos indianos: este sonho é a lembrança da alma inteiramente desligada do corpo, a recordação dessa segunda vida de que vos falava ainda há pouco.

Procurai distinguir bem essas duas espécies de sonhos entre aqueles de que vos lembrais; sem isso, cairíeis em contradições e em erros que seriam funestos à vossa fé.

Comentário Kardec

Os sonhos são o produto da emancipação da alma, que se tornou mais independente pela suspensão da vida ativa e de relação. Daí, uma espécie de clarividência indefinida que se estende aos lugares mais afastados ou que nunca se viram e, algumas vezes, até em outros mundos. Daí, também, a lembrança que traz à memória os acontecimentos efetuados na existência presente ou nas existências anteriores; as estranhas imagens do que se passa ou se passou em mundos desconhecidos, entremeadas com as coisas do mundo atual, formam esses conjuntos singulares e confusos que parecem não ter sentido ou ligação.

A incoerência dos sonhos se explica, ainda, pelas lacunas que produz a lembrança incompleta do que nos apareceu em sonho. Seria, assim, como uma narrativa da qual tivessem truncado, ao acaso, frases ou partes de frases: os fragmentos restantes, sendo reunidos, não teriam qualquer significado racional.

Mensagem de Encerramento

Que a paz do Cristo toque nossos corações no momento em que tanto precisamos de ternura, perdão, compreensão.

Imaginem sempre, meus filhos: antes de acusar a qualquer ser, que aquele ser precisa de um abraço teu. Não interessa quem seja ou o que fez, antes de acusar, traz este ser ao seu coração. Abraça-o, coloca a cabeça dele em teu ombro, em teu peito, como fazia o jovem adolescente João, quando estava ao lado do Cristo. Encosta, repousa a cabeça dele em teu peito, é um gesto mental, um gesto nobre, um gesto que ajuda a todos a caminhar para o Cristo. Não interessa o que fez, oferece o teu ombro amigo e teu peito generoso, sempre.

O Cristo não vem trazer ao mundo renovações tecnológicas. A missão desse Mestre, deste espírito puro, é ensinar a tecnologia do Espírito. É mostrar os tipos de transmissões que as emoções geram, é ensinar como a mecânica interior funciona. É mostrar como ondas e vibrações criam dinamismo dentro do ser e, principalmente, como isso deve ser conduzido.

Você vai se sentir muito só, meu filho e minha filha, se amar o Cristo. Porque o mundo hoje vive em um conluio satânico contra o Mestre. Desenvolvem-se hábitos que parecem normais, mas que são a negação do Cristo. Não pensem que a besta apocalíptica é um monstro, um bicho, se fosse, seria muito bom, bastava matar ele. Aplicava veneno nele e ele morria envenenado, o desgraçado… Não é isto! O monstro apocalíptico é um ser energético, por isso, a descrição é tão complexa. É um ser energético, mantido, criado e inflado pelas vibrações dos seres encarnados e desencarnados da Terra.

Se você junta a vibração de milhões de espíritos que estão acusando, que estão degradando, que estão maltratando uns aos outros, o que isso dará? Uma obra de arte? O que isto constituirá, um belo espetáculo? Não! Um ser monstruoso. Esse é o ser monstruoso que João descreve, que pode materializar-se em instituições, mas no aspecto energético é um ser nutrido por milhões de vibrações de muitos seres.

Filhos, muitos não entendem, vocês entendem. O cristianismo é simples, muito simples de ser vivido. Mas, na Terra, viver a simplicidade ensinada por nosso Mestre tão querido é muito difícil. Não participar de acusações, não participar de movimentos de massa, não participar de grupos que se alimentam com acusações mútuas, porque não conhecem o padrão simples e nobre de nosso Mestre.

Mas, eu garanto a vocês, mesmo que se sintam solitários por não participarem desses, como se chamam aqui, ritos malévolos, eu garanto a vocês: participarão da comunhão superior conosco todas as noites e acordarão revigorados, felizes e merecerão a glória eterna.

Não fiquemos com o mal, fiquemos com a simplicidade e a sabedoria profunda do bem e o Cristo viverá em nós, em nossos corações, em nosso ser e nós estaremos unidos em nome dele, todas as noites.

Muita paz, do amigo espiritual de sempre.

Nova Geração # 201 – O Desafio de Sonhar

O sonho é o grande apoio a todos os que desejam verdadeiramente espiritualizarem-se, é o momento de renovação e aprendizado vivido por aqueles que quiseram, durante a vigília, prepararem-se para conviver em esferas superiores durante o descanso físico.


Livro dos Espíritos

Segunda Parte – Mundo Espírita ou Dos Espíritos

Capítulo 8 – Emancipação da alma. Item 1. O sono e os sonhos

402. Como podemos julgar da liberdade dos espíritos durante o sono?

“Através dos sonhos. Acredita-o: quando o corpo repousa, o espírito possui mais faculdades do que no estado de vigília; tem a lembrança do passado e, algumas vezes, a previsão do futuro; adquire maior potência e pode comunicar-se com os outros espíritos, quer deste mundo, quer de um outro. Dizes, com frequência: tive um sonho estranho, um sonho horrível, mas que não tem verossimilhança alguma; tu te enganas; frequentemente, é uma lembrança dos lugares e das coisas que viste ou verás, numa outra existência ou num outro momento. O corpo estando adormecido, o espírito tenta quebrar suas correntes, pesquisando no passado ou no futuro. 

Pobres homens, como conheceis pouco os fenômenos mais comuns da vida! Julgais-vos muito sábios e as coisas mais vulgares vos confundem; a estas perguntas que todas as crianças fazem: O que fazemos quando dormimos? O que são os sonhos? Ficais embaraçados.

O sono liberta, parcialmente, a alma do corpo. Quando dormimos, ficamos, durante certo tempo, no estado em que nos encontraremos, de uma maneira fixa, depois da morte. Os espíritos que rapidamente se desligaram da matéria, por ocasião de sua morte, tiveram sonos inteligentes; esses, quando dormem, juntam-se à sociedade dos outros seres superiores a eles; com eles viajam, conversam e se instruem; trabalham mesmo em obras que, ao morrerem, acham-se inteiramente concluídas. Isto deve vos ensinar, ainda uma vez, a não temer a morte, visto que morreis todos os dias, segundo a palavra de um santo.

Isto, para os espíritos elevados; mas, quanto à massa dos homens que, por ocasião da morte, têm de permanecer longas horas nessa perturbação, nessa incerteza de que já vos falaram, estes vão, ora para mundos inferiores à Terra, onde antigas afeições os chamam, ora em busca dos prazeres talvez ainda mais baixos do que aqueles que aqui têm; vão haurir doutrinas ainda mais vis, mais ignóbeis, mais nocivas do que as que professam no vosso meio. E o que engendra a simpatia na Terra não é outra coisa senão o fato de nos sentirmos, ao despertar, ligados pelo coração com quem acabamos de passar oito ou nove horas de felicidade ou de prazer.

O que também explica essas antipatias invencíveis é que sabemos, no fundo do nosso coração, que essas pessoas têm uma consciência diversa da nossa, porque nós as conhecemos sem jamais tê-las visto com os olhos. É ainda o que explica a indiferença, visto que não se procura fazer novos amigos, quando se sabe que existem outros que nos amam e nos querem. Numa palavra, o sono influi, sobre a vossa vida, mais do que imaginais.

Graças ao sono, os espíritos encarnados estão sempre em relação com o mundo dos espíritos, e é isto o que faz com que os espíritos superiores consintam, sem muita repulsa, em encarnar entre vós.

Deus quis que, durante o contato deles com o vício, eles pudessem ir se retemperar na fonte do bem, para eles próprios não falirem, eles que tinham vindo para instruir os outros. O sono é a porta que Deus lhes abriu, para irem em direção a seus amigos do céu; é a recreação após o trabalho, enquanto aguardam a grande libertação, a liberação final, que deve restituí-los ao meio que lhes é próprio.

O sonho é a lembrança do que o vosso espírito viu, durante o sono; mas observai que não sonhais sempre, porque nem sempre vos lembrais do que vistes ou de tudo o que vistes. É vossa alma que não está em toda sua potência; frequentemente, é apenas a lembrança da perturbação que acompanha vossa partida ou vossa chegada, a que se soma o que fizestes ou o que vos preocupa no estado de vigília; sem isto, como explicaríeis esses sonhos absurdos que têm os mais sábios, assim como os mais simples? Os maus espíritos também se servem dos sonhos para atormentar as almas fracas e medrosas.

Aliás, dentro em pouco, vereis vulgarizar-se uma outra espécie de sonhos; ela é tão antiga quanto a que conheceis, mas a ignorais. O sonho de Joana, o sonho de Jacó, o sonho dos profetas judeus e de alguns adivinhos indianos: este sonho é a lembrança da alma inteiramente desligada do corpo, a recordação dessa segunda vida de que vos falava ainda há pouco.

Procurai distinguir bem essas duas espécies de sonhos entre aqueles de que vos lembrais; sem isso, cairíeis em contradições e em erros que seriam funestos à vossa fé.

Comentário Kardec

Os sonhos são o produto da emancipação da alma, que se tornou mais independente pela suspensão da vida ativa e de relação. Daí, uma espécie de clarividência indefinida que se estende aos lugares mais afastados ou que nunca se viram e, algumas vezes, até em outros mundos. Daí, também, a lembrança que traz à memória os acontecimentos efetuados na existência presente ou nas existências anteriores; as estranhas imagens do que se passa ou se passou em mundos desconhecidos, entremeadas com as coisas do mundo atual, formam esses conjuntos singulares e confusos que parecem não ter sentido ou ligação.

A incoerência dos sonhos se explica, ainda, pelas lacunas que produz a lembrança incompleta do que nos apareceu em sonho. Seria, assim, como uma narrativa da qual tivessem truncado, ao acaso, frases ou partes de frases: os fragmentos restantes, sendo reunidos, não teriam qualquer significado racional.

Mensagem de Encerramento

Que a paz do Cristo nos ilumine a todos. O tema de hoje é por demais severo, importante. Por isto, meus filhos, peço licença, aos seus corações, para que vocês, por favor, me permitam ser sincero no nível necessário.

O que acontece? Por ordem do Cristo, desde que o Consolador veio ao mundo, foram ampliadas e criadas estruturas de trabalho que só existiam em colônias superiores para que vocês, espíritos da Terra, ligados à Terra, pudessem ter experiências, cursos, palestras, estudos e trabalhos educativos de um nível que espíritos ligados à Terra nunca tiveram.

Muitos de nós até nos espantamos com o tanto de coisas maravilhosas que, por ordem do Cristo, hoje está colocada à disposição de todos vocês, meus filhos.

São laboratórios maravilhosos, são cursos que, antigamente, para nós termos acesso, precisávamos de muitas vidas de sacrifícios, de ajustes de corpo espiritual. E o Mestre nos ordenou a fazer todo um esforço para conseguir ajustar àqueles de boa vontade para que tivessem condições de ter acesso a esses ensinos, a essa sabedoria profunda, a estes equipamentos tão delicados e tão desenvolvidos.

Mas, filhos, é muito triste ver o quanto, mesmo os que dizem amar o Espiritismo, desprezam tudo isto! Muitas vezes, nossos olhos se enchem de lágrimas ao preparar a sala imensa, ao preparar cada lugar de vocês com muito carinho, a pesquisar a vida de cada um de vocês para poder dar um curso em que pudéssemos dar experiências muito significativas para vocês.

Muitas vezes, marcamos encontros com espíritos muito queridos de vocês em encarnação passada e temos a tristeza de ver as salas vazias. Estes amigos que vieram de outras tarefas para encontrar um de vocês, para matar saudade, para tocar os seus corações com vibrações muito nobres e muitos de vocês, filhos, não comparecem. Estão envolvidos em atividades muito tristes, estão se degradando, estão muitas vezes trabalhando até contra o Cristo, filhos. Nós ficamos muitas vezes em salas solitárias que levaram meses para serem organizadas para vocês. E vocês não aparecem.

Eu lembro aqui um dia que vivi esta experiência de forma particularmente difícil, pois estava muito empenhado a oferecer a determinados grupos de espíritas, uma experiência que para mim, acho que seria sublime e não veio ninguém.

Estava tendo uma festa destas de Carnaval de fora de época como se diz, eu acho que Carnaval em mundo decente será sempre fora de época. Na verdade será tão fora de época que não será em época nenhuma, mas isto é com vocês que estão encarnados. O que eu acho é que a época do mal deveria acabar.

Filhos, todos os trabalhadores espíritas estavam envolto em energias tão pesadas que não compareceram e os poucos que os meus auxiliares conseguiram trazer, não foram capazes de entrarem na sala que preparei com tanto carinho, dada a grosseria de energias que estavam totalmente impregnados. Foram encaminhados para a enfermaria estes poucos.

Filhos, não é possível, não conseguiremos amar ao Cristo envoltos em energias tão perversas. Envolto em maldades, envolto em desrespeito a si mesmo e ao outro. Vocês podem se iludir com estas doutrinas da perversão chamando de amor. Qualquer um que veja as energias saindo dos seres que se pervertem, não terão dúvidas, são colorações de ódio, vingança, de destruição e vontade de causar sofrimento no outro.

Não há carinho, não há ternura, não há paz, não há grandeza, filhos. Por isso, preciso dizer a todos vocês, meus filhos: pensem com muita, muita sinceridade e avaliem se vocês de fato estão se preparando para receber tantas bênçãos que o Cristo ordenou que fossem oferecidas a vocês. Que o Cristo orientou que preparássemos com muito zelo e muita ternura no coração para cada um de vocês.

A Terra precisa de seres renovados e eu digo a vocês, meus filhos: vocês só conseguirão se renovarem verdadeiramente, se vocês se comprometerem ao saírem do corpo, frequentarem estes cursos e estes trabalhos, porque se não filhos, vocês serão levados pelas vibrações magnéticas da loucura e do mal, porque nós estamos de fato no fim dos tempos e aqueles que se não vincularem com toda a garra, com toda a força de suas almas, aos espíritos que trabalham em nome do Cristo e ao próprio Mestre, nunca conseguirão superar as más tendências.

Por isto filhos, por favor, não duvidem disto: aqueles que não orarem com o coração aberto para estar vinculados às hostes do Senhor, serão levados e terão séculos e séculos tenebrosos em mundos inferiores.

Fiquem em paz meus filhos.

Esta mensagem é dura, mas eu peço que meditem, porque eu quero estar ligado ao coração de cada um de vocês que queiram participar de nossos cursos.

Hoje mesmo, vos garanto, eu e toda a minha equipe estaremos visitando todos, todos vocês, sem nenhuma exceção, por favor, se preparem. Quero abraçar com carinho e amor a todos vocês em nosso ambiente de estudo e trabalho cristão.

Paz a todos, do amigo espiritual de sempre.

Nova Geração # 200 – Medo da morte é falta de experiência

Estudaremos uma das técnicas utilizadas por Jesus para auxiliar aos necessitados para aprender como agir para integrar a equipe do Cristo.

Livro dos Espíritos

Segunda Parte – Mundo Espírita ou Dos Espíritos

Capítulo 8 – Emancipação da alma. Item 1. O sono e os sonhos

402. Como podemos julgar da liberdade dos espíritos durante o sono?

“Através dos sonhos. Acredita-o: quando o corpo repousa, o espírito possui mais faculdades do que no estado de vigília; tem a lembrança do passado e, algumas vezes, a previsão do futuro; adquire maior potência e pode comunicar-se com os outros espíritos, quer deste mundo, quer de um outro. Dizes, com frequência: tive um sonho estranho, um sonho horrível, mas que não tem verossimilhança alguma; tu te enganas; frequentemente, é uma lembrança dos lugares e das coisas que viste ou verás, numa outra existência ou num outro momento. O corpo estando adormecido, o espírito tenta quebrar suas correntes, pesquisando no passado ou no futuro. 

Pobres homens, como conheceis pouco os fenômenos mais comuns da vida! Julgais-vos muito sábios e as coisas mais vulgares vos confundem; a estas perguntas que todas as crianças fazem: O que fazemos quando dormimos? O que são os sonhos? Ficais embaraçados.

O sono liberta, parcialmente, a alma do corpo. Quando dormimos, ficamos, durante certo tempo, no estado em que nos encontraremos, de uma maneira fixa, depois da morte. Os espíritos que rapidamente se desligaram da matéria, por ocasião de sua morte, tiveram sonos inteligentes; esses, quando dormem, juntam-se à sociedade dos outros seres superiores a eles; com eles viajam, conversam e se instruem; trabalham mesmo em obras que, ao morrerem, acham-se inteiramente concluídas. Isto deve vos ensinar, ainda uma vez, a não temer a morte, visto que morreis todos os dias, segundo a palavra de um santo.

Isto, para os espíritos elevados; mas, quanto à massa dos homens que, por ocasião da morte, têm de permanecer longas horas nessa perturbação, nessa incerteza de que já vos falaram, estes vão, ora para mundos inferiores à Terra, onde antigas afeições os chamam, ora em busca dos prazeres talvez ainda mais baixos do que aqueles que aqui têm; vão haurir doutrinas ainda mais vis, mais ignóbeis, mais nocivas do que as que professam no vosso meio. E o que engendra a simpatia na Terra não é outra coisa senão o fato de nos sentirmos, ao despertar, ligados pelo coração com quem acabamos de passar oito ou nove horas de felicidade ou de prazer.

O que também explica essas antipatias invencíveis é que sabemos, no fundo do nosso coração, que essas pessoas têm uma consciência diversa da nossa, porque nós as conhecemos sem jamais tê-las visto com os olhos. É ainda o que explica a indiferença, visto que não se procura fazer novos amigos, quando se sabe que existem outros que nos amam e nos querem. Numa palavra, o sono influi, sobre a vossa vida, mais do que imaginais.

Graças ao sono, os espíritos encarnados estão sempre em relação com o mundo dos espíritos, e é isto o que faz com que os espíritos superiores consintam, sem muita repulsa, em encarnar entre vós.

Deus quis que, durante o contato deles com o vício, eles pudessem ir se retemperar na fonte do bem, para eles próprios não falirem, eles que tinham vindo para instruir os outros. O sono é a porta que Deus lhes abriu, para irem em direção a seus amigos do céu; é a recreação após o trabalho, enquanto aguardam a grande libertação, a liberação final, que deve restituí-los ao meio que lhes é próprio.

O sonho é a lembrança do que o vosso espírito viu, durante o sono; mas observai que não sonhais sempre, porque nem sempre vos lembrais do que vistes ou de tudo o que vistes. É vossa alma que não está em toda sua potência; frequentemente, é apenas a lembrança da perturbação que acompanha vossa partida ou vossa chegada, a que se soma o que fizestes ou o que vos preocupa no estado de vigília; sem isto, como explicaríeis esses sonhos absurdos que têm os mais sábios, assim como os mais simples? Os maus espíritos também se servem dos sonhos para atormentar as almas fracas e medrosas.

Aliás, dentro em pouco, vereis vulgarizar-se uma outra espécie de sonhos; ela é tão antiga quanto a que conheceis, mas a ignorais. O sonho de Joana, o sonho de Jacó, o sonho dos profetas judeus e de alguns adivinhos indianos: este sonho é a lembrança da alma inteiramente desligada do corpo, a recordação dessa segunda vida de que vos falava ainda há pouco.

Procurai distinguir bem essas duas espécies de sonhos entre aqueles de que vos lembrais; sem isso, cairíeis em contradições e em erros que seriam funestos à vossa fé.

Comentário Kardec

Os sonhos são o produto da emancipação da alma, que se tornou mais independente pela suspensão da vida ativa e de relação. Daí, uma espécie de clarividência indefinida que se estende aos lugares mais afastados ou que nunca se viram e, algumas vezes, até em outros mundos. Daí, também, a lembrança que traz à memória os acontecimentos efetuados na existência presente ou nas existências anteriores; as estranhas imagens do que se passa ou se passou em mundos desconhecidos, entremeadas com as coisas do mundo atual, formam esses conjuntos singulares e confusos que parecem não ter sentido ou ligação.

A incoerência dos sonhos se explica, ainda, pelas lacunas que produz a lembrança incompleta do que nos apareceu em sonho. Seria, assim, como uma narrativa da qual tivessem truncado, ao acaso, frases ou partes de frases: os fragmentos restantes, sendo reunidos, não teriam qualquer significado racional.

Mensagem de Encerramento

Filhos e filhas, que Cristo, em sua ternura inesgotável, envolva a todos nós.

Certamente, não é uma técnica de dormir e acordar que vai nos dar uma verdadeira conquista espiritual, mas tão certamente quanto isto, o esforço íntimo, feito ao dormir e ao acordar, irá acrescentar muito em nosso aprendizado espiritual.

Filhos, se todos aqueles espíritas que deveriam se dizer sempre e agir sempre como cristãos, antes de dormir, com um coração sincero, pedisse ajuda ao seu guia para ir trabalhar em nome do Cristo, o nosso mundo já seria diferente. Porque vocês não sabem o quanto podemos realizar, quando trabalhadores encarnados se dispõem a servir de verdade.

 Pessoas dizem: não tenho tempo de fazer caridade. Mentira. Você pode cuidar de um paciente, de um necessitado, cinco minutos, criar um vínculo de amor, e ao longo da semana cuidar dele por cinquenta, sessenta horas por semana… Como não ter tempo de fazer caridade? Deus nunca, nunca, deixaria seus filhos impossibilitados de fazer caridade, porque isto seria a condenação ao inferno.

Se vocês querem saber o que é inferno? É uma local onde é impossível de fazer o bem. Não há limitações para quem realmente quer servir. Não há! Às vezes, vocês veem coisas que não explicam: este espírito passou aqui e depois que ele veio aqui tomar um café, toda a minha vida melhorou. Como pode? Porque o espírito se condoeu do seu sofrimento e durante o seu sono ajudou muito, reuniu com o seu guia espiritual, doou suas energias, estudou e melhorou a sua vida.

Vejam como é bonito poder do bem, talvez não tivesse tempo para cuidar de todos os assuntos para lhe ajudar, mas ele olhou, vinculou-se energeticamente, fez uma prece. Ao sair do corpo foi lidar com todas as questões que embaraçavam aquele que queria ajudar.

Veja como isto é bonito! Assim fez Jesus, vocês não entendem como Jesus marcou tanto a história do mundo, que coisa estranha como este personagem, por mais combatido que foi não sai do coração da multidão.

Por isto, Jesus passava em local e via uma situação de intenso sofrimento e olhava com carinho,  a pessoa sentia que algo muito diferente acontecia, depois o Mestre, fora do corpo, tomava milhares de providências para ajudar àquela pessoa.

Veja como é bonito. É isto que queremos que vocês entendam o poder da caridade. O poder da Caridade. Ajudar passo a passo, pouco a pouco, mas com profundo desejo de que o outro seja feliz. Quando dizemos que o amor, que a prática do bem, amplia poderosamente os poderes do espírito, falamos disso, meus filhos.

 Imagine que cada um de vocês ao sair do corpo tivessem um pedido a fazer ao Cristo: Mestre, hoje eu queria tanto ajudar fulano… Me ajuda. Mestre dirá a vocês: que bom meu filinho. Você ainda não sabe ajudar fulano, mas eu vou lhe mandar para uma escola superior para você aprender. É uma técnica que vai ajudar fulano.

Assim fez Jesus comigo, com Eurípedes, assim faz Jesus com todos os que querem servir de verdade. E assim faremos nós com todos vocês que saiam do corpo e com o coração sincero digam: eu queria tanto amenizar o sofrimento de alguém e nós ensinaremos a você a amenizar o sofrimento daquele que você busca beneficiar, porque assim fez Jesus conosco. Assim fazem todos os verdadeiramente cristãos, porque o bem é a única verdadeira prática libertadora do ser.

Paz do amigo espiritual de sempre.

Nova Geração #199 – Saber como desencarnaremos: sonhos

Iniciamos o estudo da questão 402 de O Livro dos Espíritos – uma das mais importantes da codificação para o momento que vivemos. Se não entendermos o alerta do Cristo para o momento atual, nos perderemos nas falsas experiências. Não é opcional, devemos vincular nossos corações a amigos superiores que nesse momento aguardam nosso chamado.

Livro dos Espíritos

Segunda Parte – Mundo Espírita ou Dos Espíritos

Capítulo 8 – Emancipação da alma. Item 1. O sono e os sonhos

402. Como podemos julgar da liberdade dos espíritos durante o sono?

“Através dos sonhos. Acredita-o: quando o corpo repousa, o espírito possui mais faculdades do que no estado de vigília; tem a lembrança do passado e, algumas vezes, a previsão do futuro; adquire maior potência e pode comunicar-se com os outros espíritos, quer deste mundo, quer de um outro. Dizes, com frequência: tive um sonho estranho, um sonho horrível, mas que não tem verossimilhança alguma; tu te enganas; frequentemente, é uma lembrança dos lugares e das coisas que viste ou verás, numa outra existência ou num outro momento. O corpo estando adormecido, o espírito tenta quebrar suas correntes, pesquisando no passado ou no futuro. 

Pobres homens, como conheceis pouco os fenômenos mais comuns da vida! Julgais-vos muito sábios e as coisas mais vulgares vos confundem; a estas perguntas que todas as crianças fazem: O que fazemos quando dormimos? O que são os sonhos? Ficais embaraçados.

O sono liberta, parcialmente, a alma do corpo. Quando dormimos, ficamos, durante certo tempo, no estado em que nos encontraremos, de uma maneira fixa, depois da morte. Os espíritos que rapidamente se desligaram da matéria, por ocasião de sua morte, tiveram sonos inteligentes; esses, quando dormem, juntam-se à sociedade dos outros seres superiores a eles; com eles viajam, conversam e se instruem; trabalham mesmo em obras que, ao morrerem, acham-se inteiramente concluídas. Isto deve vos ensinar, ainda uma vez, a não temer a morte, visto que morreis todos os dias, segundo a palavra de um santo.

Isto, para os espíritos elevados; mas, quanto à massa dos homens que, por ocasião da morte, têm de permanecer longas horas nessa perturbação, nessa incerteza de que já vos falaram, estes vão, ora para mundos inferiores à Terra, onde antigas afeições os chamam, ora em busca dos prazeres talvez ainda mais baixos do que aqueles que aqui têm; vão haurir doutrinas ainda mais vis, mais ignóbeis, mais nocivas do que as que professam no vosso meio. E o que engendra a simpatia na Terra não é outra coisa senão o fato de nos sentirmos, ao despertar, ligados pelo coração com quem acabamos de passar oito ou nove horas de felicidade ou de prazer.

O que também explica essas antipatias invencíveis é que sabemos, no fundo do nosso coração, que essas pessoas têm uma consciência diversa da nossa, porque nós as conhecemos sem jamais tê-las visto com os olhos. É ainda o que explica a indiferença, visto que não se procura fazer novos amigos, quando se sabe que existem outros que nos amam e nos querem. Numa palavra, o sono influi, sobre a vossa vida, mais do que imaginais.

Graças ao sono, os espíritos encarnados estão sempre em relação com o mundo dos espíritos, e é isto o que faz com que os espíritos superiores consintam, sem muita repulsa, em encarnar entre vós.

Deus quis que, durante o contato deles com o vício, eles pudessem ir se retemperar na fonte do bem, para eles próprios não falirem, eles que tinham vindo para instruir os outros. O sono é a porta que Deus lhes abriu, para irem em direção a seus amigos do céu; é a recreação após o trabalho, enquanto aguardam a grande libertação, a liberação final, que deve restituí-los ao meio que lhes é próprio.

O sonho é a lembrança do que o vosso espírito viu, durante o sono; mas observai que não sonhais sempre, porque nem sempre vos lembrais do que vistes ou de tudo o que vistes. É vossa alma que não está em toda sua potência; frequentemente, é apenas a lembrança da perturbação que acompanha vossa partida ou vossa chegada, a que se soma o que fizestes ou o que vos preocupa no estado de vigília; sem isto, como explicaríeis esses sonhos absurdos que têm os mais sábios, assim como os mais simples? Os maus espíritos também se servem dos sonhos para atormentar as almas fracas e medrosas.

Aliás, dentro em pouco, vereis vulgarizar-se uma outra espécie de sonhos; ela é tão antiga quanto a que conheceis, mas a ignorais. O sonho de Joana, o sonho de Jacó, o sonho dos profetas judeus e de alguns adivinhos indianos: este sonho é a lembrança da alma inteiramente desligada do corpo, a recordação dessa segunda vida de que vos falava ainda há pouco.

Procurai distinguir bem essas duas espécies de sonhos entre aqueles de que vos lembrais; sem isso, cairíeis em contradições e em erros que seriam funestos à vossa fé.

Comentário Kardec

Os sonhos são o produto da emancipação da alma, que se tornou mais independente pela suspensão da vida ativa e de relação. Daí, uma espécie de clarividência indefinida que se estende aos lugares mais afastados ou que nunca se viram e, algumas vezes, até em outros mundos. Daí, também, a lembrança que traz à memória os acontecimentos efetuados na existência presente ou nas existências anteriores; as estranhas imagens do que se passa ou se passou em mundos desconhecidos, entremeadas com as coisas do mundo atual, formam esses conjuntos singulares e confusos que parecem não ter sentido ou ligação.

A incoerência dos sonhos se explica, ainda, pelas lacunas que produz a lembrança incompleta do que nos apareceu em sonho. Seria, assim, como uma narrativa da qual tivessem truncado, ao acaso, frases ou partes de frases: os fragmentos restantes, sendo reunidos, não teriam qualquer significado racional.

Mensagem de Encerramento

Que a paz do Cristo fique e permaneça para sempre em nossos corações.

Filhos e filhas amados, estamos no momento em que precisamos transformar vontades vagas em ação objetiva, teoria em prática. A partir de uma vontade sincera e continuada.

Precisamos de vocês, mas não de qualquer forma, espíritas estão se tornando mais pacientes de extrema necessidade do que colaboradores ativos. Não é mais possível continuarmos assim.

Devemos entender que aqueles que tiveram e que têm contato com a revelação do Mestre, chamada Consolador, têm obrigação de devotar-se ao bem, têm obrigação de instruir-se para amar servindo e não apenas de se tornar um alucinado pregador daquilo que não vive.

Comecemos por nos prepararmos. É impossível ser mais claro do que isto: ai está o caminho! Preparar-se, estar com espíritos que podem de fato lhe ensinar muito e trabalhar abnegadamente com eles. Isto é necessário! Isto é importante!

Muitos não querem tocar neste assunto em movimento espírita, porque não têm convicção, porque nunca viveram estas experiências de forma superior. Precisamos de milhares de pessoas que comecem a viver isto e comecem a compartilhar com naturalidade, porque há uma distorção maligna de palestrantes, que contam estas experiências como se fosse um sinal de grandeza e vocês acreditam com um sinal de estupidez, me perdoem.

Vocês têm de viver essas experiências, vocês precisam. Ninguém sairá deste mundo pelas portas do desencarne, de forma superior, se não cultivar as verdadeiras experiências transformadoras.

Não é uma opção, não é uma experiência esquisita, não é algo estranho que se deve fazer ou não. Não é algo de mistérios tenebrosos, místicos, não! Esta é a classificação dos estúpidos; classificação espírita: simples e necessária. Simples e necessária!

Quando o Cristo lhes alertou que nos fins dos tempos haveria sonhos, não foi, como querem interpretar alguns, para dizer: vocês terão um sinalzinho, uma diversão a mais, um milagre tal… Não!

O Cristo dizia: a caridade irá se esfriar a tal ponto que vocês precisarão disso. Vocês que me seguem precisarão deste apoio, desde jovem até a velhice. Vocês, que quiserem continuar vinculados ao meu coração, terão estas experiências porque necessitarão, porque isto vai ajudar vocês a não se desligarem de mim por conta dos apelos estúpidos e esdrúxulos do mundo. Aqueles que assim não fizerem serão levados principalmente pela maré infeliz da sexualidade desregrada, por isso muitos não querem tocar neste assunto, porque estão envoltos nisto e isto os desmascararia.

Muitos são santos, mas que vivem tendo prazeres infernais, porque a sua santidade é a da voz, do gesto, da conversa inferior disfarçada de evolução.

São santos porque apresentam uma falsa preocupação com a obra do Cristo, porque mentem. Mas vivem prazeres destrutivos. Não se pode agir assim se queres estar com o Cristo! Não podeis! Preparai-vos, se um dia cair em regiões inferiores, ore a Deus, humilhem-se, suplicando socorro. Porque vocês serão socorridos, porque o poder do Cristo não é de uma região. O poder do Cristo transcende em todas as dimensões que envolvem este planeta.

Vocês pensam: Cristo cuida da Terra e você pensa que só cuida da dimensão material. Existem dimensões muito mais difíceis de cuidar, muito mais complexas, sofridas, do que a da Terra encarnada. Ele cuida de todas! 

Filhos, preparem-se, é preciso fazer um vínculo profundo conosco, porque todos precisamos estarmos unidos para potencializarmos a energia do Mestre que vem aos nossos corações, para cada um de vocês, para cada um de nós desencarnados, precisamos disto. Precisamos deste modelo.

 Por isto aviso a vocês, jovens e adultos espíritas, se assim não fizerem, perderão grande parte de suas evoluções. De conquistar a vossa evolução, porque estamos, sim, nos fins dos tempos, aqueles que não buscarem esta fonte de luz, já anunciada pelo Mestre, registrada e passada de geração em geração até chegar a nós, para que seja aplicada, sucumbirão ao mal, à vaidade e à loucura de prazeres doentios.

Aqueles que conosco se dispuserem ao trabalho da Luz, crescerão muito e sentirão a paz do Cristo.

Do amigo espiritual de sempre.

Nova Geração #198 – Dormir é coisa séria

Qual a sua relação com seu corpo? Como fica essa relação quando você dorme? Você sabe que deveria se preparar para dormir como quem se prepara para uma jornada espiritual? Conversaremos como realizar esse preparação de forma simples e prática, porque precisamos dela todos os dias.

Livro dos Espíritos

Segunda Parte – Mundo Espírita ou Dos Espíritos

Capítulo 8 – Emancipação da alma. Item 1. O sono e os sonhos

400. O espírito encarnado permanece de bom grado sob seu envoltório corporal?

“É como se perguntasses se ao prisioneiro agrada estar encarcerado. O espírito encarnado aspira, incessantemente, à libertação e, quanto mais grosseiro é seu envoltório, mais deseja dele se livrar.”

401. Durante o sono, a alma repousa como o corpo?

“Não, o espírito jamais está inativo. Durante o sono, os laços que o unem ao corpo estão relaxados e, como o corpo não está necessitando dele, ele percorre o Espaço e entra em relação mais direta com os outros espíritos.

Mensagem de Encerramento

Que a paz do Cristo possa ser o estímulo para buscarmos o verdadeiro crescimento espiritual, porque a paz de nosso Mestre é, ao mesmo tempo, a nossa base, ao mesmo tempo, o nosso amparo protetor, ao mesmo tempo, o nosso estímulo para atingirmos metas superiores.

Meus filhos, minhas filhas, neste capítulo de O Livro dos Espíritos que iniciamos, vamos auxiliar a aprender as verdadeiras práticas espíritas. Vocês precisam prepararem-se para isto, por isto peço a todos que de coração quiserem espiritualizar-se: preparem-se, vamos nos preparar para este trabalho em conjunto.

Peço que vocês, toda vez antes de dormir, acalmem o coração, cada um de seu jeito, com um banho, uma música, com uma forma de realmente tranquilizar a mente. E utilizem-se dos cinco minutos antes do sono chegar para elevar verdadeiramente o pensamento, orando, ficando em paz, pedindo a proteção do próprio guia espiritual para que tenha experiências lúcidas. Isto é muito importante.

Porque a medida que vocês entendam e a medida que vocês orem verdadeiramente, nós conseguiremos proporcionar a vocês experiências muito educativas, experiências transformadoras. Vocês vão entender ao longo do estudo deste capítulo o quando de socorro vocês recusam por ignorarem, por comodidade, os ensinos de Kardec.

Vamos trabalhar com vocês a parte prática, mas é importante que vocês tenham em mente a parte teórica. Aprender a sonhar significa aprender a ter um estado de lucidez que permita que vocês saibam o que fizeram durante a noite, tenham consciência do que estão fazendo.

Evolução é ampliação de consciência. Ou vocês acham que o Cristo dormia e acordava não se lembrando de nada? Ele é o nosso modelo. Devemos buscar este modelo. Não é ser superevoluído, é apenas não ser superestúpido, supergrosseiro, superacomodado.

Nosso trabalho não é para espíritos iluminados, é para você que nos escuta, espíritos que estão lutando para não se afogar no mar de lama que virou a Terra.

Se você quer ajuda, nós podemos dar em nome de Jesus. Se você quer ajuda, deve pedir. Não pedir de forma irresponsável. Pedir de forma responsável, preparando-se. É como quando você tem um corte e passa o dia deixando o corte ficar sujo, podre, e chega o médico e diz: agora cure. Não pode ser assim. Você tem um corte, não pode ser assim. Você tem um corte, comece a cuidar como pode, limpar, proteger como pode. Ai sim é que pode ir a um médico e diz: meu amigo me ajude. Ah, aí o médico vai poder ajudar muito. Mas se você chega lá com um corte todo entupindo com coisas podres, a maior parte do trabalho do médico vai ser uma coisa que você deveria ter cuidado.

Assim acontece com toda esta história dos desdobramentos, dos sonhos, dos sonos. Vocês não podem chegar aqui e deitar-se imundos e querer que nós façamos tudo.

Nós pedimos: se você chega, mesmo ferido, não queremos saber de seres perfeitos, porque os seres perfeitos deste mundo são os piores hipócritas. Queremos saber de pessoas feridas, mas que pelo menos se deram ao trabalho de limpar o ferimento. Então, se você é uma pessoa ferida, que quer curar-se, faça isto. Limpe o seu ferimento, acalme-se, se tranquilize, faça uma prece tranquila, mas devota. Eu quero, sim, eu preciso, eu quero ir para lugar de estudo, ter lembranças lúcidas, eu quero ter mais consciência da vida espiritual. Vocês precisam disto: consciência, não ficar com esta teoria besta, conversa, conversa… e não tem consciência. Na hora que morre alguém, se perturba. Onde está a consciência? Não tem!

Filhos, primeiro pedido: preparem-se todos os dias. Todos os dias. Acalma coração, respire, prece, tranquiliza, música, tudo que ajude vocês. Usa tudo que for para o bem. Ai nós iniciaremos um trabalho imenso, imenso! Todos aqueles que quiserem vão receber muita ajuda. Fazendo isto, não durante uma semana, é um compromisso de vida. Durante meses, que vão se prolongando, cada dia e nós ensinaremos a vocês. Porque estarão com condição mínima de estudar conosco e nós ajudaremos a vocês.

É uma promessa que faço a todos que fizerem isto e continuarem. Não estamos falando de crianças que brincam cinco minutos e enjoam do brinquedo. Estamos falando de uma coisa muito simples, mas muito bonita, que deve ser feita todos os dias e, pouco a pouco, daremos mais orientações. Vamos começar com esta orientação: preparem-se de forma correta para deixarem o corpo todas as noites e nós estaremos com vocês.

Muita paz, do amigo espiritual de sempre.

Nova Geração #196 – Mundos Evoluídos e Lembrança do Passado

Tornar-se cristão é seguir corajosamente o caminho do autodescobrimento, das experiências purificadoras. É olhar-se a si mesmo com honestidade e compaixão. Não temer os erros do passados, mas transformá-los em instrumentos evolutivos.

Nova Geração #196 – Mundos Evoluídos e Lembrança do Passado

Memória

Amar o perdido
deixa confundido
este coração.

Nada pode o olvido
contra o sem sentido
apelo do Não.

As coisas tangíveis
tornam-se insensíveis
à palma da mão

Mas as coisas findas
muito mais que lindas,
essas ficarão.

Carlos Drummond de Andrade , “Poemas”. Rio de Janeiro: J. Olympio, 1959.

Livro dos Espíritos

Segunda Parte – Mundo Espírita ou Dos Espíritos

Capítulo 7 – Retorno à vida corporal

395. Podemos ter algumas revelações sobre nossas existências anteriores?

“Nem sempre. Todavia, muitos sabem o que foram e o que faziam; se lhes fosse permitido dizê-lo, abertamente, fariam singulares revelações sobre o passado.”

396. Algumas pessoas julgam ter uma vaga lembrança de um passado desconhecido, que a elas se apresenta, como a imagem fugidia de um sonho que, em vão, tentam reter. Não será apenas uma ilusão?

“É, algumas vezes, real; mas, frequentemente, também é uma ilusão, contra a qual é preciso se resguardar, pois pode ser o efeito de uma imaginação superexcitada.”

397. Nas existências corporais de uma natureza mais elevada do que a nossa, a lembrança das existências anteriores é mais precisa?

“Sim, à medida que o corpo se torna menos material, lembramo-nos melhor. A lembrança do passado é mais nítida, para aqueles que habitam os mundos de uma ordem superior.”

Mensagem de Encerramento

Que a paz do Cristo nos instrua neste instante, porque ter paz é uma ciência que tanto precisamos aprender. Precisamos, filhos, pedir a Deus; pedir carinhosamente ao Mestre mais e mais compreensão.

Vocês são espíritos feridos, claro que são, por isso as trevas manipulam com tanta facilidade vocês, utilizando-se de instrumentos do medo. Nós entendemos isto: é como alguém que se queimou em água quente e as trevas dizem: não tomem banho porque a água está sempre fervendo, e vocês param, pouco a pouco, de tomar banho. Isto acontece dentro de vocês, motivado por muitos do movimento espírita encarnado. É importante fazer esta distinção: hoje existe o movimento encarnado e desencarnado e, às vezes, são muito diferentes.

Que banho, que água é essa que vocês precisam para se purificarem, para se limparem, melhorarem, para terem higiene? É o banho de correntes espirituais superiores. Hoje, muitos têm medo dos espíritos. Isolam-se emocionalmente, não querem conversar com anjo guardião. Não querem conversar quando estão no corpo e começam a ter medo de encontrá-los quando saem do corpo. A grande maioria tem medo até de pensar que teve vida passada.

Filhos, nós só crescemos a partir de nossas conquistas, mesmo conquistas realizadas cometendo erros. Por exemplo: tem muitos médicos que aprenderam Medicina ou aprenderam a lidar com corpos humanos, fazendo o mal. Sim! Torturando, vendo dor, mas eles aprenderam a suportar ver o outro sofrer. Mas eles aprenderam a habilidade de abrir corpo. Se eles negarem a habilidade aprendida porque há ai uma ferida emocional, não crescerão. Qual é o certo a fazer? Reconhecer o erro, mas aproveitar a capacidade aprendida para fazer o bem. 

Espírito só evoluirá de fato quando for capaz de aceitar isto com paz, com tranquilidade. Não é ficar falando de passado para cobrir-se mais uma vez da púrpura mentirosa da vaidade. Como muitos de vocês espíritas sentem  a falta de pequenas e desastrosas mentiras de importância espiritual de uma revelação estúpida cheia de coisas malucas!

Nova Geração tem que estar alerta para não seguir este padrão de desgraça. Sigamos o padrão do Cristo! Profundidade emocional e experiências espirituais potentes ou vocês não sabem que o Cristo pegou um adolescente de catorze anos e levou para assistir Moisés se materializando? O que é isto, senão uma experiência poderosa? Ou vocês não sabem que o Cristo curou um leproso, na frente de uma criança de sete anos? E esta criança era eu e isso mudou minha vida.

Não sejam estúpidos, meus filhos amados. Todos precisamos de experiências poderosas para potencializar a nossa coragem, a nossa fé no Mestre superior. Todos precisamos abrir o nosso ser a essa potência divina chamada Jesus. Não fiquemos com os falsos profetas, a Luz brilha, a Luz nos aquece, a Luz nos toca, mas cabe a cada um de nós abrir os nossos corações espirituais para que nós sejamos um com a Luz do mundo, Jesus de Nazaré!

Paz a todos, do amigo espiritual de sempre.

Especial Ano Novo

O fim de ano é uma data simbólica importante para todos. Isso nos faz pensar como foi o ano que está terminando, como será o que se inicia.  Como Espírito é imortal, viveremos sempre, por isso, cada dia é importante para nosso futuro.

NG – Especial de Ano Novo


No Brasil, eleições, escândalos vergonhosos, um processo intenso de autodescobrimento.

Quem somos e o que queremos? É preciso arrancar nossas emoções e paixões das coisas terrenas e direcioná-las aos objetivos elevados, tornar nossos sentimentos mais poderosos. Para nos tornarmos capazes de construir um país melhor.

Mensagem Encerramento

Filhas e filhos queridos e amados,

Estamos encerrando um ano de muita atividade, de muito trabalho, de muito sacrifício. As hostes espirituais que trabalham em nome do Evangelho, ligadas ao nosso protetor Ismael, Espírito lúcido, tiveram muitas atividades em setores que alguns tocam diretamente vocês e vocês conhecem. Outros tocam, mais vocês sequer sabem que existem, mas afetam a vida de vocês.

E nesta tarefa complexa, precisaremos contar cada vez mais com vocês. Espíritas, por favor, comecem a entender: orar antes de dormir é essencial para construir Pátria do Evangelho! Não esqueçam isto, no ano que se inicia.

Precisamos de um ambiente psíquico adequado, para que transformações não sejam trágicas. A transformação é ordem do mais Alto. A forma como ela se dá ocorre dentro das escolhas de vocês.

Imagine assim: vocês estão com um espinho no pé, tem que tirar. Esta é a ordem! Se vocês são mansos, humildes, se vocês estão em paz, se esforçam apesar da dor para manter equilíbrio e não buscam fugas malucas. Você senta e o espinho é extraído da forma menos dolorosa, tudo é limpo e você se recupera facilmente.

Mas, digamos que você é um louco como a maioria é hoje: sai correndo, em vez de cuidar vai para festa, usar droga, se perturba e foge. Na hora que é levado a força, para retirar, na mesa de cirurgia, pula, quebra tudo e tenta fugir. É preso de novo e é amarrado, fica blasfemando, gritando. O espinho é tirado, mas dói muito porque toda hora você mexe. Depois, se você recusa fazer curativo. Então, todo curativo é todo mal feito, porque você está sempre agitado, criando clima terrível.

Esta é a opção de vocês, filhos. O espinho já está em sua carne, você já procurou o espinho, já o enfiou no teu corpo. Nós vamos tirar, porque só fica na Terra quem permitir que esses espinhos sejam retirados. Quem não permitir, usar sua inteligência, entre aspas, para fugir da cura, vai ser expulso do planeta.

Como queremos que a maioria fique, estamos cuidando de tudo e todos, destes espinhos em todas as áreas. Digo: nós, como a equipe como um todo, do Brasil.

Mas como pode ser tudo mais fácil para aqueles que orarem e permitirem que retiremos os espinhos que afetam a sua paz. Vai doer, mas doer muito menos. Àqueles que assim fizerem darão o exemplo e ajudarão os outros a conseguirem isto. Isso é o que acontece hoje.

Estamos em um período em que muitos espinhos serão mexidos, muitas dores serão despertadas, porque muita coisa ruim terá que ser extraída da alma psíquica da Pátria do Evangelho. E será doloroso! E será difícil! Vocês estão se preparando para isto, filhos? Ou são ainda seres infantis?  Vai começar mais um ano, como quem diz: mais uma festa! Não é possível que vocês queiram viver ainda assim. Ah… Vamos mais uma vez nos permitir os excessos… Por favor, filhos, estamos em momento muito grave, precisamos de indivíduos equilibrados no seu dia a dia.

Não somos contra as confraternizações, mas é preciso que vocês cultivem a paz. A confraternização não pode ser uma reunião maligna que gera o oposto da paz. Não faz sentido, para quem quer crescer espiritualmente, para quem quer colaborar com o Cristo, para quem quer se curar. Então, de nosso ponto de vista, o ano de 2019 será o ano em que serão tirados muitos espinhos da carne de vocês.

A Nação Brasileira passará por momentos de extração dolorosa, se será mais ou menos dolorosa, dependerá da atitude de vocês, da serenidade, de respeito às Leis Divinas, a ordem universal!

Se assim for, a dor será muito menor, mas se vocês apoiarem vibrações de revolta, coitado de vocês! A dor será imensa! Então, meu conselho de ano novo, minha sugestão amiga e sincera: muito cuidado, não entrem em vibrações de revolta, não interessa o motivo.

Saibam: Ismael está muito próximo da Nação Brasileira neste ano. Muito próximo! Não há o que temer! Há o que colaborar com vibrações serenas e sinceras.

Todos os movimentos coletivos serão conduzidos por esta mão poderosíssima. Não temam! Apenas fiquem vigilantes, não permitam que seus corações entrem em sintonia com as terríveis ondas da revolta que surgirão, porque uma pequena parte não aceitará ser curada, mas não queremos e não é preciso que a revolta desta pequena parte invada o coração da sociedade.

Oremos e tenhamos a certeza: Ismael nos conduz a todos! Já está decidido isto. Em 2019, todos poderemos colaborar com a obra deste espírito que é um espírito maravilhoso, mantendo a postura ativa e serena dos servos fieis.

Feliz 2019, a todos!

Do amigo espiritual de sempre.